9 de mar de 2016

Teste do Volkswagen Fox Track

Teste do Volkswagen Fox Track

De maneira geral, os consumidores brasileiros estão cada vez mais exigentes e interessados nos avanços tecnológicos. No mercado automotivo, isso se comprova facilmente. Até poucos anos, muitos modelos – principalmente compactos – eram ofertados em versões básicas, que sequer traziam itens como ar-condicionado, vidros elétricos e direção assistida. Caso do Volkswagen Fox, lançado no Brasil há 13 anos e que hoje pode ter até central multimídia que espelha celulares em configurações de entrada, com motor 1.0. Um bom exemplo desse “upgrade” dos modelos básicos é a versão Track, que surpreende pela valoração que recebe da fabricante – inclusive em seu preço.

Veja também:
  • VW alcança a marca de 100 mil unidades do Novo Fox produzidas no Brasil
  • VW Fox ganhará transmissão Tiptronic em 2017
A proposta da Volkswagen com a versão, lançada em outubro do ano passado, era atrair o público mais jovem com um visual levemente aventureiro e pitadas de modernidade. Para isso, apostou nas opções de centrais multimídia para o modelo, que vão desde tela touch, de 5 ou 6,3 polegadas, ao espelhamento de smartphones Android ou iPhone – neste último caso, é preciso pagar pelo equipamento mais caro, com tela maior, para contar com o Volkswagen App-Connect e, de quebra, ter também GPS no carro. O Fox Track segue a trilha do Gol Track no line up da marca: é uma versão com roupagem ligeiramente “off road”, mas que, assim como as outras, não é realmente destinada para este uso. Esteticamente, a grade dianteira tem o friso prateado e o para-choque traz faróis de neblina integrados. Os faróis têm acabamento que mistura máscara negra com detalhes cromados e, no perfil, chama atenção o rack de teto e as molduras inferiores e nas caixas de rodas. Maçanetas das portas e retrovisores são sempre na cor preta e, atrás, o para-choque traz um adesivo preto na região da placa e defletor na mesma cor na parte superior da tampa do porta-malas.

O interior tem a mesma ambientação e tecidos do Fox Comfortline, mas opcionalmente pode receber o revestimento interno do teto e das colunas escurecido. A lista de opcionais, na verdade, é que surpreende mais, já que trata-se de uma configuração praticamente de entrada do Fox. As rodas são de liga leve de 15 polegadas e o carro sai da fábrica com, no mínimo, ar-condicionado, direção e vidros elétricos dianteiros e som com rádio, Bluetooth, MP3 e entradas USB, auxiliar e SD, por R$ 46.950. Mas é possível equipá-lo com vidros traseiros e retrovisores elétricos, sensores de chuva, crepuscular e de estacionamento dianteiro e traseiro, volante multifuncional revestido em couro e a própria central multimídia, entre outros itens. Com tudo que pode receber, no entanto, a conta assusta: são R$ 55.190 pelo Fox Track completo. Sob o capô, o hatch traz o mesmo motor 1.0 de 3 cilindros da família EA211 que estreou no Fox Bluemotion e já é usado por toda a linha de compactos 1.0 da marca. Sua potência máxima é de 82 cv a 6.250 rpm, com etanol, e o torque chega a 10,4 kgfm a partir de 3 mil giros com o mesmo combustível. O propulsor tem sistema de partida a frio, ou seja, dispensa o tanque auxiliar para gasolina, e trabalha em conjunto com uma transmissão manual de 5 marchas.

Ponto a ponto

Desempenho – O 1.0 de três cilindros do Fox Track é um tanto modesto para mover o modelo. Ele só mostra mesmo algum vigor a partir dos 3 mil giros, quando alcança o torque máximo de 10,4 kgfm com etanol no tanque. Em tráfego rodoviário, até se sai bem. Mas, em perímetro urbano, não mostra muita agilidade. O câmbio manual, no entanto, tem engates precisos e as marchas são bem escalonadas. Nota 6. Estabilidade – O Fox tem uma suspensão firme – típica da marca alemã. Mas a altura um pouco elevada da carroceria faz com que ela balance em mudanças de direção. Não chega a ser um grande problema, mas convém não levar o hatch aos limites em trechos sinuosos. De qualquer forma, a direção tem relação mais direta com as rodas e peso correto em velocidades altas, o que transmite sensação de segurança ao motorista. Nota 7. Interatividade – O Fox Track é simples, mas bastante funcional. Todos os instrumentos têm boa visualização, são de fácil compreensão e estão bem localizados. Há ainda uma central multimídia opcional que espelha celulares e tem GPS. É possível parear, via Bluetooth, dois celulares simultaneamente e operar telefone e áudio streaming. O sistema ainda lê mensagens de texto do celular por meio dos alto-falantes e é possível respondê-las por comando de voz. Nota 8.

