24 de jul de 2014

Novo Troller T4 está renovado, mas precisa de terra elama para mostrar ao que veio

Novo Troller T4 está renovado, mas precisa de terra elama para mostrar ao que veio



Desempenho do Novo Troller T4 nas dunas agradou Divulgação Lançada oficialmente na última quarta-feira (16), a nova geração do Troller T4 foi testada por R7 Carros e mostrou que, com as novidades importantes que recebeu, o jipão cearense continua uma opção de respeito para quem gosta de se aventurar em trilhas ou outros percursos fora da estrada. Ao entrar no carro, mesmo com uma carroceria nova e bem montada, fechar a porta é um processo que exige mais força que o comum. No entanto, esta pequena má impressão inicial vai embora quando se nota que o acabamento interno está bem melhor que no antecessor. Passageiros no banco de trás sofrem, tanto para entrar quanto para permanecer no utilitário. Apesar de ter sido fabricado para até três pessoas no assento traseiro, dois adultos têm dificuldades para dividir o pequeno espaço. Para quem gosta de carros mais altos, a posição de direção é bem agradável, apesar de não contar com uma visibilidade boa da área traseira. O volante é leve e confortável, mas passa uma sensação de insegurança quando o carro ultrapassa os 100 km/h, já que fica "mole demais" para responder bem aos ventos laterais, que por sua vez geram certa instabilidade. A praia é na selva O torque gerado pelo motor Duratorq de 3.2 litros e 200 cv de potência é suficiente para empurrar com tranquilidade os 2.140 kg do modelo, que é mais pesado que o antigo. Apesar de andar bem, o veículo tem amortecedores macios demais para o asfalto, fazendo com que a carroceria perca estabilidade em curvas, o que exige mais cuidado por parte do motorista. Os engates do câmbio são duros e pouco precisos, mas não tão preocupantes quanto à proximidade dos pedais de aceleração e frenagem. Já em situações mais severas, como as encontradas no teste em terreno acidentado, com muitas dunas, o novo T4 mostrou que é "parrudo" de verdade. O motor tem força para superar qualquer tipo de adversidade em trilhas realmente agressivas, seja um lamaçal ou um grande atoleiro. Isso tudo, claro, com a ajuda da caixa de redução que multiplica o torque aplicado nas rodas. Mesmo em condições adversas de terreno, o isolamento acústico interno é eficiente, sem contar o conforto gerado pelo ar-condicionado de duas zonas, que parece proteger motorista e passageiros do caos externo com o qual o utilitário trava sua batalha. Os novos ângulos de entrada e saída, ambos de 51º, somados ao propulsor a diesel e uma entrada de ar na altura das janelas, tornam o T4 capaz de atravessar terrenos alagados com profundidade de até 800 mm, sem a necessidade de alteração no modelo que sai da fábrica, como a compra de acessórios, por exemplo, que é comum por donos de carros deste segmento. Falando nisso, a Troller pensou bem em quem pretende personalizar o jipe. Praticamente todo o utilitário foi desenvolvido com adaptações que tornam possível a instalação de diversos acessórios, sem aquela sensação de que o carro foi mexido demais. O único detalhe incompreensível é a ausência dos air bags frontais, obrigatórios desde janeiro deste ano. Uma brecha na legislação permite que o novo T4 rode sem o item de segurança instalado. Apesar desta falha, o novo Troller T4 inicia uma nova fase na montadora cearense, que ampliou e modernizou sua fábrica para crescer e ganhar peso no mercado. A expectativa com a segunda geração do jipe é de dobrar as vendas, chegando a cerca de 3.000 unidades/ano, mesmo com o preço mais salgado, a partir de R$ 110.990 — o antigo custava menos de R$ 100 mil. Mas isso não deve atrapalhar, pois o T4 segue na entrada do segmento 4X4. *O jornalista viajou a convite da Troller Saiba tudo sobre carros! Acesse www.r7.com/carros

Publicado em: 2014-07-20T14:15:00-03:00
Ler mais aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário