15 de abr de 2015

LAAD Security 2015

LAAD Security 2015

O Brasil é um país de fronteiras vastas e vizinhos numerosos. Além disso, nos últimos anos, despontou como uma grande capital mundial de eventos globais, como a Jornada Mundial da Juventude, em 2013, a Copa do Mundo, no ano passado, e as próximas Olimpíadas, no ano que vem. Tudo isso faz daqui uma localização estratégica para sediar a Latin America Aero & Defense – Feira Internacional de Segurança Pública e Corporativa, realizada em três pavilhões do RioCentro, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, entre os dias 14 e 17 de abril. Maior feira especializada em segurança da América Latina, o evento apresenta novidades e propostas dentro do tema – inclusive automotivas. E, neste ano, reuniu mais de 600 expositores de diversos cantos do mundo.  Nos estandes, os destaques são sempre equipamentos que vão desde simples sprays de pimenta até modernos satélites, rastreadores e aeronaves. Mas a maior ênfase é em veículos de combate e de transporte de tropa. A Agrale, por exemplo, aproveitou a oportunidade para mostrar a nova geração do Marruá 4X4, enquanto a Iveco se juntou ao Exército Brasileiro para exibir seu blindado VBTP, conhecido como Guarani. O modelo transporta até 11 pessoas, pesa 18 toneladas, possui tração 6X6, pode chegar a 110 km/h e tem função anfíbia. Além disso, a fabricante de ônibus e caminhões expôs ainda o LMV, veículo leve multifuncional usado em missões de paz em vários países da Europa e Ásia, com mais de 5 mil unidades comercializadas. Em contrapartida, a Technicae Projetos e Serviços Automotivos levou para seu estande uma proposta de revitalização de viaturas Urutu e a Inbra apresentou a nova geração do Gladiador. O modelo está sendo preparado homologação para uso pelo Exército Brasileiro. 

Destaques da LAAD 2015

Agrale Marruá 4X4 – A nova geração do utilitário deve ser lançada no segundo semestre deste ano e incorpora algumas alterações e avanços estéticos. A elevação na passagem a vau subiu de 600 mm para 800 mm e o capô e as portas são novas, com material mais resistente. Os para-lamas foram redesenhados, com degraus laterais para facilitar o acesso à caçamba. A tampa traseira é removível e lisa, para ser usada como rampa. A traseira ganhou lanternas de leds e o interior recebeu alterações no painel. O motor é um Cummins 2.8 diesel de 150 cv, com câmbio manual de cinco marchas e opção de caixa de transmissão com reduzida e pré-disposição para blindagem.

Iveco VBTP-MR – Fruto de uma parceria entre o Exército Brasileiro e a Iveco, o modelo – também chamado de Guarani – consome cerca de 3.200 horas de trabalho para ter cada uma de suas unidades produzidas. Desde 2013, 190 exemplares já foram construídos na fábrica da marca, em Sete Lagoas, no interior de Minas Gerais. Além de ar-condicionado, apresenta uma série de inovações tecnológicas, como sistema automático de detecção e extinção de incêndio e baixa assinatura térmica, o que dificulta sua localização pelos inimigos.

Iveco LMV – Veículo tático para missões especiais com alto nível de proteção balística e antiminas. O modelo é apropriado para ser utilizado em diversos tipos de terrenos e já foi adotado por vários países que fazem parte da Otan. Entre eles, destacam-se a Itália, Espanha, Bélgica, Áustria, Inglaterra e Noruega. Atualmente, o LMV é usado em operações no Afeganistão, Líbano, Kosovo e Chad.

Toyota Hilux – A picape média japonesa já roda pelo Exército Brasileiro com três aplicações diferentes. A principal delas, que engloba mais de 50% das cerca de 450 unidades em “serviço militar”, é a de ambulância. Para isso, a fabricante nipônica utiliza a carroceria em cabine simples. Já o modelo com habitáculo maior e cinco lugares dá expediente no transporte de tropas e de presos. Em todos os casos, o motor é o turbodiesel 3.0 de 171 cv com câmbio manual de cinco velocidades e tração integral.

Urutu Upgrade – O Engesa EE-11 Urutu começou a ser desenvolvido em 1970, mas vem sendo substituído no exército brasileiro pelo Guarani da Iveco. A Technicae levou para a LAAD um projeto de modernização do blindado, que inclui a mudança do motor diesel V-6 de 260cv para um OM 366 A, um turbodiesel fabricado pela Mercedes-Benz capaz de desenvolver 186 cv. A mudança engloba ainda um novo conjunto de freios a disco e caixa de transmissão.

Inbra Gladiador II – O veículo blindado do grupo brasileiro Inbra tem projeto e desenvolvimento 100% nacionais. O trem-de-força é composto por um motor 4.8 litros de 185 cv e transmissão de seis marchas. O modelo vem sendo preparado para atender os pré-requisitos do Exército do Brasil e, em seguida, ser testado para homologação. Nesta segunda geração, seu peso passou de 6,5 toneladas para 9,2 toneladas. O carro de combate exibido na feira transporta cinco passageiros, mas o modelo aceita até oito ocupantes, com espaço suficiente para eles e seus equipamentos.

Autor: Márcio Maio (Auto Press)
Fotos: Marruá - Divulgação; Demais - Isabel Almeida/Carta Z Notícias

Marketing de guerrilha - LAAD 2015 mostra soluções e novidades do segmento automotivo para a segurança pública

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Eventos
Publicado em: 15 Apr 2015 05:36:00

Nenhum comentário:

Postar um comentário