11 de mai de 2016

Teste do novo Peugeot 308 Griffe THP

Teste do novo Peugeot 308 Griffe THP

A busca pela eficiência energética tem levado as marcas a recorrerem a motores de menor litragem, mas dotados de turbo para manter o padrão de potência. Essa combinação às vezes confere uma esportividade inesperada a certos modelos. Caso do Peugeot 308 THP Griffe. O hatch médio até tem aparência pouco agressiva, mas demonstra um fôlego capaz de provocar alguma descarga de adrenalina. O modelo argentino foi renovado recentemente para se aproximar visualmente do 308 de segunda geração, feito na França, e ganhou um aspecto mais elegante que esportivo. Mesmo esta configuração topo da linha do modelo só se diferencia da outras pelas rodas com acabamento diamantado e pelo logo THP na traseira. Reiterando este conceito, o 308 traz um belo acabamento interno, comum em carros da marca, e uma extensa lista de itens de série. Tanto que não tem opcionais disponíveis. E nem precisa. Veja também:
  • Teste do Peugeot 308 CC
Outra novidade, além do visual, é o trem de força, recalibrado para utilizar gasolina e etanol. O 1.6 THP Flex estreou no Brasil no final de 2014, no sedã médio Citroën C4 Lounge. No 308 Griffe, ele desenvolve os mesmos 173 cv com etanol e 166 cv com gasolina a 6 mil rpm e 24 kgfm de torque com gasolina/etanol entre 1.400 rpm e 4 mil rpm. A transmissão automática de seis velocidades com opção de troca sequencial na alavanca também foi atualizada e ganhou função Eco, de olho na almejada economia de combustível.

O novo desenho da dianteira incorporou a atual identidade da marca, pontuada pela grade com uma grossa moldura cromada, com o logo do leão encravada no centro e faróis com novo formato. Os nichos dos faróis de neblina receberam um feixe de leds acima das luzes comuns, utilizadas como luzes diurnas. Na traseira, as lanternas são do mesmo formato, mas com nova distribuição na posição dos leds. Nas laterais, as rodas de 17 polegadas têm novo desenho. Por dentro, as alterações são sutis, como o volante com base reta. Não há grandes novidades também na lista de equipamentos. O hatch já vem de fábrica com controle de estabilidade e tração, seis airbags, faróis de xênon, revestimento interno de couro e central multimídia com tela de 7 polegadas como itens de destaque.

A conta não é barata. O 308 Griffe THP custa R$ 84.490. Ainda assim, tem um bom custo/benefício e, aparentemente, suas mudanças foram bem-vindas. O segmento de hatches médios caiu impressionantes 38,4% na comparação do primeiro quadrimestre de 2015 com o mesmo período de 2016. Só que o modelo da Peugeot perdeu “apenas” 7,8% nas vendas. Isso fez com que a participação do modelo no segmento subisse de 6,6% para 9,8%. Ele ainda vende menos no total, mas está crescendo no retrovisor dos rivais diretos.

Ponto a ponto

Desempenho – A conversão do motor 1.6 THP em flex deu mais vigor ao 308. O funcionamento é suave e linear, com os giros subindo rapidamente ao pressionar o pedal do acelerador. Os 24 kgfm de torque estão disponíveis a partir dos 1.400 giros, o que aumenta a sensação de força. O desempenho anima à primeira vista, mas com o tempo, passa a se tornar apenas um carro com bom fôlego e que permite manobras ágeis. O casamento do motor e do câmbio automático de seis marchas é bom, mas faltam aletas no volante para mudanças manuais. As trocas automáticas, no entanto, são feitas sem trancos e no tempo certo. Nota 9. Estabilidade – O hatch médio da Peugeot teve o conjunto de suspensão retrabalhado para filtrar melhor as imperfeições das ruas sem comprometer a estabilidade em curvas mais acentuadas. Isso também contribuiu para a redução dos ruídos na cabine. Nota 8.

Interatividade – A ampla área envidraçada contribui muito para a visibilidade do 308. Os comandos multifuncionais são bons, mas poderiam ser mais práticos se fossem posicionados diretamente no volante, no lugar das hastes adicionais. A central multimídia agora é integrada ao painel e conta com tela de 7 polegadas e tecnologia de espelhamento da tela do celular diretamente na central. Há ainda Apple CarPlay e HD interno com capacidade de 16 Gb. A versão também traz um novo modo ECO, que prioriza o regime de funcionamento do motor em baixas rotações. Nota 8. Consumo – O InMetro não avaliou o 308 THP, mas o sedã 408 com o mesmo motor e que pesa praticamente o mesmo, foi bem nos testes da entidade. O três volumes consome 7,3/9,2 km/l na cidade/estrada com etanol. Já com o tanque abastecido com gasolina, fica em 10,6/13 km/l nas mesmas condições. O resultado rendeu nota A na categoria e C na geral. Nota 8.

Tecnologia – O 308 ainda está em sua primeira geração no Brasil, mas sua plataforma ainda oferece boa rigidez, o interior tem bom espaço e traz uma vasta lista de equipamentos. Há central multimídia, seis airbags e teto solar panorâmico. Mas o ponto alto da versão Griffe é mesmo o conjunto mecânico. O motor 1.6 THP foi mexido recentemente para adotar tecnologia flex e deixa o hatch com desempenho acima da média. Nota 8. Conforto – Os bancos receberam novas espumas, mais macias no assento e firmes nas abas laterais, ajudando a segurar o corpo em curvas. O teto de vidro, além de charmoso, amplia a sensação de espaço. A suspensão foi reajustada e filtra melhor as imperfeições das ruas, ao contrário da versão anterior, que sofria um pouco com os buracos. Nota 8.

Habitabilidade – Há diversos lugares para guardar os objetos pessoais do motorista e outros passageiros. O porta-malas carrega 343 litros, boa capacidade para a categoria. Mas a boca do compartimento muito alta dificulta o transporte de objetos pesados ou volumosos. Nota 7. Acabamento – O interior da versão Griffe mantém o padrão de boa qualidade e de muito bom gosto, típicos da marca francesa. O acabamento é caprichado, com um grande aplique de plástico com material emborrachado no painel, encaixes perfeitos e sem rebarbas. O couro dos assentos e do volante é de qualidade e agradável ao toque. Nota 9.
Design – O desenho do 308 é novo, principalmente na dianteira. A repaginada no visual inclui para-choques reformulados, luzes diurnas em leds, nova grade do radiador em posição elevada e com o emblema do leão e rodas exclusivas na configuração Griffe. As lanternas de leds de segunda geração contam com o mesmo desenho, porém a posição das luzes foi alterada. As linhas seguem harmônicas, com a dianteira levemente mais ousada. O visual, que já aparentava algum “cansaço” diante da concorrência, se beneficiou com as mudanças. Nota 7. Custo/beneficio – Se for comparado aos outros hatches do segmento, o 308 Griffe é uma opção vantajosa. Os R$ 84.490 cobrados assustam de cara, mas diante do valor de seus rivais, com pacote de equipamentos equivalentes, o preço logo parece um bom negócio. Um Fiat Bravo T-Jet, apesar de só ter câmbio manual, custa R$ 95.342 equipado à altura. Já o Volkswagen Golf 1.4 TSI, com opcionais que se aproximam do 308 THP, chega a ultrapassar R$ 105 mil. O líder do segmento, o Ford Focus, custa R$ 86.890 na versão SE Plus, mas tem dois airbags a menos e um sistema multimídia mais simples. Nota 8. Total – O Peugeot 308 THP somou 80 pontos em 100 possíveis.

