3 de jul de 2015

Primeiras impressões do novo Audi Q3

Primeiras impressões do novo Audi Q3

Aos poucos, a Audi vem pavimentando o caminho para a retomada de uma produção sustentável no Brasil. Primeiro, quando passou a importar o sedã A3, em janeiro de 2014, e logo em seguida incluiu versões com preços bem atraentes para embalar as vendas – afinal, o sedã será primeiro produto dessa nova fase da empresa a sair das linhas paranaenses de São José dos Pinhais, em setembro. Agora, faz coisa semelhante com o crossover Q3, que também terá uma versão nacional no começo de 2016. A marca aproveitou o face-lift promovido neste início de ano na Europa para ampliar o line-up do modelo. Até agora, o utilitário só era vendido por aqui com motorização turbo de 2.0 litros e configurações que custavam a partir de R$ 150 mil. Agora, com a cara renovada, a Audi evoluiu as versões já existentes e incluiu o propulsor 1.4 TFSI, por 127.190, na versão Attraction, e R$ 144.190, na Ambiente.

Veja também:
  • Novo Audi Q3 vem com motor 1.4 TFSI
Este propulsor é da família EA211, a mesma aplicada no Audi A3 sedã e no Volkswagen Golf 1.4 e receberá uma versão turbo flex produzida na fábrica de motores da Volkswagen em São Carlos, interior de São Paulo. Só que no três-volumes ele rende 122 cv, no hatch chega a 140 cv e no Q3 vai a 150 cv. Para alcançar este resultado foi preciso uma verdadeira reengenharia. Entre outras coisas, foram trocadas várias peças para reduzir o peso, a inércia e o atrito – o peso total do propulsor foi reduzido em 22 kg – e a corrente de comando, que é em aço no A3, foi trocada por um correia dentada com revestimento antiaderente. O propulsor 2.0, que tinha configurações de 170 cv e 211 cv, não passou por uma reforma tão profunda, mas também foi “azeitado”. Ele agora rende 180 cv nas versões Attraction e Ambiente e 220 cv na versão Ambition. Todas recebem o sistema de tração integral Quattro e custam, respectivamente, R$ 145.190, R$ 165.190 e R$ 190.190.

Na parte visual, o Q3 adota a linguagem estética apontada pelo novo Q7. A principal mudança está na grade dianteira, que recebe uma grossa moldura pintada de prateado que chega a tocar na parte interna dos faróis. Todas as luzes dianteiras foram concentradas no conjunto ótico: faróis alto e baixo, assinatura em led e farol de neblina. O para-choque ficou bem semelhante ao utilizado na versão esportiva RS Q3, com molduras bem protuberantes abaixo dos faróis. Só que no RS Q3 há ali uma tomada de ar para os freios, enquanto no Q3 é apenas estético, não há qualquer abertura. Na traseira, as lanternas pasaram a ser em led e tiveram as seções redefinidas. Já os refletores foram alongados e acompanham a curva do para-choque.

Desde a versão de entrada Attraction, o Q3 tem um conteúdo compatível com o segmento premium. Além de obrigatórios trio elétrico, ar, direção, de relevante ela traz faróis bixênon, sensores de luz, chuva e obstáculos traseiro, rodas aro 17, revestimento dos bancos em couro sintético, volante multifuncional com borboletas para troca de marcha, sistema multimídia com comando de voz e start/stop. Entre os itens de segurança há controle de estabilidade e tração e seis airbags.

A Ambiente ganha rodas aro 18, ar bizone, tampa do porta-malas e teto solar elétricos e retrovisor eletrocrômico. A Ambiente 2.0 ainda recebe o Audi Drive Select, que permite mudar parâmetros de motor, suspensão, direção e câmbio para uma condução voltada para o conforto ou para a esportividade. A topo de linha Ambition traz de série bancos elétricos e sistema multimídia MMI Plus com navegação, equipamento vendido como opcional nas demais versões por R$ 10.500.

