8 de dez de 2014

Teste do Fiat Uno Sporting Dualogic

Teste do Fiat Uno Sporting Dualogic

Para ter vendas de amplo espectro, é comum que carros de entrada tenham várias versões. O Fiat Uno, por exemplo, tem nove configurações, contanto as variações de trem-de-força. O line-up normalmente começa naquela configuração “pelada” com motor “mil” e apenas duas portas, para alcançar o menor preço possível e atrair grandes volumes de vendas. A seguinte tem motorização básica, mas já vem com alguns itens de série. E vai numa escala ascendente até chegar nas mais “sofisticadas”. Pode ser uma versão como a Way, que tem estética aventureira, que virou febre no mercado brasileiro de hatches compactos. No caso da Fiat, há sempre também uma configuração com apelo esportivo. No caso do Uno, trata-se da “top” Sporting. Ela não é – e não tem a pretensão de ser – a mais vendida da gama. A Fiat avalia que ela responda por apenas 5% do “mix” do Uno. Porém, tem a função de “carro de imagem” da linha e atrair um público jovem e moderno. Na prática, a esportividade é limitada – fica restrita somente ao ajuste de suspensão, à estética e ao sobrenome.

Veja também:

  • Teste do Fiat Uno College
É no aspecto visual que a configuração Sporting atrai mais a atenção. O face-lfit promovido pela Fiat em setembro último a deixou com mais ar ainda mais esportivo. Para-choques agressivos, faróis com máscara negra, minissaias laterais na cor do veículo, ponteira de escapamento dupla central cromada e grade dianteira na cor preto brilhante e anéis na cor vermelha dão o tom da carroceria. Tudo seguindo os princípios do já conhecido estilo Round Square, onde as linhas quadradas têm nuances arredondadas. Com esse visual, a versão Sporting ocupa o topo da lista da gama Uno. Ela parte de iniciais R$ 37.190 e vem apenas com itens básicos de série. Indicador para troca de marchas, predisposição para rádio, retrovisores externos com luzes indicadoras de direção integradas, rodas de liga leve de 15 polegadas, vidros elétricos dianteiros com one touch e antiesmagamento, volante com regulagem de altura e quadro de instrumentos iluminado em LCD de alta resolução com computador de bordo comandado por teclas no volante são o destaque. Nem o ar-condicionado sai de fábrica. É preciso desembolsar R$ 3.045 para não passar calor.

A lista de opcionais deixa o carrinho mais interessante, porém engorda a conta final do modelo. Cor metálica, rádio integrado ao painel com RDS, entrada USB/AUX, viva-voz Bluetooth e streaming de áudio, volante multifuncional, retrovisores externos elétricos com função Tilt Down, apoia-braço central no banco do motorista, banco do motorista com regulagem de altura, chave canivete com telecomando para abertura e fechamento das portas e vidros elétricos traseiros com one touch e antiesmagamento e outros itens elevam para acima dos R$ 48 mil. Sob o capô, nada de motor tricílindrico como o dos rivais. O Uno Sporting traz somente a opção do “manjado” motor 1.4 Evo 8V – semelhante a versão Way. Com gasolina, ele entrega 85 cv de potência e 12,4 kgfm de torque. Abastecido com etanol, os números mudam pouco: 88 cv e 12,5 kfgm de torque. A transmissão é sempre manual de cinco marchas. Mas agora, a gama Uno equipada com o propulsor 1.4 litro tem a opção da transmissão robotizada Dualogic Plus – oferecida pela primeira vez ao carrinho. Ela custa adicionais R$ 3.025. Toda modernidade tem seu preço.

Ponto a ponto

Desempenho – A esportividade sugerida no nome da versão não aparece. O conhecido motor 1.4 8V é apenas correto em movimentar o carrinho de pouco mais de uma tonelada. Os máximos 88 cv de força com etanol fazem o Uno Sporting Dualogic Plus acelerar de zero a 100 km/h em apenas 10,8 segundos, mas as arrancadas são um tanto morosas e mesmo o torque máximo – 12,5 kgfm – chegando a medianas 3.500 rotações, parece aquém do esperado, mesmo para um 1.4. Nota 6. Estabilidade – O Uno tem o mesmo sistema McPherson na suspensão dianteira das outras versões, mas na traseira ganhou uma barra de torção mais rígida, o que melhora sensivelmente a estabilidade. O Uno Sporting contorna as curvas sem pregar sustos ao condutor e garante comportamento neutro na maior parte das situações. As típicas saída de frente são facilmente contornáveis, mas no limite, a carroceira rola um pouco. Nota 8. Interatividade – Apesar de ter ganho mais funcionalidades, o Uno Sporting Dualogic Plus continua ser um carro de entendimento simples. Os botões no lugar da alavanca de câmbio são bem localizados, assim como a maioria dos comandos. Conectar o celular no sistema de som com Bluetooth leva pouquíssimo tempo. Somente a haste da seta e do limpador ficam um pouco longe do volante e é preciso esticar os dedos além do usual. Nota 8.

Consumo – O Fiat Uno Sporting equipado com a transmissão Dualogic Plus não aparece no Programa de Etiquetagem do InMetro. Mas o computador de bordo – uma das personalizações do display de 3,5 polegadas do painel de instrumentos – foi otimista e marcou um média acima dos 10,5 km/l em trecho predominantemente urbano e com gasolina no tanque. Nota 7. Conforto – O tamanho compacto não restringe o conforto do Uno Sporting. Há espaço suficiente para quatro adultos de estatura mediana. A suspensão dá comodidade aos passageiros, que não sofrem com buracos e ondulações. O isolamento acústico poderia ser melhor, já que o câmbio Dualogic Plus deixa o motor girar alto até fazer as trocas e o ruído inevitavelmente invade o habitáculo. Nota 7. Tecnologia – O chassi do Uno é relativamente recente e é bastante eficiente. Assim como os carros de entrada da Fiat, os itens de série são básicos. O carrinho ganha consistência tecnológica com os opcionais. Som com Bluetooth, transmissão automatizada, câmara de ré com visualização no retrovisor e sensor de estacionamento traseiro. Até o prosaico ar-condicionado é pago a parte. A unidade testada trazia todos esses itens que facilitam a convivência com o modelo. De qualquer forma, há uma grande oferta de recursos. Nota 8.

Habitabilidade – A substituição da alavanca de câmbio pelos botões realocou alguns porta-objetos no Uno Sporting. Agora há espaços no teto, além dos bolsões das portas. Em cima do porta-luvas há um nicho, mas é estreito. As formas quadradas da carroceria ajudam na acomodação de todos, e o porta-malas está na média do segmento, com 280 litros facilmente acessíveis pela tampa traseira. Nota 8. Acabamento – É um dos itens de destaque do Uno Sporting. Os plásticos se fazem presentes, mas ganharam um boa aparência e transmitem qualidade do modelo. O aspecto é sóbrio com detalhes interessantes como a base vermelha do volante e o preto metálico nos botões do câmbio. O estofamento dos bancos também agrada. Existe um certo “ar” de sofisticação no Uno Sporting. Nota 8. Design – As mudanças estéticas no Uno Sporting foram sutis. Mas suficientes para dar um “up” no visual do modelo. Segue o estilo Round Square, onde as formas quadradas têm as arestas arredondadas, porém com um toque mais refinado. Na versão Sporting, o desing fica ainda mais agradável com desenho novo das rodas, para-choques mais largos, discretas saias laterais e falsas entradas de ar traseiras, além do escapamento duplo centralizado. Nota 8.
Custo/benefício – A Fiat pede R$ 37.190 pela versão Sporting com motor 1.4 litro, sem incluir o câmbio automatizado, que acrescenta R$ 3.025. Versões mecânicas dos rivais, apesar de não terem o mesmo apelo estético, não fogem muito desse preço inicial. A configuração High do Volkswagen Up começa em R$ 37.670 com os mesmos itens e o motor 1.0 três cilindros. Já rivais como o Nissan March 1.6 SV ou o Ford Ka 1.5 SE têm um valor inicial acima – R$ 39.990 e R$ 40.390, respectivamente – mas chegam melhor equipados. Eles vêm com ar, motor mais potente e sistema de som com Bluetooth. Dotado desses recursos, o Uno Sporting alcança R$ 42.742 e só tem a mais as rodas de liga leve e o visual Sporting. Nota 6. Total – O Fiat Uno Sporting somou 74 pontos em 100 possíveis.

