5 de set de 2016

Fique ligado: nem sempre a batidinha é de pino

Fique ligado: nem sempre a batidinha é de pino



Você acelera o carro, e ouve nitidamente um barulhinho metálico vindo do motor, um “toc- toc-toc”. Tira o pé do acelerador, ele desaparece. Pisa, lá está ele de novo!   Este barulhinho é popularmente chamado de “batida de pino”, detonação, ou “grilo do motor”. É perigoso, pode danificar o motor e deve ser evitado, pois, se permanecer muito tempo, pode derreter ou furar as cabeças dos pistões. E, nesse caso, só uma retífica para reparar o motor. Com elevados custos batendo direto no bolso do dono...   Curiosamente, este barulhinho metálico não é de pino nenhum batendo em lugar nenhum. Trata-se, na verdade, de uma combustão anormal da gasolina ou do etanol, e chamada tecnicamente de pré-ignição. Mas, o que provoca o “toc-toc-toc”?   É provocado por um choque de ondas dentro da câmara de combustão. A mistura ar/combustível começa a se queimar antes da faísca na vela, gerando uma onda magnética. A faísca gera uma segunda onda. O choque entre as duas resulta no barulho metálico.   A pré-ignição (ou autoignição) pode ser provocada por vários motivos. Por um depósito carbonífero na cabeça do pistão que, com a temperatura, se torna incandescente, exatamente como um pedacinho de carvão. E provoca a explosão antes do momento correto. Ou um excesso de aquecimento do motor. Ou um combustível de baixa octanagem que não resiste à elevada taxa de compressão.   Se o carro é flex, vale também a pena verificar a sonda lambda, um sensor no escapamento que “diz” para a central eletrônica do motor qual combustível está vindo do tanque (gasolina ou etanol). Com esta informação, a central ajusta o motor para o combustível. A octanagem do etanol é muito maior que a da gasolina e, por isso, o ponto de ignição (faísca na vela) é diferente para os dois combustíveis. Se tiver gasolina no tanque, mas a sonda lambda informar à central que tem etanol, a regulagem da ignição estará fora do ponto. A faísca pode demorar muito e permitir a combustão espontânea da mistura. E tome o “toc-toc-toc”...    

Fonte: R7
Publicado em: 2016-08-19T12:37:00-03:00

Nenhum comentário:

Postar um comentário