30 de dez de 2015

Especial: Destaques de 2015

Especial: Destaques de 2015

O mercado premium no Brasil, definitivamente, ainda tem muito a crescer. Não foi à toa que, mesmo diante de uma queda de vendas que beira os 25%, as chamadas marcas de luxo tenham permanecido tão ativas e cheias de novidades. Com tantos lançamentos nesta categoria, é natural que alguns modelos tenham se destacado nas avaliações de “Auto Press” ao longo de 2015. Ainda mais quando fazem parte de outra categoria que se saiu bem no ano: os SUVs. Caso do Volvo XC90, que conquistou nota máxima em vários quesitos e se tornou um dos grandes destaques entre as novidades que chegaram ao país nos últimos 12 meses. Veja também:
  • Retrospectiva 2015: Mercado de automóveis
  • Retrospectiva 2015: Mercado de caminhões
A fabricante sueca conseguiu, com seu imponente SUV, marcar presença na estabilidade, conforto, tecnologia, habitabilidade e acabamento. Levou nota máxima em quatro dos pontos avaliados durante seu lançamento, em setembro, em Santa Catarina. Para isso, contou o moderno chassi Four-C, com o sistema de suspensão por bolsas de ar, seus bancos anatômicos e extremamente confortáveis e uma série de itens que fazem com que a fabricante o encare como o modelo mais seguro e tecnológico que já produziu. Jaguar XE e Audi TT se encontraram em duas categorias importantes da avaliação: tanto a marca alemã quando a britânica se saíram bem no desempenho e na estabilidade. A excelência em acabamento também veio da Grã-Bretanha: o Land Rover Discovery Sport, mesmo sendo modelo de entrada da marca, esbanja requinte em sua configuração HSE Luxury.

Uma outra marca de luxo que começa a ganhar mais visibilidade no Brasil também surpreendeu reinando, sozinha, no quesito interatividade: a Lexus e seu sedã médio IS 250 e o SUV médio-grande RX 350, este último o escolhido também no que diz respeito ao conforto dos passageiros. Do Japão também vem o eleito em design. O cupê esportivo Honda Civic Si não guarda qualquer traço do conservadorismo estético nipônico e surpreende com um visual que equilibra agressividade e elegância na dose certa. Mas nem só de importados se faz um time de campeões. A Volkswagen, apesar da queda de 35% em suas vendas em 2015, sobressaiu ao adotar o motor 1.0 TSI nas versões de topo do Up. Agora, o compacto é o automóvel mais econômico do país sem contar com auxílio de propulsão elétrica. Além disso, a Jeep e a Honda se deram bem com seus novos SUVs compactos. O Renegade mostrou ser um dos melhores custos/benefícios em sua versão Longitude 4X4 diesel, enquanto o HR-V comprovou que a habitabilidade é mesmo um dos maiores trunfos dos utilitários esportivos.  Algumas investidas dão certo, outras não. A Nissan criou uma expectativa alta em relação à nova linha nacional do March. Afinal, o carrinho é eficiente, simpático e bem funcional. Mas não aproximou a fabricante japonesa dos almejados 5% de participação até 2016. Na verdade, o hatch compacto emplaca menos que 2 mil unidades mensais – 40% das 5 mil sonhadas para o modelo até o ano que vem. O March, na verdade, não tem sido o maior destaque nem nas próprias concessionárias Nissan. No mês passado, chegou a emplacar menos que o sedã Versa, construído sobre a mesma plataforma na fábrica localizada em Resende, no Rio de Janeiro.

Os melhores ponto a ponto

Desempenho

Audi TT Ambition e Jaguar XE

O motor de 230 cv de potência e 37,8 kgfm de torque do cupê esportivo alemão tem dois sistemas de injeção: uma direta  para as baixas rotações e multiponto para as altas. E ainda conta com comando continuamente variável. O resultado é uma aceleração vigorosa, com disposição em todas as faixas de giro. Não bastasse isso, a transmissão automatizada de dupla embreagem realiza trocas de maneira rápida e se adapta às pisadas ao acelerador com eficiência. Já o Jaguar XE honra as boas tradições da fabricante britânica nesse aspecto. As arrancadas são daquelas que marcam as costuras do banco nas costas do piloto e, apesar do torque máximo só aparecer a 4.500 rpm, desde os giros mais baixos já há força suficiente para apimentar o sedã. Impressiona a facilidade com que os ponteiros do velocímetro e do conta-giros sobem.

