10 de set de 2015

Teste da segunda geração do Volvo XC90

Teste da segunda geração do Volvo XC90

Até o ano 2000, a Volvo Car era a divisão de automóveis do Grupo Volvo, que produz caminhões, chassis de ônibus, motores navais e equipamentos industriais. Na virada do milênio, a holding sueca vendeu seu departamento de veículos de passeio para a norte-americana Ford. Lá, a Volvo Car passou a formar a divisão Premier Automotive Group, junto com as marcas britânicas Aston Martin, Jaguar e Land Rover e as norte-americanas Lincoln e Mercury. Com a crise na primeira década desse século, a Ford se desfez das marcas do Premier Group e em 2010 a Volvo Car foi arrebatada pela holding chinesa Geely, que controla a marca de automóveis homônima. No Salão de Paris do ano passado, a Volvo exibiu o primeiro produto “pós-Ford” totalmente novo: a segunda geração do XC90. O utilitário esportivo de sete lugares chega agora ao Brasil com a missão de reforçar a imagem de luxo da fabricante sueca por aqui. O objetivo é brigar pela fatia mais elitizada do mercado automotivo nacional com as alemãs Audi, BMW e Mercedes-Benz e a inglesa Land Rover.

Veja também:
  • Volvo prepara XC90 R Design
A estratégia global da marca sueca é reposicionar gradualmente seus produtos. Antes, disputavam quase sempre a base do segmento de luxo. Agora, a proposta é brigar entre as versões “top”. E o XC90 é o primeiro produto lançado dentro dessa postura mais requintada. A renovação em relação ao utilitário esportivo lançado em 2003 foi expressiva. O novo XC90 foi concebido a partir da versátil plataforma SPA – Scalable Product Architecture. Por fora, preserva o visual sério e elegante, mas acrescenta algumas pitadas de modernidade. Os faróis são em leds e formam um desenho que lembra um “T” deitado – o criativo maketing da Volvo afirma que o grafismo dos leds remete ao “martelo de Thor”. Na nova grade, o “iron mark” – o logotipo da Volvo – continua alinhado com o friso diagonal. Na traseira, as lanternas verticais foram remodeladas e fazem lembrar duas foices invertidas.

No interior, o Volvo XC90 expressa uma elegância minimalista, sem exageros, típica da escola escandinava de design. A Volvo optou por um ambiente mais aconchegante, com poucos botões. Muitas funções dos comandos de áudio, telefone, GPS e ar-condicionado estão concentradas no monitor “touchscreen” de LCD de 9 polegadas, instalado no centro do painel. O painel de instrumentos de 12,3 polegadas é digital. Nos revestimentos, o couro de alta qualidade, as madeiras com desenho artesanal e os detalhes em alumínio se harmonizam. Os bancos de couro são totalmente novos e os dianteiros disponibilizam regulagem elétrica com memória. Os assentos da segunda e terceira fileira são deslizantes e reclináveis. O ar-condicionado é quadrizone e o teto solar é panorâmico. Na Europa, o XC 90 tem disponíveis dois motores a gasolina e um a diesel, todos 2.0 litros. Para o Brasil virá inicalmente apenas a opção a gasolina, o T6 da família E-Drive. Usa turbo e compressor unidos para despejar 320 cv e torque de 40,7 kgfm. Todas as versões são equipadas com transmissão automática de oito velocidades e tração integral.

