4 de mai de 2016

Teste do Jaguar XE R-Sport

Teste do Jaguar XE R-Sport

No ano passado, o mercado automotivo premium cresceu 22% no Brasil, mostrando que ainda havia espaço para investimentos no país mesmo diante da crise forte que o setor enfrenta. E embora os números do segmento no primeiro trimestre de 2016 sejam bem menos animadores – houve queda de 18% –, há quem comemore. A Jaguar Land Rover, por exemplo, cresceu 4,5% no mesmo período. Principalmente em função das novidades na Jaguar, que passou a atuar em novas faixas de preços com a chegada de seu novo sedã de entrada, o XE. Disposto a fazer concorrência forte com os rivais alemães, como BMW Série 3, Audi A4 e Mercedes Classe C, o modelo está disponível em três versões. Mas é na intermediária R-Sport que ele se mostra mais competitivo. Isso porque alia conforto e tecnologias de segmento de luxo com motorização que está longe de ser referência de modelo de entrada.  Veja também:
  • Primeiras impressões do Jaguar XE
De cara, o design já é um diferencial do XE. A linha de cintura ascendente transmite uma ideia de agilidade, além de dar charme ao perfil do sedã. A frente é marcada por uma larga grade e faróis afilados que, em conjunto, dão a impressão de um “olhar” baixo e inclinado – quase felino. Há ainda uma grande quantidade de entradas de ar na frente. Já a traseira traz lanternas encorpadas e horizontalizadas que invadem a tampa do porta-malas. Ao centro da peça, o carro ostenta o animal que dá nome à marca britânica. Imponente como o XE.

O trem de força é “encabeçado” pelo potente 2.0 litros de 240 cv já disponível em outros modelos vendidos há mais tempo no Brasil – como no Land Rover Range Rover Evoque. A tração é traseira e a transmissão, automática de oito marchas, tem assinatura da ZF. A manopla é circular e giratória, clássica da Jaguar, mas há aletas no volante para trocas manuais. Com essas credenciais, ele é capaz de atingir velocidade máxima de 250 km/h e partir do zero e chegar aos 100 km/h em 6,8 segundos. Diante dos 1.535 kg da versão R-Sport, tratam-se de 6,4 kg/cv.

Além da estética e do trem de força, outras particularidades chamam atenção no XE – ainda mais por se tratar de um modelo de entrada. A plataforma de alumínio promove uma redução de peso que chega a cerca de 130 kg em comparação a um chassi convencional. A direção tem assistência elétrica, a central de informação e entretenimento acompanha tela “touchscreen” de  8 polegadas e a versão R-Sport ainda traz como diferencial o sistema de som Meridian, com 11 alto-falantes.

A política da marca, aliás, é entregar modelos bem equipados no que diz respeito à tecnologia. Faróis de xênon adaptativos, sistema start/stop – que desliga o motor em pequenas paradas –, controle de cruzeiro, sensores de estacionamento dianteiros e traseiros, GPS e ar-condicionado de duas zonas se juntam ao sensor de chuva, teto solar e câmara de ré. Além disso, a configuração R-Sport inclui bancos, suspensão e visual mais esportivos, rodas de liga leve de 18 polegadas e ajustes elétricos de banco e volante. Mas a Jaguar sabe cobrar bem pelo pacote. Atualmente, são R$ 212.160. 

Ponto a ponto

Desempenho – O motor 2.0 Turbo de 240 cv, que empurra o Jaguar XE R-Sport, movimenta com bastante agilidade o sedã. O três volumes inglês esbanja vigor nas arrancadas, retomadas e ultrapassagens. Principalmente em função do bom torque de 34,7 kgfm já disponível a partir de baixas 1.750 rpm. O zero a 100 km/h em apenas 6,8 segundos comprova essa agilidade. Nota 9. Estabilidade – A suspensão privilegia a esportividade, mas cumpre bem a função de garantir conforto aos passageiros que viajam no sedã de luxo. Retas e curvas em alta velocidade são enfrentadas com uma competência impressionante. Nota 10. Interatividade – O interior do XE R-Sport é elegante, mas sem grandes excessos. O computador de bordo é bem completo e os comandos ficam todos em posições de fácil utilização. Tudo se revela bem intuitivo no habitáculo. Para quem gosta de garantir o controle sobre o trem de força, as aletas atrás do volante para trocas manuais do câmbio automático agradam. Nota 9.

