11 de mai de 2016

Primeiras impressões da nova Chevrolet Trailblazer

Primeiras impressões da nova Chevrolet Trailblazer

O mercado automotivo brasileiro não para de cair – mas as vendas de utilitários esportivos vão bem, obrigado. Ser como um “porto seguro” em meio à tempestade fez com que os SUVs assumissem, nos últimos tempos, o papel de protagonistas dos principais lançamentos de veículos do país. Assim, o segmento que por quase uma década foi dominado com folgas pelo Ford Ecosport, hoje tem sua liderança disputada pelos novatos Jeep Renegade e Honda HR-V. Mas nem só de compactos se faz a pujança dos SUVs em território nacional. Modelos maiores também têm conseguido escapar à queda generalizada nas vendas. É nesse segmento que está a Trailblazer, que acaba de apresentar sua linha 2017. Os reforços tecnológicos e mecânicos do SUV da Chevrolet ressaltam a função de topo de gama dos Chevrolet produzidos no Brasil. Veja também:
  • Teste da Chevrolet Trailblazer V6 3.6 LTZ
  • Teste da TrailBlazer LTZ 2.8 CTDI
Por fora, as mudanças na Trailblazer se caracterizam pelos novos faróis, grade, capô, rodas e para-choque redesenhados, tudo segundo a atual identidade visual da marca. O capô ganhou uma reentrância, esculpida na parte posterior. A grade foi alongada até os faróis, que foram redesenhados e trazem luz de condução diurna em leds, conferindo uma assinatura luminosa ao modelo. Na parte frontal, o conjunto com o atual “facelift” ficou mais robusto e contemporâneo, enquanto no perfil e na traseira, as alterações estéticas foram pontuais – basicamente rodas de alumínio de aro 18 redesenhadas e um outro cromado. Já no interior, com capacidade para até sete ocupantes, o acabamento foi revisto e recebeu um “upgrade”. Além dos revestimentos internos com mais fartura de “soft-toutch” e do painel de instrumentos remodelado, os conjuntos de suspensão e de freios são novos, a direção agora tem assistência elétrica e o isolamento da cabine foi aprimorado para garantir um maior nível de conforto a bordo, principalmente em pisos irregulares.

Mas, muito além do “facelift” externo e da maior sofisticação na cabine, são os novos itens de conveniência, conectividade e segurança que realmente ajudam a tornar a Trailblazer 2017 mais competitiva. O Onstar – um sistema de telemática que oferece ao motorista mais de 20 serviços de emergência, segurança, navegação, concierge e conectividade –, é oferecido como cortesia durante 12 meses. Além dele, a Trailblazer traz o sistema multimídia MyLink de segunda geração com GPS, já oferecidos nos sedãs Cruze e Cobalt, e incorpora também outras novidades interessantes em termos de segurança. Entre elas, alertas de colisão, de saída de faixa e de ponto cego, câmara de ré com alerta de movimentação traseira e sistema de monitoramento da pressão dos pneus. Controles eletrônicos de tração (TC) e de estabilidade (EPS) e assistentes de partida em rampas (HSA) e de descida (HDC) fazem parte do “pacote”.

Na parte de entretenimento, o sistema multimídia da Trailblazer ganhou tela de alta resolução e novas funções, entre elas o Android Auto e o Apple CarPlay, que ampliam as possibilidades de interação entre o veículo e o smartphone do usuário, com a opção de comandos de voz. Um sistema de partida do motor por controle remoto e a função “Eco” no computador de bordo, que auxilia o motorista a conduzir o veículo de uma maneira a privilegiar o menor consumo de combustível, também são disponibilizados de série.

A Trailblazer é vendida apenas na versão de acabamento “top” LTZ, com opções de motorização 3.6 V6 , de 279 cavalos, ou 2.8 TurboDiesel, de 200 cavalos. A versão diesel tem disponibilidade de tração 4X4 com reduzida, acionável através de um botão giratório no console central. O câmbio é sempre um automático com seis velocidades com possibilidade de acionamento manual das marchas. Os aperfeiçoamentos eletrônicos e estruturais resultaram em uma redução de 13 kg no peso total do utilitário esportivo.

A linha 2017 da Trailblazer desembarca esse mês nas concessionárias e traz uma novidade oportuna para os tempos atuais: uma redução no preço. Ambas com o mesmo acabamento LTZ e equipamentos, a versão com motor 3.6 V6 sai por R$ 159.990 e a 2.8 TurboDiesel, que acrescenta ainda opção de tração 4X4 com reduzida, é oferecida por R$ 189.990. São valores que a Chevrolet considera suficientes para tornar o seu utilitário esportivo mais atraente para o arisco consumidor brasileiro dos tempos atuais.

