4 de fev de 2015

Vendas de picapes compactas cresceram mais de 10% no último ano

Vendas de picapes compactas cresceram mais de 10% no último ano

A decisão de qual automóvel comprar envolve diversos fatores. Algumas características são capazes de levar um determinado modelo ao topo da lista ou, em alguns casos, a ser desconsiderado sequer como última opção. Por isso, muitas vezes, a estratégia de reunir particularidades de categorias diferentes torna-se um grande diferencial. Caso das picapes compactas, que são tratadas como comerciais leves, mas já ganharam “status” de carro de passeio por possuírem comodidades dignas de qualquer hatch pequeno – principalmente as que entregam opções com cabine dupla. 

Veja também:

  • Picapes no Salão de Detroit 2015
Enquanto o mercado automotivo registrou queda de 7,1% em 2014, em comparação ao resultado de 2013, as picapes compactas subiram em mais de 10% suas vendas, passando das 246.139 unidades emplacadas em 2013, segundo a Fenabrave, para 272.356 no ano passado. Uma prova de que esses “hatches pequenos com caçamba” já alcançaram um patamar diferente – e de destaque – no país. “Das cabines simples, vimos a evolução para as estendidas e, em seguida, as duplas. Recentemente, ainda colocaram uma terceira porta. Ou seja, já se transportam quatro ou cinco passageiros nelas. Se vai ficar apertado ou não, é uma outra questão”, avalia Paulo Roberto Garbossa, da consultoria automotiva ADK.

Recordista da categoria, a Fiat Strada encerrou o ano passado com 153.130 exemplares vendidos. Número suficiente para deixá-la no terceiro lugar entre os carros mais vendidos do Brasil – perdeu apenas para o Volkswagen Gol e para o líder Fiat Palio. Chegou a ocupar a primeira posição em março último. E boa parte desse sucesso – são 14 anos no topo dos modelos mais vendidos entre as picapes compactas – está atrelado à terceira porta, inserida nas carrocerias com cabine dupla. Elas respondem atualmente por cerca de metade de todas as unidades comercializadas. “A indústria vem investindo e tornando estes modelos cada vez mais atrativos, aliando a robustez de uma picape média ao conforto, praticidade e tecnologia de um carro urbano de passeio”, defende Adriano Resende, Diretor de Marketing da Fiat Chrysler Automobiles – FCA.

A Volkswagen só lançou a Saveiro com cinco lugares – um a mais que a concorrente Fiat Strada, mas sem a terceira porta – em agosto do ano passado, 32 anos depois de seu lançamento. E hoje, seis meses depois, o share desta carroceria também já alcançou metade das vendas do modelo, sobrando 30% para as cabines estendidas e os outros 20% para as unidades com o habitáculo simples. Para Henrique Sampaio, gerente de Marketing do Produto da Volkswagen, a escolha de um automóvel no Brasil vai além do critério funcional do mesmo. “Além de atender quem quer um veículo para duas ou cinco pessoas e ainda contar com a caçamba – que pode ser coberta, simulando um porta-malas –, a picape é esportiva por natureza. E brasileiros valorizam o design”, justifica.

Mas outros pontos são defendidos como cruciais para estimular a compra de uma picape compacta. “O índice de desvalorização é menor que a média dos carros de passeio, mas com custo de manutenção semelhante”, pontua Adriano Resende, da FCA. E um ponto importante na conta final do veículo torna-se mais um atrativo. “O imposto é menor por se tratar de um comercial leve. Sem contar que não existe picape 1.0, elas já partem, no mínimo, de uma motorização 1.4”, frisa o consultor automotivo Paulo Roberto Garbossa, da ADK. 

A chegada das cabines duplas explicitou ainda mais a vocação profissional dos modelos com apenas dois lugares. Mas todos os consultados são unânimes ao afirmar que é um erro imaginar que apenas os que pretendem utilizar o veículo para fins de trabalho se interessam por esse tipo de carroceria. “Uma pessoa solteira ou um casal sem filhos, principalmente se tiver um perfil mais aventureiro, pode preferir levar uma moto, bicicletas ou pranchas de surfe na caçamba a ter espaço para transportar cinco passageiros”, explica Henrique Sampaio, gerente de Marketing do Produto da Volkswagen. 

Atualmente, o segmento de picapes compactas é preenchido apenas pelas representantes da Fiat e da Volkswagen e pela Chevrolet Montana, vendida apenas na carroceria com dois lugares. Mas a Renault já avalia sua entrada nesse segmento com a Oroch, apresentada no último Salão Internacional do Automóvel de São Paulo. O modelo se posiciona em um tamanho intermediário entre o de uma picape média e compacta e tem quatro portas. Questionada sobre um possível lançamento, a marca francesa limita-se a informar, por meio de seu departamento de comunicação, que está estudando a demanda nacional – o projeto é brasileiro. E que avalia a possibilidade de explorar o segmento como uma das estratégias para chegar aos 8% de participação almejados no mercado nacional. Ou seja, no que depender das fabricantes, o mercado de picapes pequenas tem grandes chances de se manter aquecido nos próximos anos.

Autor: Márcio Maio (Auto Press)
Fotos: Divulgação

Para usar e abusar - Versáteis picapes compactas driblam a crise que atinge em cheio os carros de passeio

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Mercado
Publicado em: 04 Feb 2015 09:00:00

Nenhum comentário:

Postar um comentário