30 de set de 2016

Fique ligado: você presta atenção na marca do estepe?

Fique ligado: você presta atenção na marca do estepe?



Leitor da coluna comprou um Honda Fit zero km e, meses depois, descobriu que o pneu sobressalente era diferente dos outros quatro. O estepe era Firestone, os outros eram Michelin. Ele estranhou, pois existe a recomendação de não se colocar num mesmo eixo pneu de uma marca de um lado, de outra marca no outro. Pois o comportamento de cada um no momento de uma freada ou curva pode ser completamente diferente. Um perigo, pois o motorista pode até perder o controle do carro, rodar na pista ou sair da estrada. Porque o sobressalente de outra marca? Provavelmente a fábrica ficou com o estoque baixo de pneus e destiná-los exclusivamente para as quatro rodas, sem colocar o estepe. Evita assim paralisar a linha de montagem. O carros sem sobressalente são levados ao pátio e aguardam chegar uma nova remessa de pneus. Pode entretanto ocorrer de o próximo lote a chegar na fábrica ser de um outro fornecedor. Mesmo assim, são colocados como estepe, embora a própria empresa não recomende o uso de pneus de marcas distintas pelos problemas de segurança que esta medida pode gerar. O leitor pergunta o que fazer. E a resposta é ir à concessionária e exigir a imediata substituição do estepe, por outro de mesma marca que os outros quatro. Esta recomendação não vale no caso de o carro ter pneu emergencial como estepe. Aqueles pequenos para serem usados apenas até chegar no borracheiro para reparar o que furou. Neste caso, tanto faz a marca ser igual ou não...   Vale a pena lembrar que esta não é única “estripulia” da fábrica em relação aos pneus. Ao receber um carro zero km na concessionária, o dono tem que ficar atento aos pneus. Pois, por motivo de custo, a fábrica pode ter instalado pneus de muito boa qualidade, porem de marca relativamente desconhecida no nosso mercado. Como algumas asiáticas: japonesa, coreana ou chinesa, ainda sem uma razoável rede de lojas no Brasil. Se um dia um pneu se estraga ao passar num buraco, por exemplo, e precisa ser substituído, o dono do carro vai ficar em apuros para encontrar outro igual. E, se encontra (às vezes a concessionária o tem em estoque), vai pagar uma “nota preta”.

Fonte: R7
Publicado em: 2016-09-14T16:42:00-03:00

Nenhum comentário:

Postar um comentário