17 de out de 2015

Impressões dos novos Citroën C4 Picasso e Grand C4 Picasso

Impressões dos novos Citroën C4 Picasso e Grand C4 Picasso

Já há algum tempo a Citroën tenta trabalhar em cima da racionalidade no Brasil. E, assim como a Peugeot, que lançou recentemente o compacto 2008 no país, quer se manter na briga dos veículos voltados para o uso familiar. Mas no lugar de seguir o fluxo do mercado e apostar na onda de sucesso dos SUVs, a marca do “double chevron” reacende sua investida nas minivans com a chegada da nova geração do C4 Picasso e sua versão de sete lugares, o Grand C4 Picasso. Os modelos são os primeiros da fabricante francesa a chegar no Brasil montados sobre a nova plataforma EMP2 – Efficient Modular Platform 2 –, mesma usada na segunda geração do Peugeot 308 e que, entre outras inovações, conseguiu uma redução de peso de até 140 kg.

A “dieta” é resultado principalmente de novos tipos de aço – mais resistentes – e mudanças nos processos de industrialização, com o uso de chapas mais finas, mas que sustentam a rigidez estrutural. Isso, claro, além da adoção maior de alumínio e assoalho em materiais compostos. As dimensões também foram mexidas. O novo Citroën C4 Picasso é mais compacto 4 centímetros no total, mas com ganho de quase 6 cm no entre-eixos, com 2,78 metros – no Grand C4 Picasso, esse aumento chega a 11 cm. Com isso, o porta-malas foi ampliado em 40 litros, somando 537 litros – a versão de sete lugares comporta 704 litros com a última fileira abaixada.

As mudanças externas são bem expressivas, principalmente à frente. A dianteira chama atenção pelo filete horizontal de luzes diurnas de leds sobre cada farol. Os “chevrons” do logotipo da Citroën se alongam em duas linhas cromadas, a primeira de ponta a ponta, na tampa do capô. A segunda é menor e aparece logo abaixo, na parte superior do para-choque. A grade hexagonal típica da nova identidade visual da fabricante também marca presença, mas uma característica é herdada da primeira geração: a grande área envidraçada, que soma 5,30 m² no total.

O perfil esboça a preocupação da Citroën em transmitir requinte: os vidros das portas são emoldurados por uma peça cromada, mais protuberante na parte de trás. Um proeminente vinco se estende pela lateral e insere boa dose de robustez. Já a traseira é menos chamativa, com lanternas em leds maiores e horizontais e tampa de porta-malas que cobre toda a traseira do veículo. Até para brigar no segmento dos utilitários esportivos, o C4 Picasso prima pela conforto. Os assentos dianteiros podem receber sistema de massagem e o do carona, extensão para as pernas, similar ao que se vê em classes superiores de companhias aéreas. Atrás, os três bancos são individuais e reclináveis. O motorista se beneficia ainda com o painel de instrumentos estruturado em torno de duas telas. A inferior é de 7 polegadas e direcionada à central multimídia – GPS opcional na versão de entrada Seduction e de série na mais cara, a Intensive. A superior é em LCD preto e branco ou, na configuração de topo, de 12 polegadas com alta definição e personalizável – inclusive em relação ao “layout”.

Sob o capô, ambos se movimentam a partir de um motor que já é velho conhecido dos brasileiros. Trata-se do 1.6 THP de 165 cv que, ao contrário do que já acontece em outros modelos da marca, como o C4 Lounge, só roda com gasolina. O câmbio é sempre automático de seis velocidades e quem prefere manter o controle das trocas de marchas pode usar os paddle shifts localizados atrás do volante.

A lista de itens de série é “gorda”. A versão de entrada Seduction já recebe seis airbags, sensores de estacionamento traseiros com indicação gráfica, controle de estabilidade e tração, sensores crepuscular e de chuva, freio de estacionamento elétrico, sistema multimídia, limitador e regulador de velocidade, retrovisores externos rebatíveis eletricamente, assistente de partida em aclives e ar-condicionado bi-zone com saídas traseiras com regulagem individual de fluxo de ar. A de topo Intensive sai de fábrica acrescida de acesso ao carro e partida do motor por botão, alarme, câmara de ré e o painel de instrumentos em alta definição e 12 polegadas. Há ainda opcionais como park assist, porta-malas motorizado e kit de relaxamento para bancos – que também insere partes em couro nos assentos.
Produzido em Vigo, na Espanha, o C4 Picasso começa em R$ 110.900 na configuração Seduction e R$ 117.900 na Intensive. Já o Grand C4 Picasso Seduction parte de R$ 120.900 e Intensive, R$ 127.900. A Citroën não informa o valor dos modelos com todos os opcionais, mas afirma que ultrapassa a barreira dos R$ 140 mil na carroceria de cinco lugares. Apesar do valor alto, a marca francesa planeja emplacar 800 unidades por ano, 70% delas do C4 Picasso. E, mesmo caro, o modelo tem seus atributos para ganhar espaço nas ruas.

Primeiras impressões

Primeira classe

São Paulo/SP – De cara, o Citroën C4 Picasso impressiona pelo amplo espaço interno. A fabricante garante que a cabine foi planejada como uma espécie de “loft”. Claro que não chega a tanto, mas quatro ocupantes de estatura média conseguem viajar com farto conforto no carro. Principalmente quando se trata da versão top de linha Intensive com o pacote de opcionais que traz massageadores para os bancos dianteiros. Sem ninguém atrás, o carona pode deitar o banco de forma muito semelhante à de uma poltrona de primeira classe de avião, com apoio para as pernas e ficando quase na horizontal.
O motor 1.6 THP de 165 cv move a minivan com boa esperteza. Os 24,5 kgfm de torque disponíveis entre 1.400 rpm e 4 mil giros garantem respostas imediatas às pisadas no acelerador. A sintonia com o câmbio automático de seis velocidades já é boa, mas o uso das aletas atrás dos volantes revela um veículo familiar pronto para ultrapassagens e retomadas mesmo em alguns trechos de subida. E até quando o velocímetro registra acima de 180 km/h, a sensação de controle do veículo fica presente. A impressão, aliás, é de se estar bem abaixo disso, tamanha a eficiência do isolamento acústico. Em um percurso de mais de 200 quilômetros pelos arredores de São Paulo, o clima de sala de estar se manteve intacto no habitáculo.

Ficha técnica

Citroën C4 Picasso e Grand C4 Picasso

Motor: Gasolina, dianteiro, transversal, 1.598 cm³, turbo com intercooler, quatro cilindros em linha, quatro válvulas por cilindro. Comando duplo de válvulas no cabeçote com sistema de variação de abertura na admissão e escape. Injeção eletrônica multiponto e acelerador eletrônico.
Transmissão: Câmbio automático de seis marchas à frente e uma a ré. Tração dianteira. Oferece controle de tração.
Potência máxima: 165 cv a 6 mil rpm.
Torque máximo: 24,5 kgfm entre 1.400 rpm e 4 mil rpm. 
Aceleração 0-100 km/h: 8,4 segundos (C4 Picasso) e 8,7 segundos (Grand C4 Picasso).
Velocidade máxima: 210 km/h.
Diâmetro e curso: 77,0 X 85,3.
Taxa de compressão: 11,0:1
Suspensão: Dianteira tipo Mac Pherson com barra anti-inclinação. Traseira de travessa semi-deformável com função anti-inclinação. Controle eletrônico de estabilidade.
Pneus: 205/55 R17.
Freios: Discos ventilados na frente e sólidos atrás. ABS com EBD.
Carroceria: Minivan em monobloco com quatro portas e cinco lugares. 4,43 metros de comprimento, 1,83 m de largura, 1,62 m de altura e 2,78 m de distância entre-eixos (C4 Picasso). Minivan em monobloco com quatro portas e sete lugares. Com 4,60 metros de comprimento, 1,83 m de largura, 1,64 m de altura e 2,84 m de entre-eixos. Oferecem airbags frontais, laterais e de cortina.
Peso: 1.405 kg (C4 Picasso) e 1.430 kg (Grand C4 Picasso).
Capacidade do porta-malas: 537 litros (C4 Picasso) e 704 litros (Grand C4 Picasso).
Tanque de combustível: 57 litros.
Produção: Vigo, Espanha.

Itens de série e Preços

C4 Picasso e Grand C4 Picasso Seduction: Seis airbags, sistema de Isofix de fixação para três cadeirinhas infantis, sensores de estacionamento traseiros com indicação gráfica, sensores crepuscular e de chuva, freio de estacionamento elétrico, sistema multimídia “touch” de 7 polegadas, limitador e regulador de velocidade, trio elétrico, retrovisores externos rebatíveis eletricamente, assistente de partida em aclives e ar-condicionado bi-zone com saídas traseiras.
Preço: 110.900 e R$ 120.900. 
C4 Picasso e Grand C4 Picasso Intensive: Adiciona chave presencial com acesso ao carro e partida do motor por botão, alarme volumétrico e periférico, câmara de ré, painel de instrumentos central em alta definição e com tela de 12 polegadas.
Preço: R$ 117.900 e R$ 127.900.
Autor: Márcio Maio (Auto Press)
Fotos: Márcio Maio/Carta Z Notícias e Divulgação

Diferença estratégica - Citroën busca se tornar alternativa à febre dos SUVs com as novas minivans da linha C4 Picasso

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Testes
Publicado em: 17 Oct 2015 07:19:00

Nenhum comentário:

Postar um comentário