Estabilidade 

Jaguar XE, Audi TT Ambition e Volvo XC90

A dupla se encontra mais uma vez no segundo quesito da avaliação de “Auto Press”. Quanto ao XE, trata-se de um Jaguar – o que significa uma suspensão que privilegia a esportividade, embora cumpra bem o compromisso com o conforto desejável de um sedã de luxo. O resultado é um controle nas retas e curvas em alta velocidade realmente impressionante. O XE S mostra a eficácia da suspensão traseira integral link, uma espécie de multilink evoluída. A carroceria simplesmente se recusa a rolar nas curvas e, mesmo nas pisadas mais intensas, não há qualquer tendência de desgarrar. O Audi TT também explora um pouco mais a emoção e, com seus 1.260 kg, se comporta de maneira neutra mesmo nos caminhos mais sinuosos. Para isso, conta com uma ajuda especial a partir dos 120 km/h: é quando entra em ação o aerofólio traseiro retrátil do cupê, que melhora a aderência. Já o Volvo XC90 surpreende nesse ponto principalmente por seu centro de gravidade elevado, como bom utilitário esportivo que é. Mas sua versão Inscription tem sistema de suspensão por bolsas de ar e, nos modos de condução, é possível ajustar a altura mais adequada de rodagem, de acordo com o piso.

Interatividade

Lexus IS 250 e Lexus RX 350

Ainda um tanto exclusiva no Brasil, a Lexus fez bonito com dois modelos de seu portfólio nesse assunto. Tanto no sedã IS 250 F-Sport quanto no SUV RX 350, o cockpit e os bancos formam um conjunto que envolve o motorista – que praticamente “veste” o carro. Há muitos comandos e funções para serem explorados, mas todos de uso intuitivo e bem instigantes. Em ambos, a tela central é comandada pelo tradicional “joystick” da marca japonesa, localizado no console central, que vem inspirando os controle dos carros da Mercedes-Benz de uns tempos para cá. De cara, pode parecer um tanto trabalhoso, mas logo a peça se torna muito prática. Além, é claro, de adicionar boa dose de charme ao habitáculo.

Consumo

Volkswagen Up TSI

Com as normas cada vez mais severas de controle de emissão de poluentes no mercado automotivo, a adição de turbocompressores em motores aspirados tem sido cada vez mais constante. A intenção principal da Volkswagen nem era garantir mais economia de combustível quando criou o motor TSI para o Up. Mas esse se tornou um de seus maiores apelos. De acordo com dados do Programa de Etiquetagem do InMetro, o modelo recebe nota A na categoria e no geral com consumo energético de 1,44 MJ/km, o melhor registrado no Brasil sem o auxílio de um propulsor elétrico. São 9,6 km/l e 11,1 km/l na cidade e na estrada com etanol e 13,8 km/l e 16,1 km/l com gasolina.

Conforto

Lexus RX 350 e Volvo XC90
O amplo espaço interno do SUV médio-grande da Lexus é mesmo impressionante. São 2,74 metros de entre-eixos que, por dentro, parecem até mais que isso. Quatro ocupantes viajam tranquilamente e mesmo uma quinta pessoa se acomoda bem, sem afetar os demais passageiros. Os bancos de couro têm excelente densidade e, à frente, ainda oferecem aquecimento e ventilação. Os de trás, se movem e até reclinam. Isso sem falar no excelente trabalho da suspensão, que parece ter sido planejada para o solo brasileiro, repleto de imperfeições. O mesmo se pode dizer do Volvo XC90, que alia um conjunto suspensivo bem acertado com assentos anatômicos e cabine bem ampla. A qualidade dos revestimentos reforça o aspecto aconchegante e requintado do SUV. 

Tecnologia

Volvo XC90
Neste ponto, o Volvo XC90 não economiza. Desde as tecnologias comuns a modelos de luxo, como sistemas de entretenimento sofisticados e ajustes personalizados para os bancos, até os diversos sistemas de auxílio dinâmico para o motorista. Há controle de cruzeiro adaptativo com assistente de condução, que controla freio, acelerador e a direção do carro em situações de trânsito, e a nova geração do City Safety, que detecta carros, pedestres e ciclistas até mesmo no escuro e freia automaticamente em cruzamentos, se detectar um obstáculo se aproximando no sentido contrário. O Sistema de Leitura de Placas de Sinalização de série foi aprimorado para mostrar uma extensa seleção de placas de trânsito em um display digital na frente do motorista, bem como uma variedade de placas complementares das vias. A versão Inscription traz ainda o head up display, que projeta as principais informações do painel à frente do motorista, alertas de tráfego lateral e de colisão traseira, além do alerta de ponto cego e o sistema de câmaras 360º, que projeta na tela central uma visão completa do entorno do veículo. Para terminar, o som Bowers & Wilkins simula, dentre outros ambientes, a sala de concertos da Orquestra Filarmônica de Gotemburgo. Um verdadeiro abuso.

Habitabilidade

Honda HR-V e Volvo XC90
Não é surpresa que esse quesito seja dominado pelos SUVs. Afinal, é justamente a boa vida a bordo o maior motivo de modelos como o HR-V fazerem tanto sucesso. Há um generoso espaço para passageiros da frente e de trás na cabeça, ombros e pernas. O porta-malas é também de bom tamanho, com 431 litros – capacidade alcançada graças ao uso de estepe temporário. A altura de 1,58 m facilita o acesso sem cobrar qualquer contorcionismo dos ocupantes. Já o Volvo XC90 se destaca por levar sete pessoas com conforto. Desde que não sejam altos demais, os dois ocupantes da última fileira conseguem viajar bem ali. Para melhorar ainda mais, o XC90 é um veículo alto, o que facilita consideravelmente o acesso ao interior – incluindo esses lugares de trás.

Acabamento

Land Rover Discovery Sport HSE Luxury e Volvo XC90
Apesar de se tratar de um dos veículos de entrada da marca britânica, o Discovery Sport segue fielmente o alto padrão da Land Rover. Seus bancos e portas revestidos em couro, aliados às molduras no console central em alumínio escovado, entram em contraste com a parte superior do painel em preto. É o tipo de modelo em que até o cheiro parece cuidadosamente tratado para agradar os passageiros. Bem próximo do que se vê no interior do XC90, o Volvo mais requintado jamais produzido e que nada deixa a desejar em relação aos concorrentes no segmento de utilitários esportivos grandes de luxo. Elegância e bom gosto são facilmente notados em cada detalhe. 

Design

Honda Civic Si
Não há meios de transitar a bordo de um Honda Civic Si sem ser notado. Principalmente na cor da unidade testada pela equipe de “Auto Press”, laranja. Legítimo cupê, suas linhas fluídas chamam muita atenção. A parte frontal impõe respeito com seu para-choque robusto, faróis alongados e agressivos e grandes entradas de ar. No perfil, além dos vincos marcantes, as belas rodas aro 18 com pigmentação brilhante e design arrojado dominam o ambiente. Na parte traseira, o aerofólio, a ponteira de escape cromada e a lanterna com estilo mais ousado reforçam a imagem de um ligeiro esportivo.  

Custo/benefício

Jeep Renegade Longitude 4X4
Nem a Jeep esperava que as versões movidas com diesel fossem representar tanto nas vendas do pernambucano Renegade: uma em cada quatro. Mas a configuração Longitude pode ajudar a justificar isso. Ela começa em R$ 114.900 com itens de série capazes de garantir conforto e segurança aos passageiros, já que se trata de uma variante intermediária. Um detalhe faz o Renegade reinar sozinho em sua categoria: é o único entre os SUVs compactos que oferece propulsor diesel. 

Destaque do Ano

Volvo XC90

O Volvo XC90 cumpre a promessa de ser o modelo mais requintado e tecnológico já criado pela marca sueca. O SUV dispõe de todos os recursos de segurança existentes para automóveis, tem um sistema multimídia extremamente amigável, conforto que impressiona e acabamento esmeradíssimo.

Decepção do Ano

Nissan March

O Nissan March tinha tudo para fazer sucesso, mas não deslanchou. É pequeno por fora e grande por dentro, tem motores eficientes, bom preço e alto nível de conectividade. Talvez atrapalhado pelo fato de a marca japonesa ainda ser vista como “estrangeira” pelos consumidores brasileiros, o compacto vendeu bem menos do que merecia.


Autor: Márcio Maio (Auto Press)
Fotos: Arquivo/Carta Z Notícias


Desequilíbrio social - Modelos de luxo vendem como nunca em 2015 enquanto compactos enfrentam forte retração

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Lançamentos
Publicado em: 29 Dec 2015 08:40:00

Nenhum comentário:

Postar um comentário