14 de jan de 2016

Teste do Audi A7 Sportback Ambition

Teste do Audi A7 Sportback Ambition

Um sedã médio-grande com alto grau de esportividade, conforto e tecnologia é quase que integrante obrigatório de qualquer line up de marca premium que se preze. Mas nem sempre se consegue inovar no design, devido à forma tradicional da carroceria de três volumes. Foi para fugir da mesmice que a Audi adotou no A7, lançado em 2010, uma “carcaça” mais agressiva e, ao mesmo tempo, atraente. O modelo, que passou por um face-lift há dois anos e chegou renovado ao Brasil ano passado, ostenta o visual de um cupê de quatro portas, com a linha do teto formando um arco bem pronunciado que disfarça o terceiro volume do porta-malas. Sai do lugar-comum dos sedãs e ainda ganha um ar de exclusividade. Algo que, na faixa de preço em que atua – beirando os R$ 400 mil na versão Ambition, a de topo –, é mais do que justificável.

Esteticamente, o modelo já inovava com seu longo capô, colunas traseiras esportivas e fluidas e o caimento extremamente forte. Na reestilização, as mudanças mais visíveis ficaram na grade Singleframe e para-choques redesenhados, além de novas ponteiras do escapamento e faróis. A carroceria é feita principalmente de alumínio e aços de alta tecnologia e projetada para facilitar o isolamento acústico do modelo. Por dentro, revestimentos em alumínio e couro se destacam em meio a diversos comandos e tecnologias disponíveis para garantir a segurança e o conforto dos passageiros.

De série, o A7 já chega com o Audi Drive Select, que permite mudar o mapeamento do motor e da transmissão, o peso da direção e a rigidez da suspensão – controlada por um tubo auxiliar de gás que injeta mais ou menos material dentro do amortecedor. O ar-condicionado é de duas zonas e automático e a central multimídia conta com câmara de ré, recepção de TV, sistema de navegação, DVD player, Bluetooth e até se transforma em hotspot wi-fi. Os bancos dianteiros são elétricos e com memória e o motorista ainda tem sua vida facilitada pela presença do head-up display. Isso sem contar com um dos principais destaques tecnológicos do A7 Ambition: o controle de cruzeiro adaptativo.

Sob o capô, o motor 3.0 TFSI também recebeu alterações que o levaram a passar dos anteriores 300 cv para os atuais 333 cv, com torque de 44,9 kgfm entre 2.900 e 5.300 rpm. O V6 de 2.995 cm³ utiliza um compressor mecânico posicionado no interior do V entre as duas bancadas de cilindros para comprimir o ar na admissão. Uma nova embreagem eletromagnética desativa o compressor em situações de baixa e média solicitação e rotação do motor. O câmbio automatizado de dupla embreagem S tronic, de sete marchas, é de série. Mas trocas manuais podem ser feitas através de aletas atrás do volante, para quem gosta de interagir mais com o motor.

Ponto a ponto

Desempenho – A versão de topo Ambition do Audi A7 Sportback é equipada com motor 3.0 de seis cilindros e 333 cv. O vigor é brutal, partindo do zero e chegando aos 100 km/h em apenas 5,3 segundos. Não há qualquer falta de força no modelo e a transmissão de dupla embreagem S tronic, com sete velocidades, proporciona uma aceleração constante e ininterrupta. O controle do câmbio é digno de elogios, já que sempre encaixa uma marcha certa para cada situação. Nota 10. Estabilidade – Mesmo com suas dimensões avançadas, o A7 se destaca pela sua neutralidade nas curvas. A tração integral Quattro faz com que as quatro rodas mantenham sempre a aderência e facilita a vida do motorista. Mesmo em velocidades muito altas, acima de 160 km/h, não há qualquer sensação de insegurança. A direção não pede correções e, de qualquer forma, o veículo conta com aparatos como controle eletrônico de estabilidade e tração para garantir uma dose a mais de proteção aos passageiros. Nota 10. Interatividade – Em um primeiro momento, o excesso de informações confunde e demanda algum tempo para se acostumar com tantos comandos. Mas, depois de já conhecidos, todos se tornam bem simples e intuitivos. Funções de telefone, navegação e mídia são controladas de maneira fácil e sem que seja preciso desviar os olhos da estrada. Mas o ar-condicionado causa estranhamento: é automático, mas não digital. Nota 8.

Consumo – O Inmetro avaliou o Audi A7 Sportback com motor 3.0 24V. O resultado foi média de 7,7/10,6 km/l na cidade/estrada com gasolina, único combustível aceito pelo modelo. Rendeu nota D tanto na classificação geral quanto na categoria e consumo energético de 2,53 MJ/km. Nota 4. Conforto – Mesmo no modo de direção mais confortável, o Audi A7 Sportback Ambition não é tão suave. A suspensão se preocupa mais em oferecer segurança e estabilidade do que em filtrar as imperfeições constantes das ruas brasileiras. Mas os bancos dianteiros são extremamente agradáveis e seguram bem o corpo do motorista e carona. É, sem dúvidas, um habitáculo aconchegante. Nota 8. Tecnologia – O trem de força é moderno e não faltam itens tecnológicos em seu interior. O sistema Audi Connect proporciona navegação via Google Street View e Google Earth, além de busca por restaurantes, cinemas, bares e outros locais. E o Audi Drive Select permite alterar o comportamento do carro a partir de um botão, que o deixa desde mais esportivo a mais confortável. Nota 10.

Habitabilidade – O acesso ao carro é facilitado pelo excelente ângulo de abertura das portas e o sistema de destravamento de portas e partida do motor é sem chave. O espaço interno é mais do que suficiente para quatro ocupantes. Pessoas altas, com mais de 1,85 m, se ajeitam bem atrás, sem bater a cabeça no teto rebaixado. Mas, para isso, elas se posicionam um tanto afundadas. É confortável, mas prejudica a visibilidade durante o passeio. Nota 8. Acabamento – É bem semelhante ao A8, o mais luxuoso do line up da marca alemã. O interior mistura materiais nobres como couro, alumínio escovado e plásticos de boa textura. Tudo de muito bom gosto, com encaixes perfeitos e toque suave. Além de muito charmosa, a cabine expressa requinte em seus mínimos detalhes. Nota 10. Design – O Audi A7 Sportback tem, acima dos para-lamas, uma linha que percorre todo o comprimento do carro e o deixa com um visual mais encorpado. A traseira é mais musculosa e o caimento do teto é em estilo cupê. A dianteira leva a mesma linha de design que caracteriza os atuais modelos da marca, valorizando a esportividade. Nota 8.
Custo/Benefício – A estratégia de juntar o conforto do sedã com a esportividade de um cupê é interessante e dá certo ar de exclusividade ao modelo. Mas custa caro. Mesmo que seja um carro bem completo, recheado de itens exclusivos e com desempenho invejável do Audi A7 Ambition, pagar R$ 399.990 em um carro é privilégio para poucos no Brasil. Nota 4. Total – O Audi A7 Sportback somou 80 pontos em 100 possíveis.

Impressões ao dirigir

O visual do Audi A7 Sportback não é uma unanimidade, mas arranca diversos olhares curiosos por onde passa. Mesmo no discreto tom cinza escuro e metalizado, quase preto, da unidade avaliada. O modelo não apenas alia a praticidade de um sedã ao charme de um cupê, mas também expressa requinte e esportividade sedutores. E, em movimento, entrega bom conforto para um passeio em família e, se desejado, vigor suficiente para garantir uma boa dose de diversão. Os materiais usados em seu interior impressionam e criam uma atmosfera onde o luxo impera. Só o ar-condicionado, de duas zonas, destoa, com seu seletor de temperatura manual. Mas isso se transforma em um mero detalhe perto de tudo mais que o modelo oferece. A central multimídia, por exemplo, transforma o carro num hotspot wi-fi e utiliza Google Earth e até Street View em seu sistema de navegação. Os ajustes elétricos do banco e da direção fazem com que a tarefa de encontrar uma posição confortável para iniciar o passeio seja extremamente rápida e fácil.
O trem de força é uma estrela à parte. Basta carregar com vontade o acelerador para ver o A7 Sportback Ambition responder prontamente à tocada agressiva. O motor 3.0 24V de 333 cv, aliado à transmissão de dupla embreagem e sete velocidades S tronic, não faz feio em nenhum momento. E apesar dos 1.810 kg do modelo, faz o A7 sair da inércia e atingir 100 km/h em apenas 5,3 segundos. Mesmo a partir desta marca, a sensação de segurança é tanta que quase sempre a impressão é a de se rodar muito abaixo da velocidade real. Para isso, contribui o bom trabalho da suspensão e da tração integral, além do isolamento acústico competente. Impressiona o controle de cruzeiro adaptativo do modelo. Com ele acionado, o motorista vira quase um espectador da viagem, já que o carro acelera, reduz a velocidade e até avisa quando é necessário estar mais atento. Mas só compensa mesmo utilizá-lo em estradas, com pistas em situações normais e condutores responsáveis ao redor. Infelizmente, um cenário pouco comum na maioria das capitais brasileiras.

