20 de abr de 2015

Teste do Fiat Punto T-Jet

Teste do Fiat Punto T-Jet

Com o passar dos anos, algumas categorias de veículos se subdividiram para tentar acertar com mais precisão o desejo do consumidor. E, claro, foi isso que aconteceu com o segmento de maior volume no mercado, que é o de hatches compactos. Há todo tipo de modelo: simplórios, racionais, esportivos e até de marcas de luxo. As versões mais sofisticadas, embora não cheguem a ter vendas muito expressivas, servem como “carro de imagem” da linha. É o caso do Punto T-Jet, que tem como trunfo o motor que esconde sob o capô. Trata-se, de fato, do carro turbo mais barato do Brasil.

Veja também:
  • Fiat apresenta Linea e Punto 2016
  • Teste do Fiat Punto Sporting
O propulsor 1.4 turbo desenvolve 152 cv a 5.500 rpm e tem torque de 21,1 kgfm entre 2.250 e 4.500 giros. Ele é importado da Itália e trabalha com o auxílio de uma turbina de 1,0 bar de pressão com intercooler e bebe apenas gasolina. O trem de força é completado pela transmissão manual de cinco marchas que equipa outras configurações do modelo. Com peso total de 1.263 kg – em ordem de marcha –, o compacto acelera de zero a 100 km/h em 8,3 segundos e atinge 203 km/h, de acordo com a marca. O modelo conta ainda com três modos de condução, através do sistema batizado de DNA, para designar as opções “Dinâmico”, “Normal” e “Autonomia”. O primeiro aumenta a sensibilidade do acelerador, o segundo deixa o mapeamento do motor inalterado e o terceiro é uma adaptação do que se usa na Europa para situações de neve. As respostas do propulsor se tornam mais lentas para evitar o destracionamento das rodas. No Brasil, a ideia é facilitar a redução de consumo de combustível.

Esteticamente, o Punto mudou pouco desde que foi lançado no Brasil, em 2007. O modelo apenas passou por uma leve reestilização há três anos, em 2012. Nesse ponto, a versão T-Jet também se diferencia do resto da gama. Ele tem para-choques mais pronunciados, minissaias laterais, faixas com o nome da versão, pinças de freio vermelhas, escapamento duplo, lanternas traseiras em leds e rodas de liga leve maiores, com 17 polegadas. Por dentro, detalhes como as pedaleiras em alumínio, iluminação com efeito noturno e painel com pintura parcial na cor da carroceria chamam atenção.  O Punto T-Jet oferece bons equipamentos de série. Os itens de segurança os essenciais airbags frontais e freios ABS, mas o modelo já sai de fábrica com “mimos” como o sistema de entretenimento Uconnect, do grupo FCA, que tem tela “touch” de cinco polegadas e é operado por comandos de voz. Ele conta com rádio, CD, MP3, entrada USB e Bluetooth com streaming de audia – função ausente no Blue&Me usado até a linha 2015. Há ainda piloto automático e sensor de estacionamento traseiro com visualizador gráfico. A lista de opcionais deixa o modelo mais refinado e acentua sua estética esportiva, com itens como ar-condicionado digital, navegador com GPS, sensor de luminosidade e chuva, câmara de ré, airbags laterais e de cortina e teto solar panorâmico.

A Fiat cobra pelo Punto T-Jet iniciais R$ 67.010. Mas essa conta pode chegar a R$ 81.258 com todos os opcionais disponíveis e pintura metálica. Entre os concorrentes não há um modelo que rivaliza diretamente com o Punto T-Jet em relação a conteúdo e potência. Versões de topo de hatches mais sofisticados, como Peugeot 208 Griffe, Ford Fiesta Sport e Citroën C3 Exclusive, custam menos que R$ 60 mil. Entre importados, o Suzuki Swift Sport é o que fica mais próximo: custa em torno de R$ 75 mil e tem 142 cv. Dentro da gama, a versão T-Jet responde por 3% das vendas do Punto – entre 40 e 50 unidades das 1.435 vendas médias mensais de 2015. Para quem valoriza a esportividade, o Punto T-Jet ainda se mantém sedutor. 