Consumo – O InMetro avaliou o Jaguar XE R-Sport e aferiu média de 8,5/11,6 km/l na cidade/estrada com gasolina, o que lhe rendeu consumo combinado de 9,7 km/l e classificação C tanto em sua categoria quanto no geral. Nota 7. Conforto – Além do conjunto suspensivo eficiente, os bancos do Jaguar XE R-Sport têm excelente densidade e apoiam bem o corpo do motorista e do passageiro. Atrás, o espaço também é bom para pernas e cabeça dos ocupantes. O teto solar, de série na versão, ainda ajuda a ampliar a sensação de espaço na frente. Nota 8. Tecnologia – Os itens mais básicos esperados no segmento premium estão ali: direção elétrica, sistema de entretenimento com tela de 8 polegadas, teto solar, sensores de estacionamento, câmara de ré e GPS, por exemplo. O ar-condicionado é de duas zonas e a suspensão na versão R-Sport é recalibrada para aprfeiçoar a de estabilidade. A plataforma, IQ, é nova e totalmente em alumínio. É a mesma utilizada em modelos maiores, como a nova geração do XF. Nota 9.

Habitabilidade – A altura é baixa e isso dificulta um pouquinho a entrada e a saída do modelo. Mas o contorcionismo se resume apenas a esse momento. Uma vez dentro da cabine, há bons espaços para guardar objetos pessoais. O teto solar proporciona aumento n campo de visão dos passageiros dianteiros e os 450 litros do porta-malas comportam boa bagagem. Nota 8. Acabamento – Não dá para esperar pouco de um carro que ultrapassa R$ 200 mil. Os encaixes são perfeitos e os materiais, aparentemente de excelente qualidade. Os cromados aparecem em várias áreas, mas sempre em proporções discretas e de bom gosto. O toque é suave e a versão R-Sport entrega revestimentos em couro. Nota 9. Design – A Jaguar conseguiu no XE inserir uma boa dose de modernidade e elegância ao formato três volumes, tão tradicional e até conservador no segmento automotivo. Ao mesmo tempo, suas linhas dão um aspecto robusto e sólido ao sedã britânico. A grade avantajada e os faróis afilados conferem à dianteira uma imagem agressiva, mas também requintada. Na traseira, as lanternas são horizontalizadas, mas mais robustas e invadem a tampa do porta-malas. Desta forma, colocam em destaque o felino característico da logo da marca ao centro. Nota 9.
Custo/Benefício – A Jaguar pede R$ 212.160 pelo XE R-Sport no Brasil. O preço regula com os R$ 214.900 pedidos pelo Mercedes-Benz C250 Sport, um 2.0 de 211 cv, e é próximo dos R$ 206 mil do Audi A4 Ambiente completo, que tem apenas 190 cv com seu propulsor 2.0. Em termos de potência, seu maior concorrente é o BMW 328i Sport GP, equipado com um 2.0 de 245 cv ao preço de 208.950. O modelo inglês, além de um pacote interessante e motor forte, é novidade. Nota 7. Total – O Jaguar XE R-Sport somou 85 pontos em 100 possíveis.

