17 de ago de 2014

Teste da quinta geração do Mercedes-Benz Classe C

Teste da quinta geração do Mercedes-Benz Classe C

[Veja a galeria de fotos no site]

Veja também:

  • Novo Mercedes-Benz Classe C ganha versão perua
Quando foi lançado na Europa, em março desse ano, a quinta geração do Mercedes-Benz Classe C logo foi apelidada de “Pequeno Classe S”. O apelido expressa sua proposta ambiciosa. Ou seja, oferecer no sedã médio uma “versão concentrada” dos atributos do Classe S, sedã grande “top” onde normalmente as novas tecnologias são introduzidas na linha da marca alemã. No Brasil, já se sabe que o novo Classe C será o primeiro modelo produzido na futura fábrica paulista de Iracemápolis, com inauguração prevista para 2016. Antes disso, terá uma missão a cumprir: retomar a liderança de vendas entre os sedãs de marcas de luxo, atualmente ocupada pelo BMW Série 3.  A nova geração do Mercedes mais vendido no mundo chega ao mercado nacional em quatro versões, com preços que vão dos R$ 138.900 nas versões C180 Avantgarde e C180 Exclusive aos R$ 189.900 do “top” C250 Sport, passando pelo intermediário C200 Avantgarde de R$ 154.900. “Na quarta geração, lançada em 2007 e que sai de linha agora, performance e acabamento interno mereciam alguma evolução”, admite Dimitris Psillakis, diretor geral de Automóveis da Mercedes-Benz do Brasil. Assim, o padrão do acabamento foi aprimorado, com a adoção de revestimentos mais sofisticados – notadamente na versão C250 Sport, que herda algumas firulas estéticas da “griffe” AMG, a preparadora esportiva da marca alemã. Quanto à performance, bastaram ajustes nas duas motorizações disponíveis – as versões C 180 contam com motor 1.6 turbo de 156 cv, enquanto as versões C 200 Avantgarde e C 250 Sport são equipadas com um 2.0 litros turbinado de 184 cv e 211 cv, respectivamente. O torque agora é mais plano e atinge seu máximo já em rotações baixas. Ambos os propulsores trabalham aliados ao novo câmbio automático de sete marchas. Somando a isso uma redução de até 60 kg no peso – obtida graças ao uso intensivo de alumínio na chaparia –, o Classe C ficou mais “esperto”. Tanto que os tempos de arrancadas caíram em todas as versões – no C250 Sport, o zero a 100 km/h pode ser cumprido em 6,6 segundos.

Em termos estéticos, o novo Classe C também representa um “upgrade”. O carro ganhou 9,5 cm no comprimento, 4 cm na largura e 8 cm no entreeixos, mas manteve a altura. Vincos na frente e na lateral ressaltam a esportividade e conferem um aspecto mais musculoso. A nova grade ostenta um grande logo com a estrela de três pontas, Já a traseira remete à do Classe S, com um caimento suave. Os faróis são full led em todas as versões.. Mas nem só de beleza, desempenho e bom acabamento se faz um sedã de marca de luxo. É preciso estar também em sintonia com as mais recentes tecnologias automotivas. Assim, no novo Classe C, o start/stop – que desativa o motor quando o carro está parado para economizar combustível – é de série, assim como a direção eletromecânica Direct Steer. Também é de série o sistema de frenagem vetorial, que distribui a força de frenagem entre as rodas de cada eixo conforme a situação. O Active Park Assist – disponível a partir da C 200 – estaciona o automóvel automaticamente com utilização da direção ativa e intervenção nos freios, tanto em vagas paralelas como perpendiculares. O sistema também permite deixar as vagas sem que o motorista precise acionar o volante. Já o Attention Assist alerta o motorista caso verifique falta de atenção ou sonolência. E o monitoramento da pressão dos pneus avisa quando houver queda na calibragem. O Agility Select permite ao motorista optar entre os programas Comfort, ECO, Sport, Sport + e Individual. E acesso à internet está disponível desde a versão de entrada – basta um celular com conexão Bluetooth e opção para recepção de dados para tornar o sistema Audio 20 compatível com a internet. Mas só é possível navegar se o veículo estiver parado.  As expectativas da Mercedes-Benz são de comercializar no mercado nacional cerca de 500 unidades mensais do novo Classe C. Enquanto o modelo “made in Brazil” não começa a sair de Iracemápolis – onde também será produzido o crossover médio GLA –, a Mercedes-Benz acredita que o sedã alemão dê bastante trabalho à concorrência. Que inclui, além do BMW Série 3, o também germânico Audi A4 e o sueco Volvo S60.

Ponto a ponto

Desempenho – Na versão de topo do sedã, o funcionamento do motor 2.0 turbo de 211 cv da C250 impressiona pela bravura. O torque máximo de 35,7 kgfm fica disponível entre 1.200 a 4 mil rpm e confere bastante disposição ao sedã. Tanto é que o zero a 100 km/h é feito em 6,6 segundos, boa marca para um carro de 1.480 kg.  A transmissão 7GTronic Plus, de sete marchas, entrega trocas rápidas, sempre realizadas nos momentos certos. Para quem prefere o acionamento manual das marchas, as borboletas atrás do volante têm funcionamento corretíssimo. Nota 9. Estabilidade – Nesse aspecto, a Mercedes-Benz “fez mágica” no C250 Sport. A novo suspensão tem um ajuste primoroso e o sedã encara curvas em alta velocidade sem se abalar, com uma precisão impressionante. Junto com a tração traseira e boa rigidez torcional do conjunto, torna o novo Classe C um carro bastante prazeroso de se dirigir. Quando se vai além do limite, os sistemas eletrônicos ajudam a manter a trajetória. Nota 10. Interatividade – Tudo está à mão e nos lugares “naturais”. Apenas o GPS do Command on Line da versão C 250 Sport, com seu enorme visor de 8,4 polegadas, tem funcionamento um tanto confuso e eventualmente se mostra indeciso. A haste para acionamento do câmbio se projeta à direita da coluna de direção, o que requer um certo traquejo para que seja corretamente acionada sem a necessidade de olhar com calma. Já as manoplas para acionamento manual das marchas tem funcionamento fácil e preciso. Nota 8. Consumo – O InMetro não fez medições para o sedã da Mercedes. Ao término dos 370 km de testes, na maior parte em rodovias, o computador de bordo marcava uma média de 10,9 km/l . Nota 8.

  Conforto – O Classe C é um veículo com rodar suave, como convém a um sedã dessa categoria. A suspensão fornece boa absorção de impactos. Os bancos de couro são confortáveis e aconchegantes. O espaço interno dá para levar quatro pessoas com conforto. Três no banco traseiro já compromete um pouco a viagem. Nota 8. Tecnologia – Desde Classe C de entrada há o sistema start/stop – que desativa o motor quando ocarro está parado para economizar combustível –, a direção eletromecânica Direct Steer, o sistema de frenagem vetorial, central multimídia com rádio/CD, tela fixa com sete polegadas, Bluetooth, GPS e entradas auxiliar e USB, cinco programas de condução, sensores de chuva, crepuscular e de monitoramento pressão dos pneus, faróis com leds e rodas de liga aro 17. Já o prático Active Park Assist só está disponível a partir da C 200. A partir dessa versão, a lista passa a incluir teto solar elétrico, luzes de freio adaptativas, assistente de estacionamento – que manobra o carro sozinho –, ajustes elétricos com apoio lombar no banco do motorista e retrovisores rebatíveis. Na versão C 250 Sport, os faróis são adaptativos e o sistema de GPS passa a ser o Comand on Line, com tela de 8,4 polegadas. Nota 9. Habitabilidade – No interior, agora existem mais e melhores espaços para guardar objetos. O porta-malas leva 480 litros – cinco litros a mais que o anterior. Os acessos pelas portas dianteiras e traseiras são fáceis e não é difícil achar uma posição cômoda nos bancos. Nota 8. Acabamento – Outro aspecto onde a evolução em relação ao modelo antigo é notável. O carro nem parece o mesmo, de tanto que subiu de padrão de qualidade. Os revestimentos ganharam sofisticação inédita nos Classe C anteriores. Não faz feio sequer em relação ao sedã grande Classe E. E faz jus ao apelido de “Pequeno Classe S”. Nota 9.

Design – A evolução estética desse novo C é notável. Os vincos frontais e laterais lhe deram um aspecto mais másculo, contemporâneo e dinâmico. Por dentro, os revestimentos são elegantes e o aspecto geral transmite percepção de qualidade e requinte. O console central é novo e tem linhas fluídas. Na versão 250 Sport, os acabamentos em madeira preta fosca reforçam o ar de nobreza. Quase tudo está em harmonia no habitáculo. A exceção é a tela do sistema de entretenimento, que é um tanto hipertrofiada. Ainda mais na versão “top”, onde a tela é de 8,4 polegadas – nas outras, as telas são de 7 polegadas. Se ao menos fosse retrátil, apareceria menos – mas, infelizmente, é fixa. Nota 8. Custo/benefício – Na versão de entrada, o novo Classe C chega custando cerca de R$ 12 mil a mais em relação à geração anterior. Apesar disso, pelas diversas inovações que apresenta, o sedã de luxo se mantém competitivo em relação aos concorrentes – todos eles também são bastante caros. O que, nesse segmento, não chega a ser um pecado grave. Nota 7. Total – O novo Classe C250 Sport obteve 84 pontos dos 100 possíveis.

Primeiras impressões

Conteúdo na melhor forma

Santo André/SP - O modelo disponibilizado para o teste de apresentação foi um “top” C250 Sport com um vistoso estofado vermelho. E o circuito foi um trajeto de cerca de 370 km,  predominantemente rodoviário, entre a fábrica de caminhões da Mercedes-Benz em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, e a cidade de Campinas, retornando no final para Santo André, também no ABC. E o novo sedã da marca alemã justificou plenamente a boa fama que precedeu sua chegada ao Brasil. Desde o aspecto externo, o Classe C de quinta geração já impressiona. A aparência está menos conservadora e ajuda a dar ao modelo um aspecto bem dinâmico.

Ao entrar no carro, quase tudo agrada. A posição da alavanca de câmbio, numa haste atrás do volante, é incomum e não chega a ser das mais intuitivas. Mas pelo menos as borboletas atrás do volante ajudam a tornar a troca manual das marchas bem suave e agradável. Um detalhe estético não tão bem sucedido é a tela do sistema de GPS e entretenimento, que é grande demais e não se integra bem ao ambiente interno. O freio de mão agora é por acionamento elétrico, através de um botão, e a direção é eletromecânica – a anterior era hidráulica. Agora, ficou mais fácil virar o volante nas manobras de estacionamento – se bem que o sistema Active Park Assist, de série na versão C250 Sport, literalmente estaciona o carro sozinho, seja em vagas paralelas ou longitudinais. Basta acionar o sistema que o carro se posiciona na vaga sem qualquer interferência do motorista. Não se sabe ainda como os manobristas irão encarar a novidade. Mas é em termos de performance que o C250 Sport mostra por que é um Mercedes-Benz “diferente”. O novo câmbio de sete marchas consegue obter um desempenho bem mais convincente do motor 2.5, que agora entrega respostas rápidas, sem vacilações. O que se traduz em retomadas consistentes de velocidade e ultrapassagens mais seguras. Mas, apesar do ótimo trabalho de aprimoramento feito no trem de força, não é nele que está a grande evolução do novo Classe C. É na suspensão. O novo conjunto suspensivo, fomado por Fourlink na dianteira e Multilink independente na traseira, dá ao C250 Sport o necessário equilíbrio dinâmico para que se possa desfrutar com total confiança dos 211 cv e dos 35,7 kgfm de torque do motor. Aliado ao novo sistema de distribuição de frenagem vetorial nas rodas traseiras durante as curvas, tornou o Classe C um novo carro. Em curvas feitas em alta velocidade, bem acima dos limites da prudência, o sedã deixa escorregar um pouco a traseira de forma instigante – mas sem perder a compostura nem dar sensação de insegurança. Nas frenagens fortes, a suspensão também reforça a sensação de estabilidade e aumenta a confiabilidade do conjunto.

