16 de jun de 2016

Primeiras impressões do Nissan March e Versa com câmbio CVT

Primeiras impressões do Nissan March e Versa com câmbio CVT

Os câmbios CVT andam em alta na indústria automotiva mundial - notadamente nas marcas japonesas. Nos últimos anos, Toyota, Honda e Nissan vêm adotando cada vez mais as transmissões continuamente variáveis, tidas como mais racionais em termos de aproveitamento energético, principalmente em seus sedãs médios e médio-grandes. Mas a Nissan resolveu fazer diferente e acaba de apresentar a opção de câmbio CVT para sua linha de compactos fabicados no Complexo Industrial de Resende, na região Sul Fluminense. A partir desse mês, o sistema passa a ser disponibilizado nas versões SV e SL do hatch March e nas SV, SL e Unique do sedã Versa equipadas com motor 1.6 16V flex, com 111 cv e 15,1 kgfm. A Nissan já oferecia o câmbio CVT nos sedãs Sentra e Altima, ambos importados do México. Em outros mercados, a transmissão é adotada também nos crossovers Qashqai, Juke e Murano.

A Nissan dá à sua transmissão continuamente variável a denominação "XTronic CVT" – e o pequeno logo com o nome dado ao câmbio é a solitária novidade externa visível nas novas versões dos dois compactos. Por dentro, a tradicional alavanca do câmbio manual dá lugar à alavanca com as marcações D, N e R – para Drive, Neutral e Reverse. A Nissan afirma que o “Xtronic CVT” de nova geração que agora equipa March e Versa – produzido pela Jacto, empresa do grupo Nissan – proporciona o melhor desempenho em consumo de combustível, já que mantém a rotação do motor adequada e oferece bom torque em todas as condições de condução. Uma das novidades dessa caixa de última geração é o sistema “Lock Up” com Active Slip Control. Com ele, segundo a Nissan, o CVT obtém acelerações com respostas mais vigorosas e sem alternâncias, pois o sistema “segura” a polia e a solta de forma gradual para que o torque seja transmitido de forma linear e rápida. O CVT de March e Versa conta também com a função denominada “Overdrive”. Um botão na lateral da alavanca do câmbio permite ao motorista alterar o regime de rotação do motor para uma maior faixa de giro, proporcionando melhores respostas nas acelerações.

Um aspecto interessante da nova transmissão é que ela permitiu que ambos os modelos obtivessem nota A nos testes de consumo e emissões realizados pelo InMetro. Também receberam o selo do Conpet para veículos leves, concedido aos veículos que participam do programa de etiquetagem que atingem grau máximo de eficiência energética. Ambos reproduziram os resultados das suas versões equipadas com câmbio manual. Com etanol, o March 1.6 16V obteve 7,8 km/l na cidade e 9,8 km/l na estrada. Com gasolina, faz 12 km/l na cidade e 15 km/l na estrada. Já o Versa 1.6 16V fez 7,8 km/l (cidade) e 10 km/l (estrada) com etanol e 12 km/l (cidade) e 14 km/l (estrada) com gasolina.

Além da opção de CVT nas versões 1.6, há novidades nos acabamentos para a linha 2017 do Versa. A versão de entrada 1.0, por exemplo, passa a se chamar 1.0 Conforto. Os itens de série do pacote “Pack Plus” foram incorporados às versões de entrada e a versão 1.6 SV sem o “Pack Plus” passa a se chamar 1.6 S. O objetivo foi deixar as versões base mais equipadas. O Versa conta agora com vidros elétricos nas quatro portas de série, além do Isofix disponível a partir da versão 1.6 SV.

As versões dos compactos Nissan com CVT ficaram R$ 4.800 mais caras que as com câmbio manual. A mais barata é o March SV Xtronic CVT, que começa em R$ 54.090, e a mais cara é o Versa Xtronic CVT Unique, que custa R$ 66.290.  Apesar de não ter sido confirmado pela Nissan, é bastante provável que o mesmo "powertrain" dessas novas versões de March e Versa seja adotado no Kicks. O novo utilitário esportivo compacto chega ao Brasil a partir de agosto importado do México, mas em 2017 também será produzido em Resende, na mesma linha de onde já saem March e Versa.

Primeiras impressões

Itatiba/SP - Na apresentação do câmbio CVT para a linha compacta da Nissan produzida no Brasil, o modelo avaliado foi uma versão "top" do hatch March, a SL. Não demora muito para perceber o indisfarçável vigor do carrinho, que com o novo trem de força oferece retomadas bem mais progressivas, vigorosas e precisas que a versão manual, além de eliminar os solavancos nas trocas das marchas das caixas automáticas tradicionais - porque não funciona com engrenagens, mas sim com duas polias. Cada polia tem dois cones que se afastam ou se aproximam, diminuindo ou aumentando a largura do canal onde passa a correia, elevando ou reduzindo a velocidade do carro de acordo com as demandas do pedal do acelerador. Um CVT oferece uma infinidade de marchas entre as menores e maiores relações.

Os que não gostam do câmbios CVT normalmente reclamam que eles deixam os carros "anestesiados". O fato é que o March testado não parecia nada "anestesiado". Pelo contrário. Dava a impressão de estar desperto até demais e oferecia acelerações bem impressionantes para um hatch compacto. A direção eletricamente assistida é um ponto alto do carro - é suave nas manobras de estacionamento e bastante precisa nas altas velocidades. A função Overdrive dá uma força extra ao conjunto nas ultrapassagens de veículos e nas acelerações em subidas. E ainda permite a redução de velocidade pelo freio motor.
Um "efeito colateral" do câmbio CVT é que geralmente ele torna os veículos um tanto ruidosos, principalmente durante as acelerações. No caso dos novos March e Versa, a Nissan garante que aperfeiçoou o isolamento acústico dos veículos para que a aceleração em crescimento não incomode os ocupantes. Os para-brisas receberam, tratamento para reduzir ruídos e o painel, especialmente a parte superior, ganhou materiais fonoabsorventes mais densos. Apesar dos alegados  cuidados, durante as acelerações mais vigorosas, os ruídos do trem de força invadem o habitáculo do March CVT sem maiores cerimônias. O que acaba reforçando a percepção de esportividade a bordo.

Ficha técnica

Nissan March e Versa 1.6 CVT

Motor: A gasolina e etanol, dianteiro, transversal, 1.598 cm³, quatro cilindros em linha, quatro válvulas por cilindro. Acelerador eletrônico e injeção eletrônica multiponto sequencial.
Transmissão: Transmissão continuamente varíavel (CVT) com uma marcha a ré. Tração dianteira. Não oferece controle de tração.
Potência: 111 cv com gasolina/etanol a 5.600 rpm.
Torque: 15,1 kgfm com gasolina/etanol a 4 mil rpm.
Diâmetro e curso: 78 mm X 83,6 mm.
Taxa de compressão: 10,7:1.
Suspensão: Dianteira independente do tipo McPherson com molas helicoidais, amortecedores hidráulicos e barra estabilizadora. Traseira por eixo de torção com molas helicoidais e amortecedores hidráulicos.
Pneus: 185/60 R15.
Freios: Discos ventilados na frente e tambores atrás. ABS com EBD e assistência de frenagem.
Carroceria - March: Hatch compacto em monobloco com cinco portas e cinco lugares. Com 3,83 metros de comprimento, 1,67 m de largura, 1,53 m de altura e 2,45 m de entre-eixos. Oferece airbags frontais de série. 
Carroceria - Versa: Sedã em monobloco com quatro portas e cinco lugares. Com 4,45 metros de comprimento, 1,69 m de largura, 1,51 m de altura e 2,60 m de distância entre-eixos. Oferece airbags frontais de série.
Capacidade do porta-malas: 265 litros (March) e 460 litros (Versa).
Tanque de combustível: 41 litros.
Produção: Resende, Brasil.

Itens de série e Preços

Versão SV: Ar-condicionado, banco do motorista com regulagem de altura, computador de bordo, conta-giros, direção elétrica progressiva, vidros, travas e retrovisores elétricos, volante com regulagem de altura, faróis de neblina, rodas de liga leve de 15 polegadas, airbag duplo, ABS, travamento automático das portas com veículo em movimento, abertura interna do porta-malas e do tanque de combustível, desembaçador traseiro, alarme, volante multifuncional.
Preço: R$ 54.090 (March) e R$ 57.990 (Versa).
Versão SL: Adiciona sistema de multimídia com tela colorida de 5,8 polegadas, entrada para MP3 Player/iPod, USB, GPS e câmara de ré e ar-condicionado digital automático.
Preço: R$ 58.390 (March) e R$ 64.690. 
Versão Unique (Versa): revestimento em couro no volante, manopla do câmbio, bancos e portas e rodas de liga leve de 16 polegadas.
Preço: R$ 66.290.

Autor: Luiz Humberto Monteiro Pereira (Auto Press)
Fotos: Luiz Humberto Monteiro Pereira/Carta Z Notícias (March) e Divulgação (Versa)

Novidades em marcha - Nissan introduz a opção de câmbio CVT nas versões com motor 1.6 16V de March e Versa

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Testes
Publicado em: 15 Jun 2016 12:42:00

Nenhum comentário:

Postar um comentário