Impressões ao dirigir

A Fiat usou uma das marcas sob o seu guarda-chuva para dar nome a vistosa cor da unidade avaliada. O azul Maserati chama atenção nas ruas junto à estética Sporting do Uno. Além do tom chamativo, o escapamento centralizado, os para-choques mais agressivos e o desenho das rodas de 15 polegadas aguçam a curiosidade de quem vê. No lado de dentro, o Fiat Uno Sporting provoca logo duas sensações. A primeira é que o habitáculo evoluiu consideravelmente. Predominantemente escuro, o interior ganhou um aspecto moderno muito graças aos materiais utilizados, que demonstram uma qualidade até então vista só em carros mais caros da gama da marca italiana. Ainda contribuem para a boa atmosfera o opcional rádio integrado ao painel com RDS e o display de cristal líquido de 3,5 polegadas no miolo do painel de instrumentos. Junto ao conta-giros, velocímetro e marcador de combustível, a tela pode ser personalizada de várias formas por meio dos comandos no volante. A outra sensação que o Uno Sporting equipado com a transmissão Dualogic Plus transmite é de que falta alguma coisa. E falta mesmo. A Fiat extinguiu no modelo a tradicional alavanca de câmbio e instalou no lugar um console com cinco botões referentes às funções da caixa robotizada. E a solução é bem-vinda. O uso é extremamente simples e intuitivo. E aqueles recadinhos desagradáveis, tipo “manobra não autorizada” cessaram.
Dinamicamente, o “appeal” esportivo desaparece assim que se pressiona o acelerador. Com a novidade da caixa robotizada, o modelo tem um desempenho sem “arroubos” de esportividade – mesmo com as “borboletas” no volante. Mas se acelera com mais força, aparece um efeito colateral do câmbio, que é o vai e vem do corpo, por conta do acionamento e desacoplamento da embreagem a cada troca de marcha. Uma forma de amenizar esse “soluço” é aliviar o pé do acelerador sempre que a mudança de marcha for ocorrer, mas para chegar a este “feeling” é preciso familiaridade. O motor 1.4 8V é modesto para um modelo que pretende vender a ideia de esportividade. Mas o ajuste de suspensão, mais firme, permite alguma diversão ao se explorar com agressividade os limites do carro – mesmo que o ponteiro do velocímetro não apresente números muito convincentes. E mesmo que o desempenho não seja tão empolgante, o carro cumpre o papel de agradar visualmente e atrair olhares simpáticos por onde passa.

Ficha técnica

Fiat Uno Sporting Dualogic


Motor: A gasolina e etanol, dianteiro, transversal, 1.368 cm³, com quatro cilindros em linha, duas válvulas por cilindro. Acelerador eletrônico e injeção eletrônica multiponto sequencial.
Transmissão: Câmbio automatizado de cinco marchas à frente e uma a ré com mudanças sequenciais por borboletes no volante. Tração dianteira.
Potência máxima: 85 cv com gasolina e 88 cv com etanol a 5.750 mil rpm.
Aceleração 0-100 km/h: 11,3 segundos com gasolina e 10,8 segundos com etanol.
Velocidade máxima: 170 km/m com gasolina e 172 km/h com etanol.
Torque máximo: 12,4 kgfm com gasolina e 12,5 kgfm com etanol a 3.500 rpm.
Diâmetro e curso: 72 mm X 84 mm.
Taxa de compressão: 12,3:1.
Suspensão: Dianteira independente do tipo McPherson, braços oscilantes inferiores transversais e molas helicoidais. Traseira com barra de torção e rodas semi-independentes, amortecedores hidráulicos e molas helicoidais. Não oferece controle eletrônico de estabilidade.
Pneus: 185/60 R15.
Freios: Discos sólidos na frente e tambores atrás. Oferece ABS como opcional.
Carroceria: Hatch em monobloco com quatro portas e cinco lugares. Com 3,81 metros de comprimento, 1,67 m de largura, 1,49 m de altura e 2,37 m de distância entre-eixos.
Peso: 1.023 kg.
Capacidade do porta-malas: 280 litros. 
Tanque de combustível: 48 litros.
Produção: Betim, Brasil.
Lançamento no Brasil: 2011.
Reestilização: 2014.
Itens de série: faixas laterais exclusivas com escrita Sporting, quadro de instrumentos iluminado com display LCD de alta resolução com computador de bordo comandado por teclas no volante, grade dianteira na cor preto brilhante e anéis na cor vermelha, indicador para troca de marchas, predisposição para rádio, retrovisores externos com luzes indicadoras de direção integradas, rodas de liga leve de 15 polegadas, vidros elétricos dianteiros com one touch e antiesmagamento, volante com regulagem de altura, faróis com máscara negra, minissaias laterais na cor do veículo, para-choques dianteiro e traseiro exclusivo e ponteira de escapamento dupla central cromada.
Preço: R$ 37.190.
Opcionais: ar-condicionado, cor metálica, câmbio Dualogic Plus, sensor de estacionamento traseiro com visualizador gráfico, rádio Connect integrado ao painel com RDS, entrada USB/AUX, viva-voz Bluetooth e streaming de áudi, volante multifuncional, retrovisores externos elétricos com função Tilt Down, terceiro apoio de cabeça traseiro rebaixado, apoia-braço central no banco do motorista, banco do motorista com regulagem de altura, banco traseiro bipartido, cinto de segurança traseiro central retrátil de 3 pontos, porta-objetos para celular, alarme antifurto, chave canivete com telecomando para abertura e fechamento das portas e vidros elétricos traseiros com one touch e antiesmagamento.
Preço completo: R$ 48.266.
Autor: Raphael Panaro (Auto Press)
Fotos: Isabel Almeida/Carta Z Notícias

Esporte fino - Fiat Uno Sporting renova o apelo estético e ganha câmbio moderno para se manter “descolado” frente aos concorrentes

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Testes
Publicado em: 03 Dec 2014 08:20:00

Nenhum comentário:

Postar um comentário