26 de set de 2014

Impressões da Chevrolet S10 LTZ

Impressões da Chevrolet S10 LTZ

De uns tempos para cá, a disputa no segmento de picapes médias deixou a racionalidade um pouco de lado e foi para o caminho de motores potentes e com generosos números de torque – principalmente as movidas a diesel. Depois de apresentar o motor 2.8 litros turbodiesel de 200 cv e 51 kgfm de torque no ano passado – um dos mais potentes da categoria –, a Chevrolet "atacou" novamente. Só que agora na motorização bicombustível. Para a linha 2015 da picape – que lidera o segmento há quase duas décadas – a marca norte-americana adicionou à gama um motor 2.5 flex totalmente novo e com boa dose de refinamento. Tudo para manter seu posto de "best-seller" e, de quebra, reduzir o consumo de combustível e também as emissões de poluentes.

Veja também:

  • Impressões da Chevrolet S10 LT 2.8 CTDI diesel
O propulsor "membro" da família Ecotec, o 2.5 litros flexível – que estará disponível para as configurações LT e LTZ – chega com boas credenciais. Além ser feito todo em alumínio, traz injeção direta de combustível, duplo comando de válvulas continuamente variáveis e sistema de partida a frio sem o "tanquinho". Os resultados são 197 cv e 26,3 kgfm de torque com gasolina e 206 cv e 27,3 kgfm quando abastecido com etanol – a Ford Ranger ostenta um 2.5 flex de 173 cv há tempos. O motor ainda é 13% mais econômico que o atual 2.4 flex de máximos 147 cv com etanol – que continua a ser oferecido, mas só para a versão de entrada LS, preferência dos frotistas.

Outro item que mereceu uma atenção especial da Chevrolet foi a dinâmica. Os engenheiros recalibraram as suspensões dianteira e traseira no intuito de deixar o conjunto mais rígido e a direção mais direta. A fabricante norte-americana ainda aproveitou para mexer no habitáculo com reforços no isolamento acústico, que afirma ter deixado a cabine 13% mais silenciosa em relação ao modelo 2014. O interior inda traz novos materiais de acabamento no painel, como plástico preto brilhante.

Dotada da nova motorização, a S10 se resume a quatro configurações – todas exclusivamente com transmissão manual de seis marchas e cabine dupla. A tração pode ser 4X2 ou 4X4. O preço incial é de R$ 86.400 pela versão LT 4X2 e vai a R$ 92.400 na LT 4X4. Nessa configuração, a picape vem com conjunto elétrico de travas e vidros, piloto automático, sistema multimídia MyLink, coluna de direção regulável em altura e rodas de liga leve de 16 polegadas. A topo de linha LTZ soma faróis tipo projetor, lanterna de leds, rodas de 17 polegadas, sensor de estacionamento, navegador por GPS, bancos em couro, volante multifuncional, rack de teto, controle de tração e estabilidade, assistente de partida em aclives e controle de velocidade de declives – dispostivos antes restritos às versões diesel. O valor começa em R$ 97.700 – 4X2 – e chega a R$ 103.700 com tração integral. Incluindo os outros dois motores e duas opções de câmbio – manual de cinco marchas e automática de seis marchas, as cabine simples e dupla, 4X2 ou 4X4, a S10 permite 14 combinações possíveis. Versatilidade para ninguém botar defeito.

Primeiras impressões

Nos limites da suavidade



Foz do Iguaçu/PR – Por fora, nada de novo. E não é para menos. A grande novidade da S10 está guardada sob o capô. O test-drive da Chevrolet S10 com o motor 2.5 litro Ecotec aconteceu bem na área limítrofe entre o Brasil e a Argentina. No pequeno trajeto com ruas "hermanas" e estradas tupiniquins, o novo propulsor mostrou um rodar bem suave. É possível chegar a 110 km/h – limite permitido da via – com o tacômetro em 2.700 rpm – sem sinais de "esgoelamento". O torque máximo de 27,3 kgfm só aparece em altas 4.400 rotações, o que dificulta o motor "encher" rápido. Os 206 cv com etanol parecem muito na ficha técnica, mas na prática a história é outra. A potência é apenas suficiente para movimentar a picape de quase duas toneladas e não há muitas sobras. O câmbio manual de seis marchas tem boa escalonagem, mas merecia engates mais precisos.
Já o novo acerto do conjunto suspensivo continua a entregar um bom comportamento dinâmico, com inclinações de carroceria bem controladas e ótima absorção de impactos ou irregularidades do asfalto. Mas o que chamou atenção mesmo foi o isolameno acústico. O pouco ruído do motor somado às novas e espessas camadas de espuma no habitáculo fazem do interior da S10 um lugar bem agradável. A cabine ficou mais sofisticada, mas ainda longe de maiores requintes. O couro nos bancos e nas laterais de porta e o preto brilhante no painel central não se harmonizam com os plásticos de aparência nada nobre. Além disso, a montagem de algumas peças do interior mereceria maior atenção – algumas parecem desalinhadas.

Ficha técnica

Motor: A gasolina e etanol, dianteiro, longitudinal, 2.457 cm³, com quatro cilindros em linha, quatro válvulas por cilindros, duplo comando do cabeçote e duplo comando variável de válvulas. Injeção direta de combustível.
Transmissão: Câmbio manual de seis marchas à frente e uma atrás. Possui controle de tração. Tração integral com seletor eletrônico rotatório.
Potência: 197 cv a 6.300 rpm com gasolina e 206 cv a 6.000 rpm com etanol.
Torque: 26,3 kgfm a 4.400 rpm com gasolina e 27,3 kgfm com etanol.
Aceleração 0-100 km/h: 9,5 segundos com gasolina e 9,1 segundos com etanol
Velocidade máxima: 163 km/h.
Diâmetro e curso: 88 mm X 101 mm.
Taxa de compressão: 11,3:1
Suspensão: Dianteira independente, com braços articulados, molas helicoidais, amortecedores hidráulicos e pressurizados e barra estabilizadora. Traseira com feixe de molas semielípticas de dois estágios e amortecedores hidráulicos e pressurizados. Possui controle de estabilidade.
Ângulo de ataque: 32°.
Ângulo de saída: 18°.
Pneus: 255/65 R17 (245/70 R16 na LT)
Freios: Dianteiros por discos ventilados e traseiros a tambor. ABS com EBD de série.
Carroceria: Picape montada sobre longarinas com quatro portas e cinco lugares. Com 5,34 metros de comprimento, 1,88 m de largura, 1,82 m de altura e 3,09 m de distância entre-eixos. Oferece airbags frontais de série.
Altura mínima do solo: 22 cm.
Peso: 1.979 kg.
Capacidade da caçamba: 1.570 litros
Tanque de combustível: 80 litros.
Produção: São José dos Campos, Brasil.
Lançamento da geração no Brasil: 2012.
Lançamento da nova motorização: 2014.

Itens de série

Versão LT: Airbag duplo, ABS com EBD
Preço: R$ 86.400 (4X2) e R$ 92.400 (4X4). Versão LTZ: adiciona faróis tipo projetor, lanterna de leds, rodas de 17 polegadas, sensor de estacionamento, navegador por GPS, bancos em couro, volante multifuncional, rack de teto, controle de tração e estabilidade, assistente de partida em aclives e controle de velocidade de declives 
Preço: R$ 97.700 (4X2) e R$ 103.700 (4X4). 
Dose de ousadia - Mais potente e eficiente, Chevrolet S10 ganha novo motor flex na linha 2015

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Testes
Publicado em: 25 Sep 2014 08:45:00
Ler mais aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário