14 de jan de 2015

Teste do Fiat Uno Evolution

Teste do Fiat Uno Evolution

O mercado automotivo nacional vive em constante mudança. Com consumidores mais exigentes e a concorrência crescente em alguns segmentos fez com que as fabricantes dessem mais atenção a categorias que antes não recebiam muitas regalias. Caso dos hatches compactos. Itens como câmbio com trocas automáticas de marchas e até controle eletrônico de estabilidade e tração já aparecem de série em modelos que, até pouco tempo, nem ar-condicionado e direção hidráulica traziam de fábrica. A Fiat aproveitou o face-lift do Uno em sua linha 2015 e decidiu inovar também incorporando à sua gama uma versão com sistema start/stop – que desliga o motor em paradas de engarrafamentos ou em sinais de trânsito, por exemplo. E essa configuração Evolution, lançada em setembro último, já responde por 10% das vendas do Uno – que emplacou mais de 122 mil unidades em 2014.

Veja também:

  • Teste do Fiat Uno College
  • Teste do Fiat Uno Sporting Dualogic
Com o Uno Evolution, a Fiat tornou-se a primeira marca a fabricar no Brasil um carro com start/stop e a oferecê-lo em um motor flex. O sistema desliga o motor assim que o veículo para e é colocado em ponto morto. E o religa com o carregar da embreagem, na hora de engatar a primeira marcha. A intenção é economizar combustível e, de quebra, garantir um índice de emissão de poluentes menor. O recurso foi desenvolvido pela alemã Bosch e, de acordo com a Fiat,  resulta em uma redução de consumo de até 20%. A versão traz sempre sob o capô o velho conhecido motor 1.4 8V da Fiat. Ele rende 85 cv/12,4 kgfm com gasolina no tanque e 88 cv/12,5 kgfm quando abastecido com etanol. E não disponibiliza como opcional a transmissão automatizada Dualogic Plus, ou seja, o trem de força é sempre completado pelo câmbio manual de cinco marchas. Com esse conjunto, ele chega à máxima de 172 km/h e parte do zero aos 100 km/h em 10,8 segundos.

Por dentro, o quadro de instrumentos agrega um display LCD de 3,5 polegadas em alta resolução que fornece informações de computador de bordo, temperatura e mensagens do sistema start/stop, entre outras. O comando dos vidros elétricos, assim como em todas as versões do novo Uno, passou do console central para as portas. Mas itens como ar-condicionado e alarme seguem na lista de opcionais, fazendo a conta final do carro subir.  O preço inicial do Fiat Uno Evolution é R$ 35.510. Para ter ar-condicionado, faróis de neblina, alarme, chave canivete com comandos de travamento, vidros elétricos também traseiros, apoia-braço para motorista, banco com regulagem de altura e traseiro bipartido, cinto traseiro central de três pontos, porta-objetos para smartphone, rodas de liga-leve de 14 polegadas e sensor de estacionamento traseiro com visualizador gráfico, esse valor aumenta para R$ 41.916. Um preço que não chega a ser baixo, mas que ganha certo destaque por se tratar do modelo mais barato com start/stop do mercado brasileiro.

Ponto a ponto

Desempenho – O motor 1.4 8V move o Uno Evolution com alguma coerência. Não sobra força – e nem poderia, com seus 88 cv máximos com etanol no tanque –, mas também não chega a decepcionar. Ultrapassagens e retomadas são condizentes com a maioria dos modelos com a mesma motorização, mas o torque máximo de 12,5 kgfm  em 3.500 rotações prejudica um pouco as saídas de sinal. Nota 6. Estabilidade – O Uno é um carro bom de curvas e se mantém bem no controle do motorista. É claro que, até pela sua configuração, não se espera um uso mais esportivo do modelo. Levado ao limite, em velocidades elevadas, a carroceira rola um pouco e leves correções na direção se tornam necessárias. Nota 7. Interatividade – De uma maneira geral, o Fiat Uno é um carro simples. Botões são bem localizados e com uso intuitivo. A unidade testada tinha no lugar do som um suporte para celular que já vem com rádio e se conecta ao telefone via Bluetooth – mas é preciso paciência para isso. E o botão que liga o dispositivo, dependendo da posição em que o telefone esteja, não fica tão acessível. Principalmente se o carro estiver em movimento e a atenção do condutor, dividida. Nota 7.

Consumo – O Fiat Uno Evolution foi avaliado pelo Programa de Etiquetagem do InMetro e registrou médias de 8,9 e 10,5 km/l com etanol no tanque na cidade e na estrada, respectivamente. Abastecido com gasolina, essa média sobe para 12,9 e 15,1 km/l. Tal resultado garantiu classificação “A” tanto em sua categoria quanto no geral e um consumo energético de 1,55 MJ/km. Nota 10. Conforto – Quatro adultos de estatura mediana conseguem se acomodar bem no Uno. A suspensão garante uma absorção razoável dos impactos causados por buracos nas ruas e o isolamento acústico fica dentro da média esperada para um modelo deste segmento e categoria. Nota 7. Tecnologia – A versão Evolution tem um diferencial em relação às outras: o sistema start/stop – que é bastante eficiente, por sinal. Esse é o modelo mais barato no Brasil com esse tipo de recurso, presente normalmente em carros mais caros e com motores menos econômicos. Por outro lado, o hatch segue a mesma linha de estratégia da Fiat de oferecer uma lista simples demais de itens de série, garantindo alguma consistência tecnológica apenas com opcionais e acessórios – como a câmara de ré com visualização no retrovisor. Até o ar-condicionado é pago a parte. Nota 8. Habitabilidade – Há bons porta-objetos no Uno, inclusive no teto. O modelo ganhou também um espelho para visualizar os ocupantes traseiros, como o que o monovolume Idea traz. As formas quadradas da carroceria ajudam na acomodação de todos e o porta-malas está na média do segmento, com 280 litros. Nota 8.

Acabamento – Os plásticos têm boa aparência e transmitem alguma qualidade. Há um ou outro detalhe em preto brilhante e prata. A parte onde estão localizados os comandos do ar destoa um pouco do resto, pelo aspecto mais antiquado. Nota 7. Design – As mudanças estéticas com o face-lift do novo Uno foram bem leves, mas suficientes para trazerem benefícios ao modelo. Os faróis ficaram maiores e o capô tem laterais mais elevadas e “vincadas”. A grade foi separada do para-choque, que também foi redesenhado. Atrás, as luzes da lanterna ganharam alto-relevo. Mesmo depois de quase cinco anos, o design do Uno ainda transmite jovialidade e descontração. Nota 7. Custo/benefício – A Fiat pede R$ 35.510 pela versão Evolution com motor 1.4 litro. Com ar-condicionado, faróis de neblina, alarme, chave canivete com comandos de travamento, vidros elétricos nas quatro portas (só nas dianteiras é de série), apoia-braço para motorista, banco com regulagem de altura e traseiro bipartido, cinto traseiro central de três pontos, porta-objetos para smartphone, rodas de liga-leve de 14 polegadas e sensor de estacionamento traseiro com visualizador gráfico, a conta sobe para R$ 41.916. A Chevrolet cobra pelo Onix LT 1.4 iniciais R$ 45.820, enquanto a Ford vende o novo Ka 1.5 a partir de R$ 41.190, equipado à altura do Uno. A Renault entrega o Sandero Expression 1.6 por R$ 41.570. Um Volkswagen Gol Trendline 1.6 tem preço de R$ 47.215 com equipamentos semelhantes. Nenhum concorrente oferece a tecnologia start/stop. Nota 7. Total – O Fiat Uno Evolution somou 74 pontos em 100 possíveis.

Impressões ao dirigir

As mudanças no novo Uno deixaram o carro levemente mais interessante, é verdade. Mas não foram suficientes para disfarçar sua vocação “popular”. O acabamento é apenas correto e, de uma maneira geral, a versão Evolution não cria nenhum impacto ou surpresa por fora ou por dentro, se comparada às outras da gama.  O propulsor 1.4 8V de 88 cv com etanol no tanque tem respostas condizentes com o esperado – principalmente se comparado ao 1.0 da própria Fiat. Ultrapassagens e retomadas se dão de maneira correta, com um ou outro cálculo para as reduções de marcha – quase sempre necessárias. O carro se mantém estável nas curvas, apresentando uma leve rolagem de carroceria quando levado mais perto de seu limite. Se a expectativa não é de uma pegada esportiva, o modelo cumpre com honestidade seu papel. O grande diferencial da configuração Evolution fica por conta do sistema start/stop. Ele desliga o motor cada vez que o veículo para e é colocado em ponto morto – em um sinal fechado, por exemplo – e religa quando o pé carrega a embreagem para engatar a primeira marcha. Uma novidade que até garante certa economia de combustível para quem fica muito engarrafado, mas tem seu preço. Na unidade testada, que trazia um suporte opcional da Mopar para smartphone com Bluetooth e rádio, o som era cortado cada vez que o carro religava. Nas cidades com calor excessivo, outro problema: o ar-condicionado também deixa de atuar da maneira plena quando o sistema é acionado.

Ficha técnica

Fiat Uno Evolution

Motor: A gasolina e etanol, dianteiro, transversal, 1.368 cm³, com quatro cilindros em linha, duas válvulas por cilindro. Acelerador eletrônico e injeção eletrônica multiponto sequencial.
Transmissão: Câmbio manual de cinco marchas à frente e uma a ré. Tração dianteira.
Potência máxima: 85 cv com gasolina e 88 cv com etanol a 5.750 mil rpm.
Aceleração 0-100 km/h: 11,1 segundos com gasolina e 10,8 segundos com etanol.
Velocidade máxima: 170 km/m com gasolina e 172 km/h com etanol.
Torque máximo: 12,4 kgfm com gasolina e 12,5 kgfm com etanol a 3.500 rpm.
Diâmetro e curso: 72 mm X 84 mm.
Taxa de compressão: 12,3:1.
Suspensão: Dianteira independente do tipo McPherson, braços oscilantes inferiores transversais e molas helicoidais. Traseira com barra de torção e rodas semi-independentes, amortecedores hidráulicos e molas helicoidais. Não oferece controle eletrônico de estabilidade.
Pneus: 175/65 R14.
Freios: Discos sólidos na frente e tambores atrás. Oferece ABS como opcional.
Carroceria: Hatch em monobloco com quatro portas e cinco lugares. Com 3,81 metros de comprimento, 1,64 m de largura, 1,48 m de altura e 2,38 m de distância entre-eixos.
Peso: 950 kg.
Capacidade do porta-malas: 280 litros.
Tanque de combustível: 48 litros.
Produção: Betim, Brasil.
Lançamento no Brasil: 2010.
Reestilização: 2014.
Itens de série: computador de bordo, predisposição para rádio, retrovisores externos com luzes indicadoras de direção integradas, vidros elétricos dianteiros com one touch e antiesmagamento, volante com regulagem de altura, direção hidráulica, sistema start/stop. 
Preço: R$ 35.510.
Opcionais: ar-condicionado, sensor de estacionamento traseiro com visualizador gráfico, suporte para smartphone com Bluetooth e rádio, volante multifuncional, retrovisores externos elétricos com função Tilt Down, terceiro apoio de cabeça traseiro rebaixado, apoia-braço central no banco do motorista, banco do motorista com regulagem de altura, banco traseiro bipartido, cinto de segurança traseiro central retrátil de 3 pontos, alarme antifurto, chave canivete com telecomando para abertura e fechamento das portas e vidros elétricos traseiros com one touch e antiesmagamento.
Preço com os opcionais: R$ 41.916.

Autor: Márcio Maio (Auto Press)
Fotos: Isabel Almeida/Carta Z Notícias

Parada racional - Fiat Uno Evolution com sistema start/stop já responde por 10% das vendas do modelo

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Testes
Publicado em: 14 Jan 2015 07:40:00

Nenhum comentário:

Postar um comentário