Consumo – O InMetro avaliou o Volkswagen Fox Track e registrou 8,6/9,3 km/l com etanol na cidade/estrada e  12,2/ 13,4 km/l com gasolina, nas mesmas condições. Os números renderam nota A em sua categoria e B na geral, com 1,68 MJ/km de consumo energético. Nota 8. Conforto – O bom espaço interno do modelo é um dos pontos altos. Quatro adultos conseguem se acomodar no interior sem apertos, com boa área para cabeça, pernas e ombros. Apenas um terceiro ocupante atrás pode sofrer graças à pouca largura da carroceria. O isolamento acústico é eficiente e a suspensão, apesar de mais firme, filtra boa parte das irregularidades do asfalto. Nota 7. Tecnologia – O Fox é um projeto antigo, em comparação com seus concorrentes diretos. A plataforma é a simplificação da utilizada no Polo em 2001. Já o motor da versão Track é moderno, o 1.0 de três cilindros. A central multimídia opcional é a grande novidade do modelo, completa e eficiente. Nota 7.

Habitabilidade – Há bons porta-objetos e o ângulo de abertura das portas também é suficiente para garantir o acesso e a saída dos passageiros com facilidade. O porta-malas leva um volume normal para sua categoria: 270 litros. Nota 7. Acabamento – O interior do modelo é simples, mas correto. Há plásticos rígidos abundantes, mas a realidade dos concorrentes diretos não é tão diferente. Os encaixes e arremates são bons. De qualquer forma, é pouco para um carro que começa em cerca de R$ 47 mil e, completo, ultrapassa R$ 55 mil. Nota 7. Design – O visual do Fox Track é marcado pela grade dianteira com friso pintado e para-choque com luzes de neblina integradas. Os faróis têm acabamento que mistura máscara negra com detalhes cromados e a lateral é valorizada por um rack de teto, molduras inferiores e nas caixas de rodas e o logotipo da versão nas portas traseiras. Maçanetas e retrovisores são sempre na cor preta e, atrás, há um defletor preto na parte superior da tampa do porta-malas. Apesar de algumas reestilizações desde seu lançamento, o design já é ultrapassado. Nota 6.
Custo/benefício – O Fox Track parte de R$ 46.950, mas chega a R$ 55.190 com todos os opcionais. É muito caro, apesar da lista extensa de equipamentos de conforto e entretenimento, com itens como sensor crepuscular e de chuva. Nenhum modelo de marca generalista com propulsor deste tamanho é tão bem equipado quanto o Fox Track. Mas o preço dele completo é superior ao do Renault Sandero inclusive em suas versões mais caras, como a Stepway, a partir de R$ 55 mil. O Nissan March topo de linha, com propulsor 1.6 de 111 cv, é R$ 51.790. Já a Ford pede R$ 51.690 pelo Ka SEL 1.5, que traz até controle eletrônico de estabilidade e tração. Definitivamente, este não é um ponto favorável para o Fox Track. Nota 5. Total – O Volkswagen Fox Track somou 68 pontos em 100 possíveis.

Impressões ao dirigir

Toda a linha do Volkswagen Fox passou a receber o motor 1.0 de três cilindros da marca – que inclusive estreou no Brasil no modelo, depois de ter feito seu “debut” na Europa no subcompacto Up. O propulsor não chega a injetar esportividade no carro, mas faz com que os giros subam mais rápido e, em diversos modelos, afasta a ideia de “falta de força” comum aos outros 1.0 de quatro cilindros, mais antigos e já ultrapassados por aqui.
Nas arrancadas, essa vantagem não aparece tanto. É já perto das 3 mil rpm que o Fox Track mostra mais vigor e propicia ultrapassagens e retomadas próximas às de modelos com motores um pouco maiores. Nesta faixa, as respostas ao acelerador são mais rápidas e consistentes e abrem espaço até para a dúvida se os dados da ficha técnica são mesmo tão modestos – de 82 cv máximos a 6.250 rpm com etanol e 10,4 kgfm de torque com o mesmo combustível, em 3 mil giros. Mas a grande surpresa do Fox Track é sua lista de equipamentos, capaz de provocar inveja se comparada à de alguns concorrentes com propulsores mais fortes. Completo, ele tem central multimídia que espelha celulares, GPS, faróis automáticos e sensores de chuva. A questão é que todas essas características elevam demais o valor do modelo e um dos pontos que mais deveriam influenciar a decisão de compra de um carro, que é a questão da segurança, passou batido pela marca. Não há nada nesse aspecto que não seja encontrado também na concorrência. Aliás, alguns oponentes até mais baratos, como o Ford Ka, já desfrutam de equipamentos como controle eletrônico de estabilidade e tração, ausentes no Fox Track.

Ficha técnica

Volkswagen Fox Track

Motor: Etanol e gasolina, dianteiro, transversal, 999 cm³, três cilindros em linha, quatro válvulas por cilindro, comando simples no cabeçote e comando variável de válvulas na admissão. Injeção multiponto sequencial e acelerador eletrônico.
Transmissão: Câmbio manual com cinco marchas à frente e uma a ré. Tração dianteira.
Potência máxima: 82 cv e 75 cv a 6.250 rpm com etanol e gasolina.
Torque máximo: 10,4 cv e 9,7 kgfm a 3 mil rpm com etanol e gasolina.
Aceleração de 0 a 100 km/h: 14,4 e 14,7 segundos com etanol e gasolina.
Velocidade máxima: 159 e 158 km/h com etanol e gasolina.
Diâmetro e curso: 74,5 mm X 76,4 mm.
Taxa de compressão: 11,5:1.
Pneus: 195/55 R15.
Peso: 1.084 kg.
Suspensão: Dianteira do tipo McPherson com mola helicoidal e barra estabilizadora. Traseira interdependente com braço longitudinal e mola helicoidal.
Freios: Discos na frente e tambor atrás. ABS com EBD. 
Carroceria: Hatch em monobloco com quatro portas e cinco lugares. Com 3,87 metros de comprimento, 1,90 m de largura, 1,58 m de altura e 2,47 m de distância entre-eixos. Airbags frontais. 
Capacidade do porta-malas: 270 litros.
Tanque de combustível: 50 litros.
Produção: São José dos Pinhais, Paraná.
Itens de série: Sistema de partida a frio sem tanque auxiliar de gasolina, direção elétrica, banco do motorista com ajuste de altura, banco traseiro rebatível, dois apoios de cabeça no banco traseiro, quatro alto-falantes e dois tweeters, aerofólio traseiro preto brilhante, alças de segurança dianteira e traseiras no teto, antena no teto, ar-condicionado, chave tipo “canivete” sem controle remoto, cintos de segurança dianteiros com pré-tensionador e limitador de carga, cintos de segurança traseiros laterais de três pontos, coluna de direção com ajuste de altura e profundidade, colunas centrais externas com aplique preto, desembaçador traseiro, espelhos retrovisores externos com comando interno manual e luzes indicadoras de direção integradas, faróis de neblina, faróis duplos com máscara escurecida, gaveta sob o banco do motorista, lanterna de neblina, lanternas traseiras escurecidas, para-sol com espelho iluminado para motorista e passageiro, porta-revistas nos encostos dos bancos dianteiros, racks de teto longitudinais, rodas de liga leve de 15 polegadas,  sistema infotainment com rádio AM/FM, Bluetooth, MP3 e entradas USB, SD, e auxiliar, tomada 12V no console central, travamento elétrico das portas e porta-malas e vidros dianteiros elétricos com função “one touch”
Preço básico: R$ 46.950.
Opcionais: alarme, sensores de estacionamento dianteiros e traseiros, luz de leitura dianteira e duas traseiras, chave tipo “canivete” com comando remoto, porta-malas com iluminação, retrovisores externos elétricos com função “tilt down” no lado direito, porta-luvas com iluminação, porta-objeto removível e acendedor de cigarro, rede no porta-malas, tampa do porta-malas com abertura por controle remoto, tomada 12V no console central e no compartimento de bagagens, travamento elétrico das portas e porta-malas com controle remoto, vidros traseiros elétricos, banco traseiro corrediço e com três apoios de cabeça com ajuste de altura, computador de bordo, retrovisor interno eletrocrômico, faróis de neblina com luz de conversão estática, sensores de chuva e crepuscular, sistema infotainment touchscreen “Discover Media” com navegação e espelhamento de celulares e volante multifuncional revestido em couro. 
Preço completo: R$ 55.190.
Autor: Márcio Maio (Auto Press)
Fotos: Jorge Rodrigues Jorge/Carta Z Notícias

Juízo de valor - Volkswagen Fox Track é hatch compacto bem equipado, mas chega a custar mais de R$ 55 mil

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Testes
Publicado em: 09 Mar 2016 12:00:00

Nenhum comentário:

Postar um comentário