16 de abr de 2015

Impressões do JAC T6

Impressões do JAC T6

Com a recente avalanche de utilitários no mercado brasileiro de automóveis, cada fabricante busca exacerbar o que de melhor seu representante tem para abocanhar uma fatia do segmento. A Honda apostou nas linhas agudas do HR-V, a Peugeot na sofisticação do 2008 e o Renagade no “status” da marca Jeep. Com apenas quatro anos de Brasil, a JAC Motors resolveu entrar na “brincadeira”. A partir desse mês, a marca chinesa estreia o seu primeiro SUV em território nacional: o T6. E o “coelho da cartola” da JAC é oferecer um carro com “preço de compacto e o porte de médio”. Ou seja, na prática, o T6 vai brigar na tabela de preço com Ford EcoSport, Renault Duster e “trupe”. A favor terá o tamanho semelhante ao de Kia Sportage, Hyundai ix35 e Honda CR-V.

Veja também:
  • JAC T6 parte de R$ 72.310, mais caro que o EcoSport
Desenvolvido no Centro de Design da JAC Motors em Turim, na Itália, o T6 tem dimensões maiores que todos os novatos concorrentes. Perde apenas para o Renault Duster na distância entre-eixos – 2,64 metros contra 2,67 m. O modelo chinês possui 4,47 metros de comprimento, 1,84 de largura e 1,67 m de altura . A capacidade do porta-malas é de 610 litros. O T6 também vem com algumas sofisticações técnicas. A suspensão é independente e os freios trazem disco nas quatro rodas. As rodas, de série, são de 17 polegadas e a direção tem assistência elétrica progressiva.

A JAC Motors quer arrancar 1% do mercado brasileiro total de SUVs com o T6 e licenciar 400 unidades por mês em 2015. E para isso, a marca chinesa vai apostar no preço e dois pacotes de opcionais. A versão “standard” começa em R$ 69.990 e traz, de série, rodas de 17 polegadas com pneus 225/60, freios a disco nas quatro rodas, monitoramento de pressão dos pneus, faróis de neblina, sensores de estacionamento traseiros, rádio com CD/MP3 e entrada USB, seis alto-falantes, acionamento automático de faróis, computador de bordo, ar-condicionado automático e ajuste de altura do volante, além de airbags frontais e freios ABS obrigatórios. Quando o preço pula para R$ 71.990, o T6 ganha o chamado Pack 1, que adiciona barras longitudinais no teto, retrovisores pintados na cor da carroceria, maçanetas e frisos laterais cromados e retrovisores com rebatimento elétrico. Segundo a fabricante, essas duas configurações juntas vão representar apenas 10% do “mix”. A grande aposta da JAC é a versão de R$ 75.670 – batizada de Pack 2 –, que tem projeção de abocanhar 90% dos emplacamentos. Ele adiciona ao Pack 1 câmara de ré e sistema multimídia.

O “gadget”, aliás, é a grande vitrine tecnológica do T6. Ele é fornecido pela chinesa Foxconn – responsável pela produção de diversos eletrônicos da Apple, por exemplo. O dispositivo possui conexão HDMI, Bluetooth, MP3 e entradas USB/SD/AUX. Tudo gerenciável por uma tela sensível ao toque de sete polegadas. Mas talvez a grande novidade é a função “link”. Ela permite conectar, espelhar e operar todas as funções de smartphones ou tablets. Em aparelhos com sistema operacional Android, o “link” funciona plenamente. Já para o iOS só o espelhamento está disponível.

Para mover o T6, a JAC colocou sob o capô um motor 2.0 litros flex com comando de válvulas variável. O propulsor é capaz de fornecer 155 cv e 20 kgfm de torque quando abastecido com gasolina. Com etanol no tanque, os números sobem para 160 cv a 6 mil rpm e 20,3 kgfm de torque a 3.500 giros. Dotado desse trem de força, o T6 acelera de zero a 100 km/h em 12,2 segundos e atinge a máxima de 186 km/h. Por enquanto, o modelo está disponível apenas com transmissão manual de cinco marchas. De acordo com a JAC, a versão automática só chega ano que vem, aliada a um motor 2.0 litros turbinado.

Primeiras impressões

Itu/SP – Em um primeiro contanto visual com o JAC T6, já é possível notar que o utilitário chinês realmente tem dimensões mais avantajadas que seus concorrentes. Dentro, a comprovação. O T6 oferece um amplo espaço para o motorista e passageiros. Atrás, a situacão é a mesma. Os ocupantes desfrutam de certo conforto, mesmo com a presença de um terceiro elemento. Já o acabamento do habitáculo é dominado por plásticos. Apesar de abundantes, eles são, na maioria, pretos – alguns brilhantes – e conferem um aspecto sóbrio ao interior. A tela do sistema multimídia é bem legível e intuitiva. O mesmo não pode se dizer do velocímetro e do tacômetro, que têm números pequenos e difíceis de enxergar.
Durante o test-drive de quase 200 quilômetros – entre ida e volta de São Paulo à estância turística de Itu – o JAC T6 foi honesto. Os máximos 160 cv de potência extraídos do motor 2.0 litros VVT são superlativos na teoria. Na prática, a força se mostra apenas capaz de não sofrer muito ao mover os 1.505 kg do SUV. Abaixo dos 3 mil giros, o desempenho é murcho. Mas conforme a escala do conta-giros sobe, o T6 ganha vitalidade. Dignos de nota são os engates da transmissão manual de cinco marchas. Eles são precisos e fazem um barulho de trambulador agradável nas trocas.
Já o sofisticado conjunto suspensivo independente para cada eixo mostra dois lados. Na cidade é capaz de absorver com louvor as imperfeições do asfalto brasileiro. Porém, o acerto macio “cobra seu preço” em um trajeto mais sinuoso. A direção elétrica progressiva poderia “enrijecer” mais na proporção da velocidade. Ela é um tanto quanto leve e não dá muita precisão a quem dirige. Não há uma sensação de falta de segurança, mas com a ausência de controle de tração, em um veículo de massa e altura elevadas, é melhor não abusar.

Ficha técnica

JAC T6

Motor: A gasolina e etanol, dianteiro, transversal, 1.997 cm³, com quatro cilindros em linha, quatro válvulas por cilindro e comando variável de válvulas na admissão. Injeção multiponto sequencial.
Transmissão: Câmbio manual com cinco marchas à frente e uma a ré. Tração dianteira.
Potência máxima: 155 cv e 160 cv a 6 mil rpm com gasolina e etanol.
Diâmetro e curso: 85 mm X 88 mm.
Taxa de compressão: 10:1.
Aceleração 0-100 km/h: 12,2 segundos.
Velocidade máxima: 186 km/h.
Torque máximo: 20 kgfm e 20,3 kgfm a 3.500 rpm com gasolina e etanol.
Suspensão: Dianteira independente, do tipo McPherson com molas helicoidais e barra estabilizadora. Traseira independente do tipo multilink, molas helicoidais e barra estabilizadora. Não oferece controle de estabilidade.
Pneus: 225/60/R17.
Freios: Discos ventilados na frente e sólidos atrás. Oferece ABS e EBD.
Carroceria: Utilitário em monobloco com quatro portas e cinco lugares. 4,47 metros de comprimento, 1,84 m de largura, 1,67 m de altura e 2,64 m de distância entre-eixos. Oferece airbag duplo de série.
Peso: 1.505 kg.
Capacidade do porta-malas: 610 litros.
Tanque de combustível: 60 litros.
Produção: Hefei, China.
Lançamento no Brasil: 2015.
Itens de série: vidros, travas e retrovisores elétricos, direção elétrica ar-condicionado digital, rádio com CD/MP3 e entrada USB, seis alto-falantes, cintos traseiros laterais de 3 pontos, faróis de neblina, volante multifuncional, chave canivete com destravamento remoto das portas, abertura interna da tampa do tanque de combustível e sensor de estacionamento traseiro. 
Preço: R$ 69.990.
Pack 1: adiciona barras longitudinais no teto, retrovisores pintados na cor da carroceria, maçanetas e frios laterais cromados e retrovisores com rebatimento elétrico.
Preço com Pack 1: R$ 71.990.
Pack 2: Pack 1 + câmara de ré e sistema multimídia com mirror link
Preço com Pack 2: R$ 75.670.

Autor: Raphael Panaro (Auto Press)
Fotos: Raphael Panaro/Carta Z Notícias e divulgação (interior)

Maior barato - JAC estreia no segmento de utilitários no Brasil com o médio T6, que tem preço competitivo mesmo diante de rivais menores

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Testes
Publicado em: 15 Apr 2015 06:10:00

Nenhum comentário:

Postar um comentário