Mesmo antes da chegada das versões com motor 1.4, o Audi Q3 vinha apresentando um bom desempenho de vendas. No ano passado, manteve uma média de 320 unidades mensais. Neste ano, as vendas já ficaram bem parelhas com as do Range Rover Evoque, em torno de 400 carros/mês. Com essa ampliação da gama, a projeção é que as vendas subam em, pelo menos, 25% e cheguem mensalmente a 500 unidades. Nada mal como preparação para a chegada dos produtos feitos no Brasil.

Primeiras impressões

Dinâmica de precisão

São Paulo/SP – O mínimo que se exige de um modelo vendido como premium é que ele transmita a sensação de solidez quando é posto em movimento. Ou seja: o carro deve passar a impressão que “sabe o que está fazendo”. No caso do Q3, ele não só deixa claro que controla a situação como ainda instiga a quem está no volante a tentar extrair um pouco mais do que tem a oferecer. O limite fica por conta do ambiente em que se encontra. No lançamento, por exemplo, o teste foi realizado em rodovias públicas.
No primeiro trecho, o modelo era um Ambiente 2.0 completo. O ganho na potência, passou de 170 cv para 180 cv, deu mais agilidade na hora de acelerar. No zero a 100 km/h, a Audi mediu 7,6 segundos contra 7,8 segundos da antiga motorização, mas a consistência no ganho de velocidade é capaz de impressionar. Nas retomadas, o câmbio de dupla embreagem e sete marchas se encaixa rapidamente sem maiores trancos. Quando se coloca o Audi Drive Select no modo mais esportivo, chamado de Dynamic a direção e a suspensão ficam mais firmes enquanto motor e câmbio passam a responder de forma mais abrupta às solicitações. No modo Comfort, ao contrário, tudo fica um pouco mais frouxo. E macio. Mas a maior novidade do dia era mesmo a motorização 1.4. A príncípio, parece um abuso querer que um motor desse tamanho consiga lidar bem com um crossover de pouco mais de 1.400 kg. Nada disso. Os 150 cv dão até alguma desenvoltura ao modelo. Isso, aliado ao comportamento dinâmico bastante equilibrado – tanto pelo ajuste de suspensão quanto pela rigidez da estrutura –, faz do Q3 um carro agradável e bastante desejável.
Em qualquer versão, o SUV médio da Audi recebe bem os ocupantes. É claro que a vida a bordo é melhor nas versões superiores, com teto solar panorâmico, banco de ajustes elétricos e ar condicionado digital bizone. Mas seja na Attraction, seja na Ambiente, o interior é igualmente confortável e elegante, embora não traga sinais exteriores de requinte. Os materias de revestimento não são exatamente nobres: o couro dos bancos é sintético e os plásticos rígidos do interior não têm toque agradável. Mas há qualidade nos encaixes das peças, cuidado nos detalhes e bom gosto na composição. Características que reafiram a condição de modelo premium.

Ficha técnica

Audi Q3 2016

Motor 1.4: Gasolina, dianteiro, transversal, 1.395 cm³, quatro cilindros em linha, quatro válvulas por cilindro e comando duplo de válvulas no cabeçote. Duplo sistema de injeção de combustível, direta e multiponto. Acelerador eletrônico e turbocompressor com intercooler.
Transmissão: Câmbio automatizado de dupla embreagem com seis velocidades à frente e uma a ré. Tração dianteira. Oferece controle eletrônico de tração.
Potência máxima: 150 cv entre 5 mil e 6 mil rpm.
Aceleração 0-100 km/h: 8,9 segundos.
Velocidade máxima: 204 km/h.
Torque máximo: 25,5 kgfm entre 1.500 e 3.500 rpm.
Diâmetro e curso: 74,5 mm x 80 mm.
Taxa de compressão: 10:1. Motor 2.0: Gasolina, dianteiro, transversal, 1.984 cm³, quatro cilindros em linha, quatro válvulas por cilindro e comando duplo de válvulas no cabeçote. Injeção direta de combustível, acelerador eletrônico e turbocompressor com intercooler.
Transmissão: Câmbio automatizado de dupla embreagem com sete velocidades à frente e uma a ré. Tração integral. Controle eletrônico de tração.
Potência máxima: 180 cv entre 4 mil e 6.200 rpm (220 cv entre 4.500 e 6.200 rpm na versão Ambition).
Aceleração 0-100 km/h: 7,6 segundos (6,4 segundos na versão Ambition).
Velocidade máxima: 217 km/h (233 km/h na versão Ambition).
Torque máximo: 32,6 kgfm entre 1.400 e 3.900 rpm (35,7 kgfm entre 1.500 e 4.400 rpm na versão Ambition).
Diâmetro e curso: 82,5 mm x 92,8 mm.
Taxa de compressão: 9.6:1. Suspensão: Dianteira independente do tipo McPherson, com molas helicoidais, amortecedores hidráulicos e barra estabilizadora. Traseira independente do tipo multilink, com braços sobrepostos, molas helicoidais, amortecedores hidráulicos e barra estabilizadora. Controle eletrônico de estabilidade.
Pneus: 235/55 R17 (Attraction) e 235/50 R18 (Ambiente e Ambition).
Freios: Discos ventilados na frente e atrás. Oferece ABS e EBD.
Carroceria: Utilitário esportivo em monobloco, com quatro portas e cinco lugares. Com 4,39 metros de comprimento, 1,83 m de largura, 1,59 m de altura e 2,60 m de entre-eixos. Oferece airbags duplos frontais, laterais dianteiros e do tipo cortina.
Peso: 1.405 kg (com motor 1.4), 1.540 kg (com motor 2.0 de 180 cv) e 1.565 kg (com motor 2.0 de 220 cv).
Capacidade do porta-malas: 460 litros.
Tanque de combustível: 64 litros.
Produção: Martorell, Espanha.
Lançamento mundial: 2011.
Lançamento no Brasil: 2012.
Face-lift: 2015.

Itens de série e Preços

Attraction: Ar-condicionado, bancos, alavanca do câmbio e volante em couro, apoio de braço dianteiro, computador de bordo, sensor de luz e chuva, Isofix, start/stop, central multimídia MMI, airbags frontais, laterais e de cortina, alarme, assistente de partida em rampas, controle eletrônico de estabilidade e tração, faróis em xênon com ajuste automático de altura, lanternas de leds, sensor de estacionamento traseiro, rodas de liga leve de 17 polegadas e comando de voz. Com motor 2.0, banco do motorista com ajuste elétrico. Preço: R$ 127.190 (1.4) e R$ 145.190 (2.0).
Ambiente 1.4: Adiciona ar-condicionado automático de duas zonas, abertura e fechamento elétricos do porta-malas, bancos do motorista com ajustes elétricos e de lombar, retrovisor interno eletrocrômico, teto solar elétrico, rodas de liga leve de 18 polegadas, cruise control, teto solar elétrico e retrovisores externos rebatíveis eletricamente. Preço: R$ 144.190.
Ambiente 2.0: Adiciona Acabamento interno em alumínio, quatro modos de direção (econômico, conforto, esportivo e automático) e sensor de estacionamento dianteiro. Preço: R$ 165.190.
Opcional: central multimídia MMI Plus com sistema de navegação. Preço: R$ 10.500.
Ambition 2.0: Adiciona banco do carona com ajustes elétricos, central multimídia MMI com sistema de navegação. Preço: R$ 190.190.
Opcional: Alerta lateral para mudanças de faixa, sistema de partida sem chave e equipamento de som da Bose. Preço: R$ 7.500.
Fundamentos do mercado - Audi renova o visual do Q3 e cria versões mais baratas para preparar a chegada da produção nacional

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Testes
Publicado em: 03 Jul 2015 01:00:00

Nenhum comentário:

Postar um comentário