7 de mai de 2015

Impressões do Nissan Leaf

Impressões do Nissan Leaf

Trinta e cinco países. Quatro continentes. Mais de 100 mil unidades vendidas. Os números poderiam ser de qualquer automóvel movido a combustão. Porém, são do Nissan Leaf. Criado em 2010 pela marca japonesa, o modelo é o carro a eletricidade mais vendido no mundo. Para se ter uma ideia, 75 mil emplacamentos são só nos Estados Unidos. O Leaf até pode ser visto circulando aqui no Brasil, onde não é comercializado oficialmente. Ele integra algumas frotas de táxi, polícia e corpo de bombeiros, nas cidades do Rio de Janeiro e de São Paulo. Funcionam como uma boa vitrine tecnológica, capaz de atrair atenções e contar pontos para a imagem da fabricante, que tem a ambição de atingir 5% de participação no mercado nacional até 2016.

O hatch médio da Nissan foi o primeiro veículo elétrico a ser fabricado e vendido em massa, apresentado mundialmente como versão de produção no final de 2010, pouco antes do início de sua comercialização. Chegou à Europa em 2011 e, de lá para cá, foi ocupando lugar de destaque entre as opções de modelos com emissão zero de poluentes.

Para mover o Leaf, a Nissan adotou um motor elétrico de 80 kW, cerca de 110 cv, e 28,4 kgfm de torque. A reação do propulsor movido a baterias de íons de lítio é instantânea, o que faz com que entregue respostas imediatas. As baterias ficam embaixo dos bancos dianteiro e traseiro e podem ter a carga reestabelecida a 80% em cerca de meia hora quando conectadas a um carregador de alta capacidade. Já em uma tomada comum, o estoque de energia vai a 100% em oito horas. Com carga total, a autonomia chega a aproximadamente 170 km. Mas esse número varia de acordo com a utilização do carro.

Além de ser um veículo com emissão zero de poluentes, o Nissan Leaf tem um design peculiar. Os faróis e lanternas avantajados e a falta de escapamento e do tradicional bocal de abastecimento são características marcantes no estilo do modelo – o “plug” para recarregar as baterias fica no para-choque dianteiro, entre o capô e a grade.

As comodidades são similares às de vários modelos médios. Vão desde ar-condicionado, sistema de entretenimento, vidros, travas, retrovisores e direção elétrica e chegam à chave presencial, que possibilita abrir o carro e ligar o motor com apenas um toque. Nos Estados Unidos, o preço inicial é de US$ 29.010, cerca de R$ 87.600. Mas, caso fosse vendido no Brasil com a atual falta de incentivos públicos, esse valor facilmente se aproximaria da barreira dos R$ 200 mil.

Primeiras impressões

Resende/RJ – A primeira característica que deixa clara a condição de veículo elétrico do Nissan Leaf é a total ausência de ruído do motor. Ao entrar no carro, para quem não conhece o modelo, fica difícil perceber se ele está ou não ligado. Os comandos essenciais estão bem posicionados e é bem fácil encontrar uma posição prazerosa de direção. A visibilidade, tanto à frente quanto atrás, é condizente com a maior parte dos hatches médios.
O espaço interno é generoso para todos os passageiros e um quinto elemento viaja bem em distâncias curtas, mais urbanas. O sistema multimídia facilita a vida do condutor, com câmara de ré para manobras. A direção elétrica é extremamente suave sem deixar de ser precisa e o painel de informações tem leitura fácil e destaca com eficiência os dados cruciais para a utilização do modelo. Caso da autonomia, por exemplo, que ganha mais espaço que os indicadores de combustível dos modelos da fabricante japonesa.
É em movimento que o “ecologicamente correto” da Nissan mostra seu maior trunfo. O motor elétrico, além de extremamente silencioso, tem saídas e retomadas eficientes graças ao torque quase instantâneo de 28,4 kgfm. A potência final de 110 cv é capaz de levar o modelo à velocidade máxima de 145 km/h. Quem não quiser ou não precisar desse desempenho no uso rotineiro do modelo pode aproveitar a função Eco, que diminui consideravelmente as respostas do carro ao pedal do acelerador e aumenta a autonomia do veículo, que é de cerca de 170 km com uma carga completa.

Ficha técnica

Nissan Leaf 

Motor: dianteiro, transversal, elétrico; Bateria: íons de lítio de 24 kWh.
Transmissão: Manual com uma marcha, tração dianteira. Oferece controle de tração e de estabilidade.
Potência máxima: 110 cv.
Aceleração 0-100 km/h: 11,9 segundos.
Velocidade máxima: 145 km/h.
Torque máximo: 28,6 kgfm quase instantâneo.
Suspensão: Dianteira independente com barra estabilizadora frontal e traseira do tipo eixo de torção.
Pneus: 205/55 R16.
Freios: disco ventilado na dianteira e na traseira. Tem ABS com EBD e freio de estacionamento eletrônico.
Carroceria: Hatch com quatro portas e cinco lugares. Com 4,45 metros de comprimento, 1,77 m de largura, 1,55 m de altura e 2,70 m de distância entre-eixos. Airbags frontais, laterais e de cortina.
Peso: 1.450 kg.
Capacidade do porta-malas: 330 litros.
Autonomia: 170 km.
Recarga: 8 horas em tomada 220 volts.
Produção: Oppama e Yokohama no Japão; Sunderland na Inglaterra e Tennessee, nos Estados Unidos.
Lançamento mundial: 2010.
Itens de série: Airbags dianteiros e laterais, controle de tração e estabilidade, banco com regulagem de altura e profundidade, ar-condicionado, som com CD, MP3 e entrada USB, sistema de navegação e computador de bordo. 
Preço: A partir de US$ 29.010 nos Estados Unidos, algo em torno de R$ 87.600.

Autor: Márcio Maio (Auto Press)
Fotos: Márcio Maio/Carta Z Notícias

Verde que vende - Carro elétrico mais comercializado no mundo, Nissan Leaf alia vigor e conforto com zero emissões

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Testes
Publicado em: 29 Apr 2015 18:25:00

Nenhum comentário:

Postar um comentário