Ficha Técnica

Mercedes-Benz Classe C

Motor: Gasolina, dianteiro, longitudinal, quatro cilindros em linha, quatro válvulas por cilindro, turbo, comando duplo no cabeçote e duplo comando variável de válvulas. 1.595 cm3 nas versões C180 Avantgarde e C180 Exclusive e 1.991 cm3 nas versões C200 Avantgarde e C250 Sport  Acelerador eletrônico e injeção direta.
Transmissão: Automática com sete marchas à frente e uma a ré. Tração traseira. Oferece controle de tração.
Potência: 156 cv em 5.300 rpm (versões C180 Avantgarde e C180 Exclusive),  184 cv em 5.500 rpm (versão C200 Avantagarde) e 211 cv 5.500 rpm (versão C250 Sport). 
Torque: 25,5 kgfm (versões C180 Avantgarde e C180 Exclusive), 30,6 kgfm (versão C200 Avantagarde) e 35,7 kgfm (versão C250 Sport), sempre entre 1.200 e 4 mil rpm.
Aceleração de zero a 100 km/h: 8,5 segundos (versões C180 Avantgarde e C180 Exclusive), 7,3 s (versão C200 Avantagarde) e 6,6 s (versão C250 Sport).
Velocidade máxima: 223 km/h (versões C180 Avantgarde e C180 Exclusive), 235 km/h (versão C200 Avantagarde) e 250 km/h (versão C250 Sport), sempre limitada eletronicamente.
Diâmetro e curso: Não informado.
Taxa de compressão: 9,8:1.
Suspensão: Dianteira independente do tipo four-link, com barra estabilizadora e traseira do tipo multi-link com subchassi em alumínio e barra estabilizadora. Amortecedores a ar nas quatro rodas controlados eletronicamente e controle automático de rigidez e altura.
Peso: 1.425 kg (versões C180 Avantgarde e C180 Exclusive), 1.465 kg (versão C200 Avantagarde) e 1.480 kg (versão C250 Sport).
Pneus: 225/50 R17  (versões C180 Avantgarde, C180 Exclusive e C200 Avantagarde) e 225/50 R17 (versão C200 Avantagarde).
Freios: Discos ventilados na frente e sólidos atrás. ABS de série.
Carroceria: Sedã em monobloco com quatro portas e cinco lugares. Com 4,68 metros de comprimento, 1,81 m de largura, 1,44 m de altura e 2,84 m de distância entre-eixos. Oferece airbags frontais, laterais e de cortina de série.
Capacidade do porta-malas: 480 litros.
Tanque de combustível: 66 litros.
Produção: Bremen, Alemanha. 

Itens de série

C180 Avantgarde - Antena para GPS, sensor de chuva, preparação para Map Pilot, navegação GPS Garmim Map Pilot, piloto automático (Tempomat) e limitador de velocidade (Speedtronic), aviso de perda de pressão dos pneus, proteção do cárter, suspensão comfort, sistema Audio 20 com touchpad, alarme, ar-condicionado Thermatic, faróis full led, molduras internas em alumínio, leitor de CD, luzes internas, sensor de alarme nos vidros, Eco Start/Stop, Agility Select, Adaptive brake lights, tapetes em veludo, Attention Assist, conectividade via Bluetooth para celular e players de mídia, controle de temperatura automático independentes para motorista e passageiro da frente, freios adaptive brake (ABR), controle eletrônico de estabilidade (ESP), distribuição eletrônica de força de frenagem (EBD), Sistema anti-bloqueio dos freios (ABS), Controle de tração na aceleração (ASR), Tração eletrônica em cada roda (ETS), Assistente de freio (BAS), Assistente de partida na subida (HSA), Pré-carregamento (Piming), brake drying e função Hold e Isofix. 
C180 Exclusive - Acrescenta em relação à C180 Avantgarde: relógio analógico, molduras intewrnas em madeira e interior Exclusive
C200 Avantgarde - Acrescenta em relação à C180 Avantgarde: sistema de auxílio ao estacionamento Active Parking Assist, retrovisores com antiofuscante automático, banco do motorista com ajustes elétricos, teto solar elétrico e espelhos com rebatimento elétrico.
C250 Sport - Acrescenta em relação à C200 Avantgarde: banco de passageiro com ajustes elétricos, Comand on-line com GPS, molduras internas em madeira black ash open pore, kit de acabamento interno AMG e leitor de DVD. 
Preços: R$ 138.900 nas versões C180 Avantgarde e C180 Exclusive, R$ 154.900 na versão C200 Avantgarde e R$ 189.900 na versão C250 Sport.
Autor: Luiz Humberto Monteiro Pereira (Auto Press)
Fotos: Luiz Humberto Monteiro Pereira/Carta Z Notícias

Resumo da ópera - Novo Mercedes-Benz Classe C chega ao Brasil disposto a sintetizar o que há de melhor na marca

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Testes
Publicado em: 13 Aug 2014 19:14:00
Ler mais aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário