22 de nov de 2014

Renault Oroch é a picape Duster disfarçada de conceito, que chega em 2015 para enfrentar Strada top e S10

Renault Oroch é a picape Duster disfarçada de conceito, que chega em 2015 para enfrentar Strada top e S10



Inédito, conceito Duster Oroch antecipa picape derivada do SUV Diogo de Oliveira/R7 Utilitário criará segmento das picapes "meio-médias" Diogo de Oliveira/R7 Quem for ao Salão do Automóvel de São Paulo certamente vai se surpreender com o conceito Renault Oroch. Trata-se da versão picape do SUV compacto Duster disfarçada de protótipo. É um modelo de proporções inéditas, razoavelmente maior que a Fiat Strada, líder entre as compactas, e pouco menor que uma Chevrolet S10, campeã de vendas entre as picapes médias há uma década e meia. Um projeto ousado, que está bem próximo das ruas. O utilitário chegará às lojas em 2015, prossivelmente no primeiro semestre, com produção nacional no complexo industrial de São José dos Pinhais, no Paraná, e preços acessíveis. Custará pouco mais de R$ 50 mil na versão de entrada, indicada aos frotistas, com grande capacidade de carga e mecânica robusta. Ao mesmo tempo, oferecerá conforto de carro de passeio, com espaço de SUV e cabine dupla para levar até cinco adultos. Com a picape Duster, a Renault vai criar um segmento inédito que promete encorpar nos próximos anos — a Fiat também está desenvolvendo sua picape "meio-média", que nascerá do conceito FCC4, outro destaque desta 28ª edição do motor show paulistano. Ambos estão previstos para 2015, mas o projeto da marca francesa se mostra adiantado. Segundo o presidente da Renault do Brasil, Olivier Murguet, a picape terá papel estratégico. Sandero Stepway é um dos estreantes do Salão de São Paulo Diogo de Oliveira/R7 — Ainda é um show car, mas é evidentemente que quem chegar primeiro ganhará um bônus pelo pioneirismo. É um segmento que não existe hoje. Estamos preparando uma proposta inovadora de picape, a Oroch une características cargueiras e de carro de passeio. Para crescer mais, precisamos investindo em novas frentes.

Outro destaque da Renault em SP é Fluence 2015, reestilizado Diogo de Oliveira/R7 Projetado pela filial brasileira, o conceito da picape Duster exibe visual típico dos protótipos, com muitos LEDS e soluções que realçam e exalam sofisticação. O estilo da dianteira lembra o da picape Volkswagen Amarok, com faróis quadrangulares e grade robusta — há uma conexão com as linhas que serão aplicadas ao SUV compacto nos próximos meses, em sua reestilização. Como projeto, a picape Oroch é mais um show car que um conceito. Veja a galeria completa Renault Captur deve ser produzido no Paraná a partir de 2015 Divulgação/Renault Vem aí o Captur, SUV do novo Clio Durante os primeiros dias do Salão de São Paulo, o R7 conversou com Olivier Murguet sobre projetos futuros da marca do losango para o Brasil. Sereno e muito sincero em determinados momentos, o presidente da filial brasileira confirmou que a montadora terá de atuar em segmentos novos para crescer além dos 8% projetados para 2016 — atualmente, a Renault possui 6% nas vendas nacionais. É nesse âmbito que entra o Captur. O SUV compacto feito sobre a plataforma do novo Clio é a opção para disputar vendas com utilitários da faixa dos R$ 75 mil, hoje ainda carente de opções, mas que, no início de 2015, receberá os novatos Honda HR-VJeep Renegade e Peugeot 2008. Estes virão desafiar o Ford EcoSport, líder da categoria, e também o Renault Duster. O ponto é que o Captur é uma opção mais moderna e urbana, enquanto o Duster brigaria no custo/benefício. — É fato que teremos de entrar em novos segmentos se quisermos crescer mais no Brasil a partir de 2016. Conforme anunciamos há poucos meses, dois novos projetos entrarão na fábrica de Curitiba nos próximos meses. Ainda não "batemos o martelo" sobre algumas definições, mas sabemos que, nos segmentos superiores, precisamos de mais volume, o que poderia vir de um sedã médio ou de um SUV. Veja a galeria completa Novo Twingo tem tração traseira e usa mesma plataforma dos novos smarts ForTwo e ForFour, lançados no Salão de Paris 2014 Diogo de Oliveira/R7 "Novo Twingo no Brasil seria aventura" Durante o bate-papo com o chefe da Renault brasileira, foram citados outros modelos, em especial Clio e Twingo, compactos que, nos últimos dois anos, ganharam novas gerações na Europa. Segundo Olivier Murguet, seria uma atitude aventureira importar ou mesmo produzir o novo Twingo no Brasil, uma vez que se trata de um carro de nicho, com baixa perspectiva de vendas. Já o Clio entraria em choque com o Sandero, que vai bem. — Cerca de 80% das vendas da Renault no Brasil vem de Sandero, Logan e Duster. Por ora, o Clio está muito bem, vende cerca de 2.500 unidades/mês, estamos satisfeito. Mas é claro que olhamos para este segmento no futuro. Estamos buscando encontrar um veículo moderno, com bom desempenho e custo de fabricação que permita a empresa e a rede lucrarem. Não é uma equação fácil em um carro de R$ 25 mil. Já em relação à vinda do novo Twingo, Olivier lembrou a trajetória do modelo nos anos 90. — Tivemos uma experiência com o Twingo entre 1997 e 1998, era um carro que dava muita mídia, mas só vendia em São Paulo, com volume baixo. Era opção aos que queriam se destacar, mostrar um estilo de vida, era fashion... Porém, quando as pessoas avaliavam de forma racional, complicava. Se trouxéssemos o novo Twingo, o pessoal ia achar legal, mas venderíamos 15 mil, 20 mil unidades/ano e esse volume não paga o investimento. Olivier finalizou o bate-papo falando sobre o impacto da globalização no mercado brasileiro e a recente modernização dos carros nacionais, em especial os compactos, como Hyundai HB20 e Volkswagen Up. Para o executivo, a maior competição entre as fabricantes e a chegada de novos produtos está mexendo com os hábitos dos consumidores brasileiros, cujo perfil de escolha do carro, há poucos anos, ainda se mostrava conservador. — O mercado brasileiro é o quinto maior do mundo e é um mercado difícil, porque o gosto dos consumidores daqui não é igual ao dos europeus ou dos norte-americanos. É um jogo interessante. E é curioso como o brasileiro está se abrindo às novas marcas, e como os produtos se desenvolveram. Temos por exemplo os "primos" da Nissan, que estão investindo, construíram fábrica, estão preparando novos produtos que serão produzidos localmente. MEGA GALERIA: VEJA OS PRINCIPAIS MODELOS QUE ESTÃO NO SALÃO DO AUTOMÓVEL DE SÃO PAULO 2014 Saiba tudo sobre carros! Acesse www.r7.com/carros

Fonte: R7
Publicado em: 2014-10-31T12:28:00-02:00
Ler mais aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário