2 de out de 2014

Impressões do Peugeot 3008 Griffe 1.6 THP

Impressões do Peugeot 3008 Griffe 1.6 THP

A Peugeot amarga quedas constantes no mercado automotivo nacional. Dos 90.331 carros emplacados no acumulado de 2010 – que lhe garantiram 2,71% de share –, a marca agora tem apenas 28.360 registrados nos dois primeiros quadrimestres de 2014, o que representa 1,34% do total de carros comercializados no Brasil. Uma média de 3.545 mensais, quase o mesmo que só o hatch 207 vendia há quatro anos. Mesmo assim, a francesa parece estar inclinada a apostar em modelos direcionados a um público mais requintado. Tanto que desistiu de vender a versão de entrada do crossover 3008 no país, a Allure, para abrir espaço apenas para a de topo Griffe em sua linha 2015. Uma diferença de cerca de 10% no valor do carro, que agora obrigatoriamente ultrapassa a barreira dos seis dígitos: começa em R$ 100.190.

Veja também:

  • Teste do Peugeot 3008
O novo 3008 desembarcou no Brasil em junho, mas apenas com leves alterações estéticas. Agora, seu visual segue o padrão atual da marca. Grade, conjuntos óticos e faróis de neblina levam molduras cromadas e os faróis e lanternas são contornados por leds. De perfil, chamam atenção as novas rodas diamantadas. Já por dentro, pouco se alterou. O head-up display, que projeta as informações do velocímetro, passou a ser colorido e os bancos receberam novas padronagens.

A lista de mimos e de tecnologias presentes no 3008 impressiona. Há, por exemplo, freio elétrico de estacionamento, que é acionado automaticamente quando o carro é desligado. O ar-condicionado é com duas zonas e conta com saídas traseiras e o sistema multimídia inclui GPS e conectividade por Bluetooth com uma tela de sete polegadas rebatível eletricamente. O 3008 sai de fábrica ainda com acendimento automático dos faróis, compartimento refrigerado no console central, sensor de chuva, piloto automático, teto panorâmico em vidro, airbags de cortina, frontais e laterais, controle eletrônico de estabilidade, freios ABS com auxílio a frenagem de urgência e repartidor eletrônico de frenagem e sensor de estacionamento traseiro.

A plataforma é a mesma, derivada do 308. Sob o capô, segue o motor 1.6 litro 16V Turbo High Pressure a gasolina, com bloco de alumínio, comando de admissão variável e balancins roletados. Desenvolvido em parceria com a BMW, é o mesmo propulsor que equipa os esportivos RCZ e 308CC e ainda o sedã grande 508. Gera 165 cv a 6 mil giros e torque de 24,5 kgfm já a partir das 1.440 rotações. O câmbio é o mesmo automático de seis velocidades, com opção de acionamento sequencial.

Pelo conjunto, a Peugeot cobra iniciais R$ 100.190. Não há opcionais disponíveis para o 3008 Griffe 1.6 THP, apenas as cores. Pela branca, por exemplo, a fabricante cobra R$ 2.690, fazendo o valor final pular para R$ 102.880. Construído sobre a mesma plataforma que o 3008, o Citroën C4 Picasso com motor 2.0 de 151 cv com etanol custa R$ 94 mil com equipamentos semelhantes. Ou seja, custo/benefício não é a melhor motivação para a compra do 3008. Tanto que depois da chegada do modelo com face-lift, seus emplacamentos fecharam em 174 entre junho e agosto, uma média de 58 por mês. Um número que nem de longe lembra seus melhores tempos, em 2011, quando teve 2410 exemplares vendidos, ou seja, 200 por mês.

Impressões ao dirigir

O Peugeot 3008 é um automóvel que reserva boas surpresas. O espaço interno farto e bem aproveitado o assemelha ao de uma minivan e o acabamento requintado impressiona tanto a visão quanto o tato. Não faltam mimos aos seus ocupantes, como o head-up display que projeta a velocidade e as informações do piloto automático próximo ao vidro dianteiro e o teto panorâmico. Para facilitar ainda mais a vida do condutor, o sistema multimídia Wip Nav RT6 vem com GPS e a climatização de todo o interior é favorecida pela farta distribuição de saídas de ar, que contempla inclusive os ocupantes traseiros.
Mas a grande estrela do 3008 é mesmo o seu trem de força, com o motor 1.6 litro 16V Turbo High Pressure. O turbo de alta pressão consegue fazer o torque máximo de 24,5 kgfm aparecer já em 1.400 rotações, o que significa boa disposição em qualquer faixa de giros. A potência de 165 cv é mais que suficiente para mover seus 1.459 kg e a transmissão automática de seis marchas se mostra bem eficiente. Saídas de sinal, ultrapassagens e retomadas de velocidade são feitas com tranquilidade. Mesmo em subidas mais íngrimes, o propulsor encontra força para se mostrar com fôlego e disposição.
A suspensão absorve com eficiência as irregularidades da pista e, mesmo com a carroceria elevada, o crossover se comporta de maneira exemplar em curvas mais fechadas e em velocidade alta. As rolagens são quase imperceptíveis, fazendo com que o condutor até se sinta dirigindo um carro com dimensões mais compactas. E mesmo em uma tocada mais agressiva, o isolamento acústico funciona. A direção elétrica mostra precisão e trasmite segurança na estrada e suavidade nas manobras de estacionamento. Mas causa certa frustração o fato de um modelo que custa mais de R$ 100 mil não ter câmara de ré e nem um comando interno de abertura do tanque de combustível. Para abastecer o modelo, é preciso entregar a chave ao frentista.

Ficha técnica

Peugeot 3008 Griffe 1.6 THP (dados da montadora)

Motor: Gasolina, dianteiro, transversal, 1.598 cm³, alimentado por turbina de hélice dupla, quatro cilindros em linha, quatro válvulas por cilindro. Comando duplo de válvulas no cabeçote com sistema de variação de abertura na admissão e escape. Injeção direta de combustível e acelerador eletrônico.
Transmissão: Câmbio automático de seis velocidades à frente e uma a ré. Tração dianteira. Oferece controle eletrônico de tração.
Potência máxima: 165 cv a 6 mil rpm.
Torque máximo: 24,5 kgfm a 1.400 rpm.
Diâmetro e curso: 77,0 mm X 85,8 mm.
Taxa de compressão: 11,0:1.
Suspensão: Dianteira com rodas independentes pseudo McPherson, com barra estabilizadora. Traseira com rodas independentes, barra de dois braços deformável e barra estabilizadora.
Freios: A discos ventilados na frente e discos sólidos atrás. Com ABS e EBD.
Carroceria: Crossover médio em monobloco, de quatro portas e cinco lugares, com 4,36 metros de comprimento, 1,84 m de largura, 1,63 m de altura e 2,61 m de entre-eixos. Airbags frontais, laterais e do tipo cortina.
Peso: 1.459 kg em ordem de marcha.
Capacidade do porta-malas: 430 litros; 1.008 litros com o banco rebatido.
Tanque de combustível: 60 litros.
Produção: Sochaux, França.
Lançamento mundial: 2009.
Lançamento desse facelift na Europa: 2013.
Lançamento no Brasil: 2010.
Lançamento desse facelift no Brasil: 2014.
Itens de série: Acendimento automático dos faróis, ar-condicionado automático digital Bi-zone com saídas traseiras, compartimento refrigerado no console central, computador de bordo, sistema de entretenimento com USB, Bluetooth, rádio, CD, MP3 e GPS integrado com tela colorida multifunções de 7 polegadas rebatível eletricamente, freio de estacionamento elétrico automático, display de informações projetadas, sensor de chuva, piloto automático, porta-malas modular em três níveis, vidros, travas e retrovisores elétricos, luzes diurnas em led, rodas de liga leve 17 polegadas, teto panorâmico em vidro, airbags de cortina, frontais e laterais, alarme, controle eletrônico de estabilidade, faróis de neblina, freios ABS com auxílio a frenagem de urgência e repartidor eletrônico de frenagem e sensor de estacionamento traseiro. 
Preço: R$ 100.190.
Opcional: Cor Branco Nacre
Preço completo: R$ 102.880.
Autor: Márcio Maio (Auto Press)
Fotos: Isabel Almeida/Carta Z Notícias

O preço da elitização - Após face-lift, Peugeot 3008 passa a ser vendido apenas na versão de topo Griffe, mas vendas diminuem

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Testes
Publicado em: 01 Oct 2014 10:00:00
Ler mais aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário