30 de set de 2015

Teste do Renault Duster Oroch

Teste do Renault Duster Oroch

Criatividade é a resposta para qualquer crise. Com o mercado automotivo brasileiro enfrentando uma retração nas vendas de 20% em relação ao ano passado, a Renault resolveu tentar algo diferente. Criou uma versão picape do utilitário esportivo Duster, inédita em todo o mundo. Assim surgiu o Duster Oroch, a primeira picape da marca francesa, desenvolvida pelo RTA – Renault Tecnologia Américas – e fabricada no Paraná. Escolhido pela sonoridade forte, o nome Oroch, segundo o marketing da Renault, foi “emprestado” de uma etnia que habitava a fronteira da Rússia com a Ucrânia. A proposta do novo produto é se posicionar entre as picapes compactas – Fiat Strada, Volkswagen Saveiro e Chevrolet Montana – e as médias – Chevrolet S10, Toyota Hilux, Ford Ranger, Volkswagen Amarok, Nissan Frontier e Mitsubishi L200.  A Oroch é produzida apenas em versão cabine dupla. Tem 36 cm a mais que o Duster, no comprimento, e 15 cm a mais no entre-eixos. A suspensão traseira é independente multilink, como na versão 4X4 do SUV. A capacidade volumétrica da caçamba é de 683 litros e a capacidade de carga é de 650 quilos, independentemente da motorização. Esses valores são praticamente idênticos aos da concorrente Strada cabine dupla – a picape da Fiat leva apenas três litros a menos e pode carregar o mesmo peso na caçamba. Mas ficam bastante aquém da picape média mais vendida do país, a S10, que transporta na caçamba até 1.570 litros e 944 kg na versão básica Advantage 2.4 FlexPower 4X2. Os motores da Oroch são os mesmos que movem o Duster e a tração é sempre dianteira. O bicombustível 1.6 litro 16V de 115/110 cv vem com o câmbio manual de cinco marchas e o motor flex 2.0 litros 16V de 148/143 cv traz o câmbio manual de seis marchas. Opções com tração 4X4 e com câmbio automático, já oferecidas no Duster, deverão ser apresentadas na picape em 2016. 

O design da Oroch é assinado pelo Technocentre da Renault, na França, em parceria com o Renault Design América Latina – RDAL –, instalado na capital paulista. A frente é praticamente igual à do “face-lift” do Duster, apresentado em abril desse ano. A grade frontal incorpora o mesmo logo avantajado que caracteriza a atual “assinatura visual” da Renault e os faróis são idênticos, assim como os parachoques bojudos. As novidades na carroceria efetivamente começam depois das portas traseiras, onde a caçamba alta da Oroch substitui o porta-malas do Duster. Na tampa traseira da picape, o nome Oroch aparece em letras cromadas e duas grandes lanternas em forma de flecha completam o conjunto. Se, em termos de caçamba, a Oroch não leva grande vantagem em relação às concorrentes compactas de cabine dupla, seu amplo espaço interno e o fácil acesso aos bancos traseiros são os mesmos do Duster – algo que aproxima a picape da Renault das concorrentes médias. É difícil perceber as diferenças no habitáculo entre o interior do Duster e o da Oroch. Em termos estéticos, os mesmos detalhes em “black piano” valorizam a parte central do tablier, que reúne as saídas de ar centrais e o Media Nav Evolution. A ampla interatividade com os smatphones aumenta consideravelmente o potencial de informação e entretenimento da picape. Nos modelos Dynamique, que oferecem o Media Nav, o volante incorpora alguns comandos satélites do equipamento.

Os preços da Oroch endossam a estratégia de marketing de posicioná-la entre as picapes compactas “top” e as médias “de entrada”.  A versão Expression 1.6 começa em R$ 62.290. A intermediária Dynamique 1.6 parte de R$ 66.790. E, enquanto as versões 4X4 e automática não chegam, a Oroch mais cara é a Dynamique 2.0, que começa em R$ 70.790. Mas os preços podem ir bastante além disso se o comprador optar pelos diversos equipamentos opcionais e acessórios de personalização. Alguns deles são até bastante interessantes e funcionais, como capota marítima ou o extensor de caçamba – que permite transportar uma motocicleta. Para o início de 2016, a Oroch irá encarar uma nova concorrente: a Fiat Toro, picape que a marca italiana irá posicionar num segmento acima da Strada, para disputar com as médias. A briga promete.

Ponto a ponto

Desempenho - O motor 1.6 16V de 115/110 cv de potência e 15,9/15,1 kgfm de torque com gasolina/etanol da Duster Oroch Dynamique impulsiona o carro de maneira digna, sem esbanjar ou sonegar força. Atende quem gosta de dirigir de forma racional, sem arroubos de esportividade. Nessa motorização, a quarta e a quinta marchas são mais longas, para favorecer a economia. Nota 7. Estabilidade - Por ser um veículo pesado e alto, com a suspensão mais elevada que a do Duster, poderia se esperar que a Oroch fosse desengonçada nas curvas. Inusitadamente, o acerto do conjunto suspensivo foi tão bem-feito que a picape parece mais estável e bem assentada que o SUV. Em trechos de off-road leve, transmite percepção de robustez e confiabilidade. Uma ligeira sensação de instabilidade só aparece em altas velocidades, acima dos 130 km/h. Ou seja, no uso civilizado para uma picape, a Oroch 1.6 Dynamique tem comportamento eficiente e agradável. Nota 8.

Interatividade - Assim como ocorre no Duster, quase todos os comandos da Oroch são bem localizados – exceto a regulagem dos retrovisores externos, que fica no console central. A tela de 7 polegadas “touch” com sistema multimídia NAV, como ocorre no Duster, poderia estar situada em uma posição mais elevada, para facilitar a visualização do motorista. O pneu estepe fica embaixo da parte traseira do veículo, deixando a caçamba livre para o transporte de carga. Outro ponto positivo é que os vidros traseiros contam com acionamento elétrico em todas as versões. O santantônio e o rack de teto estilizados proporcionam a possibilidade de carregar até 80 kg no teto do carro e são úteis para permitir uma amarração segura das cargas altas. Nota 7. Consumo - É um destaque positivo da picape da Renault. Ambos os motores da Oroch recebem nota “A” em consumo no Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular (PBEV). A função EcoMode, que pode ser acionada por meio do botão localizado no painel central, limita a potência e o torque do motor, além de reduzir a potência do ar-condicionado. Segundo a Renault, permite uma redução de 10% no consumo de combustível. E o indicador de trocas de marchas Gear Shift Indicator (GSI) ainda sugere quando reduzir ou aumentar a marcha, para aproveitar melhor o motor. Nota 9.

Tecnologia - A grande atração tecnológica da Oroch é o Media NAV Evolution, de série nas versões Dynamique 1.6 e 2.0. Ele permite acesso às mídias sociais, Facebook e Twiter, consultar por meio do aplicativo Aha, via smartphone, as bases de dados TripAdvisor, Yelp, Custom Weather e acesso a web rádios de todo o mundo, além de informações de trânsito em tempo real para algumas cidades, por meio da tecnologia TMC (Traffic Message Channel). Para os usuários de iPhone é possível utilizar o aplicativo Siri, que permite usar comandos voz do motorista para realizar buscas de músicas e pessoas da lista de contatos. Nota 8. Conforto - A picape Renault surpreende positivamente nesse aspecto. Os bancos e volante têm regulagem de altura e profundidade. O habitáculo oferece amplos espaços para pernas e cabeças. A suspensão da picape teve um ajuste elogiável e absorve bem os eventuais desnivelamentos do piso. Nota 8.

Habitabilidade - Outro ponto forte de Oroch. É fácil entrar e sair, devido ao bom ângulo de abertura das portas. Os porta-objetos existentes suprem com eficiência as demandas cotidianas. Na traseira, é possível transportar três pessoas com tranquilidade. A caçamba leva 683 litros, pouco mais que as concorrentes compactas de cabine dupla. Nota 8. Acabamento - O interior da Oroch mantém o padrão simples do Duster, algo coerente com o aspecto um tanto rústico de ambos os modelos. Os plásticos são rígidos, mas não transmitem sensação de baixa qualidade e até combinam com o acabamento preto brilhante. Os botões com moldura cromada completam bem o conjunto. Nota 7.
Design - A frente do Oroch adota os traços do face-lift que o Renault Duster recebeu no início do ano. A caçamba foi introduzida na traseira de forma harmônica, sem aspecto de “gambiarra”. Suas dimensões impõem mais “presença em cena” que as picapes compactas concorrentes e até consegue se aproximar visualmente das picapes médias de cabine dupla – sem ser tão “grandalhona” quanto elas. Nota 7. Custo/Benefício - A versão mais barata é a Expression 1.6, que começa em R$ 62.290. A intermediária é a Dynamique 1.6, que parte de R$ 66.790. E a Oroch mais cara é a Dynamique 2.0, que começa em R$ 70.790. Os valores atendem à premissa da marca de posicionar o modelo entre as picapes compactas “top” e as versões mais básicas das picapes médias de cabine dupla. Nota 7. Total - O Renault Duster Oroch 1.6 Dynamique somou 76 pontos de 100 possíveis.

Primeiras impressões

Renault Duster Oroch 1.6 Dynamique

O trabalho da engenharia da marca francesa na suspensão da Oroch foi tão bem-sucedido que torna-se difícil notar diferenças de dirigibilidade entre a picape e o utilitário esportivo. Fica até a ligeira impressão de que a Oroch, por ser mais alongada e pesada, ficou mais dócil e “amistosa” que o Duster, principalmente nos trechos sinuosos feitos em alta velocidade. A picape da Renault quica pouco e transmite um “handling” bem próximo ao dos carros de passeio da marca francesa. Em termos de desempenho, a versão avaliada – a Dynamique 1.6, equipada com os opcionais capota náutica e bancos em couro – não é a mais recomendada para quem busca esportividade. Com seus 148/143 cv de potência e 20,9/20,2 kgfm de torque, o motor 2.0 obviamente oferece uma performance mais entusiasmante que a versão 1.6, com seus 115/110 cv de potência e 15,9/15,1 kgfm de torque. Porém, o motor 1.6 entrega desempenho honesto. E oferece uma vantagem importante: é mais barato e mais econômico que o 2.0. Nos bicudos tempos atuais, um pouco de racionalidade é um atributo nada desprezível.

Ficha técnica

Renault Duster Oroch

Motor 1.6: A gasolina e etanol, dianteiro, transversal, 1.598 cm³, com quatro cilindros em linha, quatro válvulas por cilindro, comando duplo no cabeçote. Acelerador eletrônico e injeção eletrônica multiponto sequencial.
Transmissão: Manual de cinco marchas à frente e uma a ré. Tração dianteira.
Potência máxima: 110 cv e 115 cv com gasolina e etanol a 5.750 rpm.
Aceleração: 0-100 km/h: 14,3 e 13,2 segundos com gasolina e etanol.
Velocidade máxima: 160 km/h e 164 km/h com gasolina e etanol.
Torque máximo: 15,1 kgfm e 15,9 kgfm com gasolina e etanol a 3.750 rpm.
Diâmetro e curso: 79,5 mm X 80,5 mm.
Taxa de compressão: 9,8:1. Motor 2.0: A gasolina e etanol, dianteiro, transversal, 1.998 cm³, com quatro cilindros em linha, quatro válvulas por cilindro, comando duplo no cabeçote. Acelerador eletrônico e injeção eletrônica multiponto sequencial.
Transmissão: Câmbio manual de seis marchas a frente e uma a ré. Tração dianteira. Potência máxima: 143 cv e 148 cv com gasolina e etanol a 5.750 rpm.
Aceleração: 0-100 km/h: 10,6 e 9,7 segundos com gasolina e etanol.
Velocidade máxima: 178 km/h e 186 km/h com gasolina e etanol 
Torque máximo: 20,2 kgfm e 20,9 kgfm com gasolina e etanol a 4 mil rpm.
Diâmetro e curso: 82,7 mm X 93,0 mm.
Taxa de compressão: 11,2:1.
Suspensão: Dianteira do tipo McPherson com amortecedores hidráulicos telescópicos, triângulos inferiores e molas helicoidais e barra estabilizadora. Multilink independente e MacPherson, amortecedores hidráulicos telescópicos e barra estabilizadora. Não possui controle eletrônico de estabilidade.
Pneus: 215/65 R16.
Freios: Discos ventilados na frente e tambores atrás. Oferece ABS.
Carroceria: Picape em monobloco com quatro portas e cinco lugares. Com 4,69 metros de comprimento, 1,82 m de largura, 1,69 m de altura e 2,82 m de entre-eixos. Oferece airbag duplo frontal.
Peso: 1.292 kg com motor 1.6 e 1.346 kg com motor 2.0. 
Capacidade da caçamba: 683 litros.
Carga útil: 650 kg.
Capacidade tanque de combustível: 50 litros. 

Itens de série e Preços

Versão "Expression 1.6": airbag duplo, freios com ABS, direção hidráulica, travas elétricas, volante com regulagem da altura, ar-condicionado, rodas aro 16 polegadas de liga leve na cor “Alumínio”, alerta sonoro de luzes acesas, rádio CD MP3 com 4 alto falantes (3D Sound by Arkamys) + USB + Bluetooth, vidros elétricos, alarme perimétrico, chave com comando de travamento a distância, comando de áudio e celular na coluna de direção (comando satélite), assento do condutor com regulagem de altura, desembaçador do vidro traseiro, sistema CAR (travamento automático das portas a 6 km/h), barras no teto, santantônio, protetor de caçamba. 
Preço: 62.990.
Opcionais: Retrovisor elétrico e faróis de neblina (R$ 700).
Versão "Dynamique 1.6": adiciona Media NAV Evolution com funções Eco-Coaching e Eco-Scoring, faróis de neblina, rodas aro 16 polegadas de liga leve na cor “Cinza Escuro”, piloto automático, comando elétrico dos retrovisores, sensor de estacionamento, volante com acabamento em couro, computador de bordo, indicador de temperatura externa e vidros do motorista com comando one touch.
Preço: R$ 66.790.
Opcional: Bancos de couro (R$ 1.700)
Versão "Dynamique 2.0": Mesmos itens da Dynamique 1.6.
Preço: R$ 70.790.
Opcional: Bancos em couro (R$ 1.700).
Solução na caçamba - Para crescer em tempos recessivos, Renault lança a Oroch, a versão picape do utilitário esportivo Duster

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Testes
Publicado em: 30 Sep 2015 08:10:00

Nenhum comentário:

Postar um comentário