28 de abr de 2016

Indenização por acidente de trânsito cai pela 1ª vez na série histórica

Indenização por acidente de trânsito cai pela 1ª vez na série histórica






Há dois anos já se registrava queda nas indenizações por morte BRPM O total de indenizações pagas no seguro DPVAT (Danos Pessoais causados por Veículos Automotores de Via Terrestre) no ano passado caiu pela primeira vez na série histórica, iniciada em 2008. De acordo com informações da Seguradora Líder-DPVAT, foram pagas 652.349 indenizações referentes a reembolso de despesas hospitalares, invalidez permanente e morte decorrentes de acidentes de trânsito no ano passado. Esse total é 15% menor do que o registrado no ano anterior. Segundo o diretor-presidente da Seguradora Líder-DPVAT, Ricardo Xavier, há dois anos já se registrava queda nas indenizações por morte, mas a queda geral foi a primeira e é um reflexo da fiscalização mais efetiva. — Os efeitos da Lei Seca e da conscientização sobre o uso do equipamento de segurança no trânsito já começam a fazer efeito. Mesmo assim, o número de indenizações por invalidez permanente ainda é muito alto. No ano passado, foram mais de 515 mil indenizações desse tipo. Leia mais notícias de Brasil e Política Conheça o R7 Play e assista a todos os programas da Record na íntegra! Ao todo, o seguro obrigatório DPVAT pagou R$ 3,381 bilhões em indenizações em 2015. A maior parte (79%) foram para invalidez permanente. O número de indenizações desse tipo caiu 13% em relação ao ano de 2014. A maior queda, 19%, foi registrada na cobertura por morte. Em 2015, foram pagas 42.501 indenizações desse tipo, enquanto que, em 2014, foram 52.226. Já o reembolso de despesas hospitalares, com queda de 18%, passou de 115.446 indenizações em 2014 para 94.097, no ano passado. — Temos que investir, agora, na educação do cidadão no trânsito, para que o número de acidentes reduza ainda mais. Motocicletas As indenizações pagas por acidentes com motocicletas correspondem a 76% do total, ou seja, são mais de 497 mil indenizações com esse tipo de veículo. Dos acidentes causados por moto, 83% geram algum tipo de invalidez permanente, 4% causam alguma morte e 13% resultam em reembolso de despesas hospitalares. Os automóveis somaram 19% (124.267) das indenizações pagas no ano passado, enquanto caminhões e pick-ups ficaram com 3% (17.973) e os ônibus, micro-ônibus e vans, com 2% (13.100). Perfil das vítimas O levantamento da Seguradora Líder-DPVAT mostra que 74% das vítimas de trânsito que foram indenizadas são homens. A faixa etária que concentra o maior número de indenizações (51%), continua sendo de 18 a 34 anos. — Isso representa um peso social gigantesco, porque são jovens, em idade ativa, produtivos. E isso gera reflexos sociais, na Previdência e no sistema de saúde. Já que muitos leitos dos hospitais ficam tomados por acidentados. Regiões Apesar de ter apenas 16,92% da frota nacional, a região Nordeste concentrou um em cada três (33% ou 213.726) indenizações pagas no ano passado. Já o Sudeste, que tem 49,21% da frota, respondeu por 29% (192.724) das indenizações. A região Sul ficou com 18% (116.613) das indenizações pagas e possui 19,69% da frota. Já as regiões Norte e Centro-Oeste tiveram, cada uma, 10% (cerca de 65 mil) das indenizações do seguro DPVAT. Essas regiões possuem 5,08% e 9,10%, respectivamente, da frota de veículos do País.

Fonte: R7
Publicado em: 2016-02-23T13:47:00-03:00

Nenhum comentário:

Postar um comentário