Impressões ao dirigir

Um Jaguar sempre chama atenção nas ruas brasileiras. Mesmo em seu modelo de entrada, em sua versão intermediária. Até quem não se interessa tanto pelo mercado automotivo é capaz de reconhecer o ar de exclusividade que o desenho do felino característico da marca carrega. Além disso, chama atenção o design do sedã – que já recebeu diversos prêmios no exterior. É uma combinação de elegância, requinte e com boa dose de modernismo que impressiona bastante à primeira vista. Como qualquer modelo que preze pela esportividade, a altura mais baixa prejudica um pouquinho que pessoas mais altas se encaixem no carro. Mas, de resto, tudo coopera para que a viagem seja feita com conforto e tranquilidade. Os bancos dianteiros seguram bem os ocupantes mesmo em curvas mais acentuadas, o ar-condicionado dá conta de refrigerar o carro rapidamente e o espaço é bom à frente e atrás. Mesmo com o caimento de teto um pouquinho acentuado na traseira, não é difícil para alguém com altura média se encaixar.
Em movimento, o 2.0 de 240 cv se mostra extremamente vigoroso. Basta pisar com vontade no pedal do acelerador para que o sedã mostre seu valor. O torque máximo – de 34,7 kgfm – já aparece integralmente em baixos 1.750 giros e se mantém intacto até 4 mil rpm. Na prática, isso significa energia plena em praticamente qualquer situação. A transmissão realiza as trocas das oito marchas de maneira impecável, o que faz com que as aletas localizadas atrás do volante para trocas manuais tenha o uso completamente dispensável mesmo por quem pretende extrair o máximo de esportividade do carro. A central multimídia é de uso intuitivo e a versão R-Sport já traz itens como sensor crepuscular e de chuva. As manobras de estacionamento são facilitadas pela câmara de ré – com uma imagem extremamente nítida – e há sensores também na frente, para evitar as “encostadinhas”. Outro detalhe que chama atenção é o som Meridian, com 11 alto-falantes espalhados pelo interior. A qualidade é ímpar. Por falar em som, o isolamento acústico do modelo é exatamente o que se espera de um sedã esportivo: muito silencioso em velocidade de cruzeiro e instigante na medida certa quando se quer ver o conta-giros subir rapidamente.

Ficha técnica

Jaguar XE R-Sport

Motor: A gasolina, dianteiro, longitudinal, 1.999 cm³, quatro cilindros em linha, quatro válvulas por cilindro e turbocompressor. Injeção direta de combustível e acelerador eletrônico.
Potência máxima: 240 cv a 5.500 rpm.
Torque máximo: 34,7 kgfm entre 1.750 rpm e 4 mil rpm.
Diâmetro e curso: 87,5 x 83,1 mm.
Taxa de compressão: 10:1.
Aceleração 0-100 km/h: 6,8 segundos.
Peso: 1.535 kg.
Velocidade máxima: 250 km/h, limitada eletronicamente.
Transmissão: Câmbio automático com oito marchas à frente e uma a ré. Tração traseira. Controle de tração.
Suspensão: Dianteira independente com triângulos sobrepostos. Traseira integral link – multiling com subchassis sobre molas. Oferece controle eletrônico de estabilidade de série.
Freios: Discos ventilados na frente e atrás. Oferece ABS com EBD.
Carroceria: Sedã em monobloco com quatro portas e cinco lugares. Com 4,67 metros de comprimento, 1,85 m de largura, 1,42 m de altura e 2,83 m de entre-eixos.
Capacidade do porta-malas: 450 litros.
Tanque de combustível: 63 litros.
Produção: Solihull, Inglaterra.
Lançamento mundial: Maio de 2015.
Lançamento no Brasil: Setembro de 2015.
Itens de série: Paddle shifts, freio de estacionamento elétrico, Isofix, sete airbags, ar-condicionado digital dual zone, bancos em couro com ajuste elétrico para motorista e passageiro e memória para motorista, volante em couro multifuncional, iluminação ambiente interna ajustável, retrovisor interno antiofuscante, apoio de braço no banco traseiro com dois porta-copos, trio elétrico, direção elétrica, controle de cruzeiro, controle de estabilidade e tração, controle de torque direcional, sistema start/stop, monitoramento da pressão dos pneus, luz diurna em leds, Jaguar Drive com quatro modos de condução, central multimídia com tela central touchscreen de 8 polegadas em alta resolução, Bluetooth com áudio streaming, GPS, câmara de ré, som Meridian com 11 alto-falantes e entradas USB e iPod, sensores de obstáculos traseiros e dianteiros, teto solar, sensor de chuva, para-choque redesenhado, saias laterais, spoiler traseiro, bancos esportivos, suspensão recalibrada, revestimento em couro bicolor, faróis de xênon adaptativos, assistente de farol alto, coluna de direção com ajuste elétrico e rodas de liga leve aro 18. 
Preço: R$ 212.160.

Autor: Márcio Maio (Auto Press)
Fotos: Jorge Rodrigues Jorge/Carta Z Notícias

O pulo do gato - Jaguar XE R-Sport tem atributos para incomodar concorrência alemã de sedãs premium do Brasil

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Testes
Publicado em: 04 May 2016 11:30:00

Nenhum comentário:

Postar um comentário