Primeiras impressões

Ribeirão Preto/SP - A versão 2017 da Trailblazer representa evoluções expressivas em relação à versão anterior. Embora tenha sofrido apenas um “facelift” em termos visuais, o veículo incorporou novidades tão significativas em termos de equipamentos que o aproximaram bastante da dirigibilidade de um sedã. Nesse sentido, a inovação mais impactante foi a direção com assistência elétrica, que toma o lugar da antiga assistência hidráulica. A troca melhorou expressivamente a manobrabilidade do modelo, que agora pode ser colocado nas vagas com um esforço menor. A suspensão recalibrada também ajuda a conferir insuspeita leveza ao utilitário esportivo de dimensões avantajadas – são  4,88 metros de comprimento, 1,90 m de largura e 2,85 m de distância entre-eixos. Na nova Trailblazer, são tantas câmaras e sensores disponíveis que as vagas apertadas dos shoppings nem metem mais tanto medo.
Nas ruas, a Trailblazer mostrou que é bastante ágil para seu tamanho e pode circular com surpreendente desembaraço em meio aos engarrafamentos cotidianos. Na versão avaliada –  a LTZ TurboDiesel, de R$ 189.990 –, apesar do motor diesel roncar com força quando exigido com mais vigor, o nível de ruído externo é relativamente baixo. O utilitário até aderna um pouco nas curvas, bem menos do que se esperaria de um veículo com 1,84 m de altura – a suspensão bem equilibrada reforça sua percepção de “carro de passeio”. E, quando o motorista resolve exigir mais do trem de força, os 200 cv mostram serviço, assim como o robusto torque de 51 kgfm, disponível já nos dois mil giros. Nessa hora, basta pisar que a Trailblazer LTZ TurboDiesel acelera. E com vontade.

Ficha técnica

Chevrolet Trailblazer 

Motor V6 3.6: Gasolina, dianteiro, longitudinal, 3.564 cm³, seis cilindros em “V”, quatro válvulas por cilindro e duplo comando no cabeçote. Injeção direta de combustível.
Potência máxima: 277 cv a 6.400 rpm.
Aceleração 0-100 km/h: 7,6 segundos.
Torque máximo: 35,7 kgfm a 3.700 rpm.
Diâmetro e curso: 94 mm X 85,6 mm.
Taxa de compressão: 11,5:1 Motor 2.8: Diesel, dianteiro, longitudinal, 2.776 cm³, turbo com intercooler, com quatro cilindros em linha e 16 válvulas. Injeção direta eletrônica.
Potência máxima: 200 cv a 3.600 rpm.
Aceleração 0-100 km/h: 10,3 segundos.
Torque máximo: 51 kgfm a 2 mil rpm.
Diâmetro e curso: 94,0 mm X 100,0 mm
Taxa de compressão: 16,5:1 Transmissão: Câmbio automático de seis marchas à frente e uma a ré. Possui controle de tração. Tração integral com reduzida controlada por seletor eletrônico rotatório.
Velocidade máxima: 180 km/h.
Suspensão: Dianteira independente com braços articulados, molas helicoidais, barra estabilizadora e amortecedores telescópicos hidráulicos pressurizados. Traseira do tipo 5-Link, com molas helicoidais, barra estabilizadora e amortecedores telescópicos hidráulicos pressurizados. Oferece controle eletrônico de estabilidade de série.
Pneus: 265/60 R18.
Freios: Discos ventilados na frente e atrás. Oferece ABS com EBD.
Carroceria: Utilitário esportivo montado em longarinas, com quatro portas e sete lugares. Com 4,89 metros de comprimento, 1,90 m de largura, 1,84 m de altura e 2,85 m de entre-eixos. Oferece airbags frontais, laterais e de cortina de série.
Peso: 2.106 kg (V6 3.6) e 2.161 kg (2.8 diesel), em ordem de marcha.
Capacidade do porta-malas: de 205 a 1.830 litros.
Tanque de combustível: 76 litros.
Produção: São José dos Campos, São Paulo.
Lançamento: 2012.
Itens de série: Sistema MyLink com comandos de voz, GPS, Android Auto e Apple CarPlay, serviço OnStar grátis por 12 meses, alertas de colisão, de saída de faixa e de ponto cego, câmara de ré com alerta de movimentação traseira, sistema de monitoramento da pressão dos pneus, sistema de partida do motor por controle remoto, luzes diurnas em leds, faróis de neblina, rodas de alumínio de aro 18, computador de bordo, velocímetro digital, informações no painel sobre manutenção do veículo, direção elétrica, pneus “verdes” de uso misto, sensor crepuscular e de chuva, retrovisor interno eletrocrômico, sensor de estacionamento, vidros laterais com abertura e fechamento por meio da chave, sistema de áudio premium, ar-condicionado digital com oito velocidades, rebatimento elétrico dos retrovisores externos, banco do motorista com ajustes elétricos, controles eletrônicos de tração e de estabilidade, assistentes de partida em rampas e de descida, freios ABS com EBD, airbags frontais, laterais e de cortina e sistema isofix para fixação de cadeirinhas infantis. 
Preço: R$ 159.990 (gasolina) ou R$ 189.990 (diesel).

Autor: Luiz Humberto Monteiro Pereira (Auto Press)
Fotos: Luiz Humberto Monteiro Pereira/Carta Z Notícias

Gravata executiva - Linha 2017 do SUV Trailblazer reforça seu papel de “top de linha” dos Chevrolet “made in Brazil”

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Testes
Publicado em: 11 May 2016 12:30:00

Nenhum comentário:

Postar um comentário