Mas foi nos equipamentos que a Volvo marcou a “evolução da espécie”. O novo XC90 traz  níveis de tecnologia e sofisticação jamais atingidos por um veículo da marca, principalmente na versão “top” Inscription. É o primeiro SUV de luxo vendido no Brasil com tecnologia semiautônoma de auxílio ao motorista. Sensores e câmaras monitoram as faixas das vias e o veículo à frente no trânsito, enquanto o sistema comanda a aceleração, a frenagem e a movimentação do volante em curvas leves, em velocidades de até 50 km/h. Acima disso, o sistema torna-se um controle de cruzeiro adaptativo, com assistência automática de freio e acelerador. O Sistema de Alerta de Mudança de Faixa corrige o volante se o carro estiver invadindo a faixa, enquanto o Sistema de Alerta ao Motorista detecta e avisa condutores desatentos. Os freios são acionados automaticamente caso o motorista tente virar à frente de outro carro que venha em sentido contrário. O SUV da Volvo detecta um potencial choque e freia sozinho, tanto para evitar a colisão como para reduzir as consequências do acidente. Para alegria dos “puristas”, todos os sistemas de auxílio semiautônomo podem ser desativados. Em termos de entretenimento, o destaque da versão topo de linha é o sistema de som Bowers & Wilkins, que é de altíssima qualidade, com 1.400 watts e 19 alto-falantes.  No Brasil, a proposta do XC90 é atrair os consumidores de utilitários esportivos luxuosos de porte similar, como Land Rover Range Rover Sport, BMW X5, Audi Q7 e Mercedes-Benz ML. O preço parte de R$ 319 mil na versão Momentum e atinge R$ 363 mil na Inscription. A versão “top” do XC90 incorpora suspensão a ar, som Bowers & Wilkins, head up display, grade cromada, câmara dianteira, escapamento integrado aos para-choques traseiros, bancos em couro perfurado e rodas aro 20, entre outros itens.

Ponto a Ponto 

Desempenho – O XC90 é um utilitário esportivo que consegue fazer bonito em termos de performance – tanto como utilitário, quanto como esportivo. O motor 2.0 de 320 cv se entende bem com o câmbio de 8 velocidades e tração integral. Juntos, dão conta de mover o SUV de mais de duas toneladas com insuspeito desembaraço nas estradas, ruas ou trilhas. Segundo a Volvo, o XC90 sai da imobilidade e chega a 100 km/h em 6,5 segundos e tem velocidade máxima de 230 km/h. Nota 9. Estabilidade – O equilíbrio do XC90 nas retas e curvas em alta velocidade é realmente impressionante – principalmente levando em consideração que se trata de um utilitário esportivo, com centro de gravidade elevado. Em qualquer piso, nas retas e nas curvas, a percepção de segurança a bordo do XC90 é grande. A versão Inscription também traz o Chassi Four-C, com o sistema de suspensão por bolsas de ar. Nos modos de condução, é possível ajustar a altura mais adequada de rodagem, de acordo com o piso. A altura da carroceria também pode ser alterada para funções específicas, como a de carga do porta-malas. Nota 10.

Interatividade – Por meio de um seletor no console central, o motorista pode escolher seu modo de condução: Comfort, Eco, Dynamic e Off Road. Cada seleção oferece um ajuste específico para motor, transmissão, direção, economia de combustível e até mesmo o layout do painel. O interior é elegante, com poucos botões. Talvez por isso, acessar algumas das informações do computador de bordo pode parecer um pouco complicado. A tela sensível ao toque se transforma na principal interface de controle que substitui quase todos os botões, com exceção de algumas funções como volume, play e pause, pisca-alerta e aquecedores de bancos. Com o uso, na grande maioria das situações, os comandos do sedã se revelam intuitivos. Nota 9. Consumo – A Volvo informa um consumo em percurso combinado, urbano e estrada, de até 12,5 km/l. É ver para crer. Nota 7. Conforto – A suspensão do Volvo XC90 é uma eficiente obra de engenharia automotiva. A combinação do conjunto suspensivo bem acertado com os bancos anatômicos e confortáveis torna as viagens no XC90 bem agradáveis. Os generosos espaços e a qualidade dos revestimentos reforçam esse aspecto aconchegante e requintado do novo Volvo. Nota 10.
Tecnologia –  A Volvo considera o XC90 o modelo mais seguro e tecnológico que já produziu. O carro traz sistemas inéditos como o controle de cruzeiro adaptativo com assistente de condução, que controla freio, acelerador e a direção do carro em situações de trânsito, a nova geração do City Safety, que detecta carros, pedestres e ciclistas até mesmo no escuro. Agora, o sistema também freia automaticamente em cruzamentos, se detectar um carro vindo no sentido contrário. O Sistema de Leitura de Placas de Sinalização de série foi aprimorado para mostrar uma extensa seleção de placas de trânsito em um display digital na frente do motorista, bem como uma variedade de placas complementares das vias. O XC90 também dispõe do exclusivo sistema de proteção em saída de estrada, que aumenta a segurança dos ocupantes caso o carro saia da pista em um acidente. O assistente de estacionamento manobra o carro automaticamente em vagas perpendiculares e paralelas. A versão Inscription traz ainda o Head Up Display, que projeta as principais informações do painel à frente do motorista, alertas de tráfego lateral e de colisão traseira, além do BLIS – alerta de ponto cego –  e o sistema de Visão 360º, que projeta na tela central uma visão aérea completa ao redor do veículo. Na parte de entretenimento, os itens de conforto estão concentrados na tela central de 9 polegadas sensível ao toque, que permite ao motorista e ao passageiro controlar o sistema de som premium, o Sensus Navigation Pro e o ar-condicionado digital com quatro zonas individuais de refrigeração. Na versão Inscription, o excepcional som Bowers & Wilkins simula, dentre outros ambientes, a sala de concertos da Orquestra Filarmônica de Gotemburgo. Um abuso. Nota 10. Habitabilidade – O Volvo XC90 se propõe a levar sete pessoas com conforto. Os lugares da terceira fileira, ao contrário do que ocorre em alguns modelos de sete lugares, não parecem improvisados. E efetivamente servem para levar adultos com conforto – desde que não sejam altos demais. Como qualquer utilitário esportivo, o XC90 é um veículo alto, o que facilita o acesso ao interior. E é possível acessar os bancos da terceira fileira sem maiores contorcionismos. Nota 9.
Acabamento – Trata-se do Volvo mais requintado jamais produzido – nada deixa a desejar em relação aos concorrentes no segmento de utilitários esportivos grandes de luxo. Elegância e bom gosto são fáceis de perceber em cada detalhe. Alto padrão. Nota 10. Design – O XC90 é um modelo de design externo sóbrio e rústico, mas bastante simpático e elegante. Seu estilo um tanto quadradão inspira robustez. Por dentro, o visual denota mais requinte e modernidade. Até um certo “orgulho cívico” é revelado pelas bandeirinhas azuis com uma cruz amarela que aparecem junto ao nome do carro, na tampa do bagageiro, e em uma pequena etiqueta nos bancos de couro. Para uma marca controlada por um grupo chinês, reafirmar sua origem sueca em pequenos detalhes pode ser uma boa estratégia de marketing – principalmente para quem pretende crescer no segmento de automóveis de luxo. Nota 8Custo/Benefício – O XC90 não é barato. A Volvo confirmou que o preço no Brasil será R$ 319 mil na versão Momentum e R$ 363 mil na versão Inscription. Mas tais valores o tornam competitivo em relação aos SUVs de luxo concorrentes. Nota 6. Total – O Volvo XC90 somou 88 pontos em 100 possíveis.

Primeiras impressões

Bom Jardim da Serra/SC - Os 230 km de sinuosos caminhos que separam a litorânea capital catarinense da cidade de Bom Jardim da Serra, localizada 1.245 metros acima do nível do mar, serviram de “campo de provas” para o novo XC90. Enquanto subia e descia a serra catarinense, o utilitário esportivo da Volvo teve oportunidade de percorrer algumas estradas razoavelmente asfaltadas, diversas ruas pessimamente pavimentadas, trilhas de terra e até trechos off-road, com muita lama e pedras. Ou seja, uma síntese dos caminhos que se encontra por esse Brasil afora. Por todos os trajetos percorridos, o conjunto mecânico formado pelo motor 2.0 de quatro cilindros e 320 cv e o câmbio automático de 8 velocidades mostrou-se mais que suficiente para mover com desenvoltura as mais de duas toneladas de Volvo. Tão bem que dá ao motorista a sensação de que dirige um veículo bem menor e mais leve. A intensa carga de tecnologia embarcada no XC90 confere ao motorista uma agradável percepção de estabilidade e segurança. No asfalto, o “powertrain” oferece retomadas impressionantes e proporciona ultrapassagens seguras. Embora o câmbio automático seja bastante eficiente, ainda há a possibilidade de acionar as marchas manualmente, através da manopla do câmbio. O isolamento acústico e o equilíbrio do conjunto são tão precisos que é possível manter uma velocidade de cruzeiro de 180 km/h e a impressão de quem está a bordo é que se está a 100 km/h. Na versão Inscription, dotada do Chassi Four-C, o sistema de suspensão por bolsas de ar reforça a capacidade de adaptação do veículo às diferentes condições da pavimentação. Nos trechos off-road, o SUV sueco também mostrou bravura e seguiu viagem sem resfolegar. No fim das contas, a conclusão é que o XC90 pode dar trabalho à concorrência.

Ficha técnica

Volvo XC 90 

Motor: A gasolina, dianteiro, transversal, 1.996 cm³, quatro cilindros em linha, quatro válvulas por cilindro com turbocompressor. Injeção direta de combustível. 
Transmissão: Câmbio automático de oito velocidades a frente e uma a ré. Oferece sistema de tração integral. 
Potência máxima: 320 cv a 5.700 mil rpm.
Diâmetro e curso: 82 mm x 93,2 mm.
Taxa de compressão: 10,8.
Aceleração de zero a 100 km/h: 6,5 segundos.
Velocidade máxima: 230 km/h. 
Torque máximo: 40,7 kgfm entre 2.200 e 5.400 rpm. 
Suspensão: Dianteira independente com braços duplos e molas helicoidais. Traseira com ligações integrais e molas helicoidais. Suspensão adaptativa a ar como opcional. Oferece controle de estabilidade. 
Pneus: 235/55 R19.
Freios: Discos ventilados na frente e atrás. Oferece ABS com EBD e assistência de frenagem eletrônica. 
Carroceria: Utilitário esportivo em monobloco com quatro portas e sete lugares. Com 4,95 metros de comprimento, 2,14 m de largura, 1,77 m de altura e 2,98 m de entre-eixos. 
Peso em ordem de marcha: 2.125 kg.
Capacidade do porta-malas: 692 litros.
Capacidade tanque do combustível: 71 litros. 
Produção: Torsland, Suécia.

Itens de série e Preços

T6 Momentum Drive-E: controle de áudio no volante, sistema de áudio com 10 alto-falantes, assentos dianteiros com regulagem elétrica e aquecimento, assento para crianças no banco traseiro, capacidade para sete lugares, ar-condicionado digital de quatro zonas com saída para porta-luvas, purificador de ar, sistema de climatização exclusivo para terceira fileira, teto solar panorâmico, painel de instrumentos digital de 12,3 polegadas, painel central de LCD de nove polegadas touchscreen, airbags frontais, laterais e de cortina, assistente de frenagem de emergência, cintos de segurança com pré-tensores e limitador de esforço, frenagem automática para veículos, pedestres e ciclistas com visão noturna, controle eletrônico de estabilidade, controle eletrônico anticapotamento, sistema de alerta ao condutor, sistema de alerta para troca de faixa, partida sem chave, configurador de modo de condução, controle adaptativo de cruzeiro, sensores de estacionamento dianteiro e traseiro, assistente de estacionamento paralelo e perpendicular, Volvo on Call, faróis full led, espelhos retrovisores elétrico com desembaçador, memória e indicador de luzes em led, rodas de liga leve aro 19. 
Preço: R$ 319 mil.
T6 Inscription Drive-E: acrescenta sistema de áudio Sensus by Bowers & Wilkins com 19 alto-falantes com subwoofer com 1.400 watts, assento dianteiro com suporte lateral elétrico e ventilação, assentos traseiros com climatização, encosto de cabeça elétrico para segunda fileira de bancos, alerta de colisão traseira e de trafego lateral, sistema de alerta de ponto cego, câmara com visão aérea de 360º, câmara com visão frontal de 180º, head up display, acabamento interno Metal Mesh Aluminium, pacotes de luzes do interior Premium, escapamento duplo integrado ao para-choque, friso lateral cromado, grade frontal cromada ,moldura cromada no para-choque traseiro,  soleira da porta em alumínio com iluminação, sistema de suspensão a ar e rodas aro 20.  
Preço: R$ 363 mil.
Autor: Luiz Humberto Monteiro Pereira (Auto Press)
Fotos externas da versão Momentum (modelo preto): Luiz Humberto Monteiro Pereira/Carta Z Notícias - Foto externa e do interior da versão Inscription (modelo branco): Pedro Bicudo/divulgação

Postura elitista - Com o novo XC90, a sueca Volvo espera se afirmar como marca de luxo no Brasil

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Testes
Publicado em: 09 Sep 2015 08:23:00

Nenhum comentário:

Postar um comentário