16 de nov de 2015

Cuidado com o prejuízo: veja erros comuns de quem vai comprar um carro novo

Cuidado com o prejuízo: veja erros comuns de quem vai comprar um carro novo

Para muita gente, ter condições de comprar um carro novo representa a realização de um sonho, mas, segundo especialistas do mercado, a inexperiência pode acabar transformando esse momento em um grande pesadelo. Isso porque uma decisão equivocada pode render ao comprador além de prejuízos financeiros, a insatisfação de ter um veículo que não atende todas as suas necessidades. Sabendo disso, portanto, decidimos apresentar a seguir uma lista com alguns dos erros comuns que devem ser evitados nesse sentido. Confira!

Os erros comuns de quem vai comprar um carro zero km



Não definir o tipo de carro

A decisão de comprar um determinado modelo de carro deve passar primeiramente pelo crivo da necessidade. Desconsiderar isso é andar de mãos dadas com o erro. Isso significa que antes de optar pelo modelo A ou B, o comprador deve considerar, por exemplo, aspectos como tamanho da família (se é solteiro, casado, com filhos) e o objetivo do veículo (se é pra viagem, trabalho, locomoção em vias rurais, etc). Com esses detalhes definidos em mente, fica bem mais fácil encontrar o modelo ideal. Leia também:
  • As 10 marcas mais valiosas do mercado automotivo em 2015
  • Levantamento aponta quais são os carros com manutenção mais barata no Brasil – confira
  • Aprenda a lidar e cuidar melhor dos bancos de couro de seu carro com essa série de dicas

Considerar somente o preço

Pensar que o preço do veículo será o único investimento necessário é mais um equívoco grave. Antes de decidir por determinado modelo o comprador precisa ter em mente que existem outras despesas obrigatórias, como o IPVA, por exemplo. Além disso, há outras despesas prováveis, como as de manutenção e seguro do veículo. Ao fazer a pesquisa pelo modelo ideal, portanto, o melhor é observar o custo dessas despesas, o preço costuma variar bastante de um carro para outro.

Negociar o veículo com o preço de tabela

A maioria das concessionárias tendem a ser razoáveis quando o comprador manifesta interesse em negociar um desconto. Diante disso, pechinchar o menor valor possível é quase que obrigação em tempos de crise como esse em que vivemos, pelo que, abrir mão disso é um grande erro. Uma dica válida é começar as conversas com o preço do veículo já abaixo do preço de tabela, já que a maioria das concessionárias já tendem a oferecer os modelos por um valor menor logo de cara. E se o veículo desejado tiver com pouca saída no mercado, as chances de conseguir um desconto razoável se tornam bem maiores.

Usar o carro antigo como moeda de troca sem pensar

Pela pressa de comprar um carro zero ou diante do impulso de aproveitar uma promoção, muita gente acaba oferecendo o carro antigo como parte do pagamento sem pensar duas vezes, o que também pode ser um erro. As concessionárias que lucram com a venda de carros novos e usados tendem a aceitar o carro antigo como moeda de troca pelo menor valor possível, o que de modo geral pode não ser um bom negócio para o comprador. Para quem quer comprar um carro novo se desfazendo do antigo, portanto, a dica é vender antes o usado para uma pessoa física por meio de classificados e então pegar o dinheiro para dar de entrada. Com o dinheiro em mãos torna-se até mais fácil negociar um desconto maior com uma boa entrada ou pagamento à vista.

Fonte: R7
Publicado em: 2015-10-30T12:03:44-02:00

Nenhum comentário:

Postar um comentário