Impressões ao dirigir

As mudanças no trem de força e na suspensão no 308 Griffe, com motor THP, foram tão sutis quanto a reestilização promovida no ano passado. Na verdade, dirigibilidade nunca foi um problema para o hatch médio da marca francesa. O carro é bom de guiar, o acabamento é acima da média da categoria e até o preço, na comparação com os concorrentes, depõe a favor da versão de topo. O motor passou a ser flex e ganhou 1 cv com gasolina e 8 cv com etanol – chega agora a 173 cv. O bom torque de 24 kgfm fica disponível já a partir dos 1.400 giros, o que resulta em boa agilidade ao carro principalmente no tráfego urbano. Apesar de ter um motor turbinado, o 308 Griffe não chega a ser um esportivo nato. Essa será a tarefa do 308 GT, importado da França, já homologado para o Brasil, mas que ainda não tem previsão de ser vendido por aqui. Sem dúvida, o Griffe é um hatch médio potente e mais apurado dinamicamente. Não privilegia a esportividade, embora ela esteja lá: são apenas 8,3 segundos para sair do zero e chegar aos 100 km/h e a máxima é de respeitáveis 215 km/h. Mas o visual comportado e mais voltado para a elegância tipica francesa esconde um pouco a disposição do propulsor para mover o carro.
O bom torque em baixas rotações deixa o veículo sempre pronto para manobras que exijam mais agilidade. O câmbio não traz a possibilidade de trocas em aletas atrás do volante, o que frustra um pouco os motoristas que preferem manter controle absoluto sobre o trem de força. Para trocar marchas no modo manual, somente na alavanca. Quem prefere uma condução mais suave e busca a economia de combustível pode se interessar pela tecla ECO. De acordo com a marca, a redução pode chegar a 7%, já que seu acionamento faz com que o motor trabalhe sempre em baixas rotações. O equilíbrio dinâmico da versão Griffe, que já arrancava elogios, ficou melhor. A suspensão foi recalibrada e agora sofre menos com as imperfeições das ruas. As alterações nas molas e amortecedores não eliminaram totalmente as rolagens de carroceria, mas não chega a atrapalhar seu comportamento em curvas. Os pneus, que calçam rodas de 17 polegadas, ajudam na tarefa de dar aderência ao hatch. No interior, a maior novidade do 308 é a integração da central multimídia ao console central. O desenho, no geral, permanece o mesmo, com detalhes cromados e novos grafismos no painel de instrumentos de fundo branco. O acabamento é caprichado, comum em carros franceses, sempre revestido com plástico emborrachado de boa qualidade e detalhes cromados. O teto solar panorâmico dá um toque de requinte e aumenta a sensação de conforto a bordo. Mas o volante poderia ser um pouco menor. A exemplo do que acontece no hatch compacto 208. Esportivo e bem mais instigante.

Ficha técnica

Peugeot 308 THP

Motor: Gasolina e etanol, dianteiro, transversal, 1.598 cm³, turbo com intercooler, quatro cilindros em linha, quatro válvulas por cilindro. Comando duplo de válvulas no cabeçote com sistema de variação de abertura na admissão e escape. Injeção eletrônica multiponto e acelerador eletrônico.
Potência: 173 cv com etanol e 166 cv com gasolina a 6 mil rpm.
Torque: 24 kgfm com gasolina/etanol entre 1.400 rpm e 4 mil rpm.
Transmissão: Câmbio automático de seis velocidades a frente e uma a ré. Tração dianteira. 
Aceleração 0-100 km/h: 8,3 segundos. 
Velocidade máxima: 215 km/h.
Diâmetro e curso: 77 mm x 85,8 mm.
Taxa de compressão: 10,2:1.
Suspensão: Dianteira independente pseudo McPherson, com molas helicoidais, amortecedores hidráulicos pressurizados e barra estabilizadora desacoplada. Traseira por travessa deformável, molas helicoidais, barra estabilizadora integrada e amortecedores hidráulicos pressurizados.
Pneus: 225/45 R17.
Freios: Discos ventilados na frente e sólidos atrás. Oferece ABS.
Carroceria: Hatch em monobloco, com quatro portas e cinco lugares. 4,29 metros de comprimento, 1,81 m de largura, 1,51 m de altura e 2,61 m de entre-eixos.
Peso vazio em ordem de marcha: 1.392 kg 
Capacidade do porta-malas: 343 litros.
Capacidade tanque de combustível: 60 litros. 
Produção: El Palomar, Argentina.
Lançamento no Brasil: 2012.
Face-lift: Novembro de 2015.
Itens de série: Seis airbags, alarme, sistema Isofix para cadeiras infantis, freio a disco nas quatro rodas, sensor de estacionamento traseiro, faróis de neblina, luzes diurnas em leds, retrovisores com lanternas com indicadores de posição, teto panorâmico, direção assistida eletro-hidráulica, ar-condicionado bizone, acendimento automático do farol, limpador automático do para-brisa, revestimento parcial em couro, vidros, travas e retrovisores elétricos, central multimídia com tela sensível ao toque, volante revestido em couro, detalhes cromados nos para-choques dianteiros e traseiros, retrovisores e maçanetas das portas na cor da carroceria, roda de 17 polegadas em liga leve, sensor de estacionamento dianteiro, câmara de ré, bancos em couro perfurado, rodas diamantadas de 17 polegadas.
Preço: R$ 84.490.

Autor: Fabio Perrotta Jr. (Auto Press)
Fotos: Jorge Rodrigues Jorge/Carta Z Notícias

Forma e conteúdo - Peugeot 308 Griffe com novo visual ganha equipamentos e força, com motor THP Flex

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Testes
Publicado em: 11 May 2016 11:40:00

Nenhum comentário:

Postar um comentário