Ponto a ponto

Desempenho – O Punto T-Jet é quase um brinquedo de adulto. O nervoso motor 1.4 turbo, com 152 cv e 21,1 kgfm, oferece  saídas, ultrapassagens e retomadas sempre eficientes. Os três modos de direção, “Dinâmico”, “Normal” e “Autonomia” apresentam diferenças sutis entre si, mas o “Dinâmico” garante um comportamento mais reativo. Nota 9. Estabilidade – De maneira geral, o Punto tem bom comportamento dinâmico. Na versão T-Jet, a suspensão mais rígida melhora o apoio no chão. Mesmo em velocidades elevadas, a sensação de segurança permanece. Nota 8. Interatividade – A posição de dirigir é boa e o volante tem ótima pegada, apesar de ser um tanto grande. O quadro de instrumentos tem leitura simples e há poucos comandos no habitáculo, todos acessíveis e de uso intuitivo. O câmbio manual de cinco velocidades tem engates precisos e a visibilidade é boa tanto à frente quanto atrás. Nota 8.

Consumo – O Fiat Punto T-Jet não foi avaliado pelo Programa de Etiquetagem do InMetro. Na avaliação, em trajetos que mesclaram trânsito rodoviário e urbano,  o hatch alcançou a média de 8,4 km/l. Fraco para um modelo apenas a gasolina. Nota 7. Conforto – A esportividade do Punto T-Jet prejudica levemente a vida dos ocupantes. A suspensão mais firme transfere para a cabine os desníveis das ruas brasileiras. O espaço, porém, é justo para um modelo compacto – três no banco de trás, apenas trajetos curtos. O isolamento acústico é eficiente, já que o barulho do motor só invade mesmo o habitáculo quando sua força é exigida e, nesse caso, cria uma atmosfera instigante. Nota 7. Tecnologia – A plataforma do Punto brasileiro é a mesma do Fiat Idea e trata-se de uma adaptação da utilizada no antigo Uno europeu. O motor turbo é competente e a lista de equipamentos do T-Jet traz um pouco mais que o essencial para um carro desta faixa de preços, incluindo sistema de entretenimento com comando de voz. É preciso recorrer à lista de opcionais para equipá-lo com teto solar, seis airbags, GPS e ar-condicionado automático. Nota 8.

Habitalidade – Há poucos porta-objetos na cabine do Punto T-Jet. Até os bolsões das portas são estreitos. O porta-malas leva 280 litros, quantidade condizente com o segmento, mas o fundo traz um desnível causado pelo estepe. Nota 6. Acabamento – O painel tem aplique plástico na cor da carroceria – no caso da versão testada, vermelho – e mescla uma aspecto jovem com uma qualidade aparentemente boa e encaixes bem feitos. O volante recebe um couro pespontado, assim como os bancos. Os cromados são utilizados sem exageros e a iluminação indireta no habitáculo contribui para um resultado harmônico, charmoso e agradável. Nota 8. Design – O Punto surgiu no Brasil em 2007 e, de lá para cá, passou por poucas modificações – a principal delas foi interior, renovado recentemente. Mas mesmo depois de oito anos, ainda é um carro com formas que chamam atenção. A versão T-Jet traz discretas saias laterais, rodas de 17 polegadas, duas falsas entradas de ar na dianteira e adesivos laterais relativos à configuração. O resultado é um visual esportivo apenas comedido. Nota 8. Custo/benefício – O preço inicial do Punto T-Jet é R$ 67.010 e traz itens de série interessantes. Os opcionais deixam o conjunto ainda melhor, mas aumentam muito a conta final. A adição de ar-condicionado digital, navegador GPS, sensor de luminosidade e chuva, retrovisor interno eletrocrômico, airbags laterais e de cortina e teto solar panorâmico sobe o preço para R$ 79.866 com pintura sólida. Não há outro carro com motor turbo nesta faixa de preço inicial entre os hatches compactos premium vendidos no Brasil. Nota 7. Total – O Fiat Punto T-Jet somou 76 pontos em 100 possíveis.

Impressões ao dirigir

A estética das versões esportivas, mesmo quando aparece de maneira mais contida, costuma dar mais personalidade aos modelos. No Fiat Punto T-Jet, os para-choques com discretas entradas de ar dão o toque “agressivo” no design, tanto na traseira quanto na dianteira. O aspecto dinâmico ainda se reforça na traseira com o escapamento duplo e se mantém na cabine, com bancos revestidos em couro e costura aparente, o teto solar opcional da versão testada e o câmbio manual de cinco marchas. Há até um aplique de plástico emborrachado pintado na cor da carroceria. O volante tem excelente pegada e os pedais em alumínio de série aliam charme e esportividade. Mas toda a “raiva” do hatch compacto fica explícita de fato ao dar a partida no motor 1.4 turbo de 152 cv. O propulsor move os 1.263 kg do carro – em ordem de marcha – com extrema competência. Só as saídas se mostram ligeiramente prejudicadas pelo torque máximo de 21,1 kgfm, que só aparece em sua totalidade a partir de 2.250 rpm. O zero a 100 km/h é feito em 8,3 segundos e é possível ultrapassar os 200 km/h no Punto T-Jet. Mas não tanto – o limite é 203 km/h.
Para instigar ainda mais o condutor, o computador de bordo exibe um marcador digital que mostra em quanto está a pressão do turbo. Já a seleção Autonomia ameniza um pouco do comportamento raivoso e prioriza a economia de combustível e, com isso, a redução de emissões de poluentes no meio ambiente – características que provavelmente não preocupam quem opta por este tipo de versão.  O Punto T-Jet não conta com controle eletrônico de estabilidade, item comum nas configurações esportivas e turbinadas atualmente. Mas o modelo é bastante equilibrado nas curvas e se mostra com boa aderência, mantendo as rodas fincadas ao chão. A impressão que se tem é de estar sempre seguro. E se o motorista mantiver um comportamento pacato e não pesar o pé direito, pode até se sentir na direção de um Punto mais manso.

Ficha técnica

Fiat Punto T-Jet

Motor: Gasolina, dianteiro, transversal, 1.368 cm³, quatro cilindros em linha, turbocompressor, intercooler, quatro válvulas por cilindro. Comando duplo de válvulas no cabeçote. Injeção eletrônica multiponto e acelerador eletrônico.
Transmissão: Câmbio manual de cinco marchas à frente e uma a ré. Tração dianteira. Não oferece controle de tração.
Potência máxima: 152 cv a 5.500 rpm.
Torque máximo: 21,1 kgfm entre 2.250 e 4.500 rpm.
Aceleração 0-100 km/h: 8,3 segundos.
Velocidade máxima: 203 km/h.
Diâmetro e curso: 72,0 mm x 84,0 mm.
Taxa de compressão: 9,8:1
Suspensão: Dianteira independente do tipo McPherson, com braços oscilantes fixados em subchassi, com molas helicoidais, amortecedores hidráulicos pressurizados e barra estabilizadora. Traseira com rodas semi-independentes, com barra de torção, barra estabilizadora integrada e amortecedores hidráulicos pressurizados. Não oferece controle de estabilidade.
Pneus: 205/50 R17.
Freios: Discos ventilados nas quatro rodas. Oferece ABS com EDB.
Carroceria: Hatch em monobloco, com quatro portas e cinco lugares. 4,06 metros de comprimento, 1,68 m de largura, 1,49 m de altura e 2,51 m de entre-eixos. Oferece airbags frontais de série e laterais e de cortina como opcional.
Peso: 1.263 kg (em ordem de marcha).
Capacidade do porta-malas: 280 litros.
Tanque de combustível: 60 litros.
Produção: Betim, Brasil.
Lançamento no Brasil: 2007.
Reestilização: 2012.
Itens de série: Alarme antifurto, alertas de limite de velocidade e manutenção programada, ar-condicionado, banco do motorista com regulagem de altura, bancos revestidos parcialmente em couro, sistema de entretenimento operado por comandos de voz com rádio, CD, MP3, porta USB e Bluetooth, volante em couro com comandos do rádio e telefone, chave canivete com telecomando para abertura das portas, vidros e porta-malas, computador de bordo A e B, direção hidráulica, faróis com máscara negra e de neblina, iluminação interna com efeito “night design”, lanternas traseiras de leds, painel na cor preta com pintura parcial na cor do veículo, piloto automático, pinças de freio dianteiras e traseiras pintadas em vermelho, ponteira de escapamento esportiva com saída dupla cromada, retrovisores externos elétricos, rodas de liga leve de 17 polegadas inclusive para o estepe, seletor DNA (Dinâmico, Normal, Autonomia), sensor de estacionamento traseiro com visualizador gráfico e travas e vidros elétricos.
Preço: R$ 67.010.
Opcionais: Ar-condicionado digital, navegador GPS, sensor de luminosidade e chuva, retrovisor interno eletrocrômico, airbags laterais e de cortina, teto solar panorâmico e pintura metálica.
Preço completo: 81.258.
Autor: Márcio Maio (Auto Press)
Fotos: Isabel Almeida/Carta Z Notícias

Sopro de esportividade - Fiat valoriza o potencial para diversão do Punto T-Jet, o carro turbo mais barato do Brasil

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Testes
Publicado em: 20 Apr 2015 18:00:00

Nenhum comentário:

Postar um comentário