Ficha técnica

Audi A7 Sportback Ambition

Motor: A gasolina, dianteiro, longitudinal, 2.995 cm³, com seis cilindros em “V”, quatro válvulas por cilindro e duplo comando de válvulas continuamente variável. Sobrealimentado por compressor mecânico com duplo intercooler. Acelerador eletrônico e injeção direta de combustível.
Transmissão: Automatizada de dupla embreagem com sete velocidades à frente e uma a ré. Tração integral. Controle eletrônico de tração.
Potência máxima: 333 cv entre 5.500 e 6.500 rpm.
Torque máximo: 44,9 kgfm entre 2.900 e 5.300 rpm.
Diâmetro e curso: 84,5 mm x 89,0 mm.
Taxa de compressão: 10,3:1.
Suspensão: Dianteira independente com triângulos sobrepostos, molas helicoidais, amortecedores eletrônico a gás e barra estabilizadora. Traseira, com cinco braços, com molas helicoidais, amortecedores eletrônico a gás e barra estabilizadora. Oferece controle eletrônico de estabilidade.
Freios: Discos ventilados na frente e atrás. Oferece ABS e EBD.
Pneus: 255/40 R19.
Carroceria: Cupê em monobloco, com quatro portas e quatro lugares. Com 4,97 metros de comprimento, 1,91 m de largura, 1,42 m de altura e 2,91 m de entre-eixos. Oferece airbags frontais, laterais dianteiros e do tipo cortina.
Peso: 1.810 kg em ordem de marcha.
Capacidade do porta-malas: 535 litros.
Capacidade do tanque de combustível: 75 litros.
Produção: Ingolstadt, Alemanha.
Lançamento mundial: 2010
Reestilização: 2015.
Itens de série: Acabamento interno em alumínio, abertura e fechamento da tampa traseira elétrico, alarme, apoio de braços dianteiro, apoio lombar de 4 vias, função ECO, ar-condicionado automático de 2 zonas, câmara de ré, bancos dianteiros elétricos com memória, head-up display, direção eletromecânica, bancos em couro, controle eletrônico de estabilidade, controle de cruzeiro adaptativo, faróis em leds, espelho retrovisor interno antiofuscante automático, faróis com ajuste automático de altura, MMI Touch, lanterna traseira em leds com indicações dinâmicas, pacote de luzes ambiente, recepção de TV, Auto Park com display 360°, suporte Isofix para banco traseiro, sistema de controle de pressão dos pneus, sistema de limpador dos faróis, teto solar elétrico, sistema start-stop, volante esportivo multifuncional em couro com shift paddles e ajuste elétrico, chave presencial, acabamentos das soleiras das portas em alumínio, Bose Sound System, retrovisores externos elétricos, rebatíveis e com memória, Audi Connect, Rádio MMI Plus com sistema de navegação e Bluetooth, Pára-brisa com isolante térmico, DVD Player e vidros laterais e traseiro com isolamento acústico.
Preço: R$ 399.990.

Autor: Márcio Maio (Auto Press)
Fotos: Jorge Rodrigues Jorge/Carta Z Notícias

Poucos, raros e caros - Audi A7 Sportback Ambition alia charme de cupê à funcionalidade de sedã, mas exclusividade tem preço elevado

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Testes
Publicado em: 13 Jan 2016 14:25:00

Nenhum comentário:

Postar um comentário